Atualizado 22h15 Sábado, 31 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Cotidiano

APRENDER A DESISTIR

519 acessos - 1 comentários

Publicado em 14/01/2012 pelo(a) Wiki Repórter Dourovale, Carapicuíba - SP



Esqueci meus óculos de novo! Mas isso não vai me fazer desistir de escrever este texto (rsssss).
Antes que pensem, como o Omar acredita, que é mais uma minha crise canceriana existencial, eu peço, calma! Apesar do título não ser um lema positivista, não vou pregar a morte ou o abandono da vida. Estou um pouco mais leve (ao menos espiritualmente) e mais velho (nem eu entendi o que a idade tem haver com isso, mas já que escrevi algum sentido deve ter. vamos aguardar pra ver!).
Pensei em começar este texto falando de umas folhas caídas de uma árvore que vi outro dia. Na hora pensei que a árvore havia desistido delas. Não eram todas as folhas velhas e amareladas, havia folhas pequenas e outras ainda bem verdes. Se cada folha representasse um sonho da árvore, por que ela teria desistido delas? As folhas velhas e amarelas poderiam ser os sonhos já realizados e por isso era natural que se tornassem só uma lembrança e deixassem o espaço livre pros sonhos ainda não realizados. Mas por que a árvore (a gente sempre tem a idéia de que as árvores são sábias, mas será que são mesmo?) abriu mão de sonhos ainda jovens ou ainda não realizados? Não sei (mas não é por isso que vou desistir deste texto).
A gente está acostumado a ler mensagens ou histórias que nos dizem pra nunca desistir dos sonhos e sempre lutar para realizá-los. Textos otimistas pra tentar animar àqueles (acertei a crase?) que andam totalmente desanimados ou desencorajados.
Eu usei duas palavras que significam coisas opostas no significado primeiro, mas que são, num significado maior, sinônimos: nunca e sempre. Essas duas palavras trazem um sentido de eternidade e, justamente por isso, devem ser evitadas. Eternidade é uma coisa complicada...
Quantas vezes você disse que nunca mais iria fazer algo que não lhe foi benéfico (beber ou comer muito, por exemplo) e, sem se dar conta, cometeu o mesmo erro. Quantas vezes você jurou para sempre amar alguém e esse amor durou menos que um quilo de açúcar. Sempre serei alegre ou nunca mais serei feliz também são promessas de eternidade que não se cumprem.
E são muitos os exemplos. Fique em paz! Não é para parar de fazer isso. Promessas de eternidade nos ajudam a sossegar a alma dando segurança. “te amo pra sempre, te amo demais, até daqui a pouco, até nunca mais” (música do kid abelha).
Se a acreditarmos que a eternidade é uma idéia e não um fato, talvez possamos entender melhor o porquê da árvore abrir mão de sonhos ainda não realizados.
Tayguara cantava assim “eu desisto! Não existe essa manhã que eu perseguia...”.
Venderam pra gente uma idéia errada do conceito de desistência. Os filmes de adolescentes gritam nos nossos ouvidos que não devemos desistir nunca dos nossos sonhos, pois eles se realizarão. Pensando de maneira cruel, mas realista, eu compreendi que só algumas pessoas conseguem realizar alguns sonhos. Na tv apenas nos mostram as histórias dos vencedores e eles dizem que sempre acreditaram que iriam conseguir e conseguiram e que eu preciso pensar assim também. Preste atenção, só há um vencedor e um monte de derrotados. Será que esses que perderam acreditaram menos nos sonhos?
Os perdedores também tentaram e não conseguiram. Erraram em tentar? Claro que não! Deveriam ter tentado mesmo e usado todas as forças e possibilidades para vencer. Só que não venceram! Se houver uma nova chance e eles se sentirem em condições de vencer, que tentem novamente. Porém, se eles percebem que não têm mais condições de vencer, devem desistir desse sonho e procurar algum outro que lhes de possibilidades de vitória.
Quando falamos de competição fica mais fácil entender os conceitos de vitória ou derrota e relacioná-los com a realização dos sonhos. Quando falamos dos objetivos de vida já não fica tão fácil a relação.
Em 1983 eu me descrevia assim numa poesia: “surgi brasileiro hereditário, o sangue hispanolusitano, o sonhador-mor do Brasil”. Muitas vezes misturei Dante com Quixote e criei sonhos gigantescos, nem preciso dizer que meu signo é câncer. Alguma coisa eu conquistei, não como sonhava. Muitos sonhos tive que fazer como a árvore que liberou suas folhas e desisti. Minha alma não é sem dimensão, ela tem um tamanho, um limite. Eu não poderia carregar tantos sonhos juntos.
Os sonhos para que se realizem é preciso dedicação e concentração. Saia responsável com trinta crianças e tente atender a todas. Não dá! A árvore libera as folhas pra que possa sustentar alimentar cuidar das outras folhas que acredita lhe ajudarão a produzir suas flores seus frutos ou sua sombra.
Desistir não é falhar ou errar. Desistir de algo é ser consciente e realista. Quando você sabe que aquilo que deseja está numa condição inacessível, é triste, é chato, faz a gente chorar, mas é preciso saber desistir para que outras coisas que estão acessíveis possam ser alcançadas. Isso se aplica a todos os sonhos e desejos, a todos os planos bem elaborados, a toda ambição, a todo deslumbre, a todo talento, a tudo que por mais que você mereça e por mais que já tenha se esforçado você sabe que não dará em nada.
Sonhe, deseje, planeje,ambicione, deslumbre, faça por merecer, se esforce e tenha um limite. Se conquistar, parabéns! Se perceber que a missão é inglória, desista.
Pode ser que, por não saber desistir, alguém passe a vida toda tentando realizar um sonho que dificilmente acontecerá, abortando assim sonhos que poderiam ser maiores ou melhores.
“Por uns velhos vãos motivos, somos cegos e cativos...” (Tayguara – Universo No Teu Corpo).
A sabedoria só vem com o tempo. Quais folhas deixar voar na primeira brisa? Quais folhas insistir e fazer verdejar?
Pensei agora, essas folhas podem virar adubo, chegar à raiz e voltar a viver na árvores. Não disse que a eternidade não existe? Nós também podemos (por que não?) retornar a sonhos abandonados, desde que não haja nenhum sonho infrutífero ocupando nossas forças.
Obrigado por não desistir e ler este texto até aqui.
Sonhe!
Conquiste, se possível!
Desista, se necessário!

Um beijo mãe, Tainá, Tiago e Rosana!

Dourovale (Dorival Cardoso Valente)


Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
Dourovale
Carapicuíba - SP



Comentários
01
Reporte abuso
Omar Neder
São Paulo 15/01/2012

Uma vz li: Me arrependo de muitas coisas na vida, mas não me envergonho de nehuma delas ( Afonso Arinos) acho que é por ai, desistir e saber não se arrepender!


Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br