Atualizado 23h33 Sábado, 17 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Paulo Maluf negociou para sair da lista da Interpol

682 acessos - 0 comentários

Publicado em 25/08/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



Ex-governador de São Paulo, ex-prefeito e deputado federal, Paulo Salim Maluf (PP) negociou com a Justiça dos EUA para ter seu nome retirado da lista dos procurados pela Interpol em todo o mundo e poder viajar. Em troca, admitiria a autoria de um crime pela primeira vez na vida - no caso, delito classificado formalmente de falsificação de registros contábeis praticado nos Estados Unidos. No final, desistiu do acordo. OUTROS DESTAQUES - Denunciados no STF renunciam a comissão parlamentar. Briga entre ’safado’ (do PT) e ’débil mental’ (do PSDB). Jânio Quadros Neto: Meu avô pensava que iria voltar mais fortalecido. Dilma Rousseff é a 3ª mulher mais poderosa do mundo. Crescimento não alivia contas de Estados do NE. Steve Jobs renuncia ao comando da Apple. França anuncia taxa de 3% sobre renda dos ricos. Chanceler de Kadafi admite derrota, mas conflito continua.

DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, QUINTA-FEIRA, 25 DE AGOSTO DE 2011.

O Estado de S. Paulo

Chanceler de Kadafi admite derrota, mas conflito continua
Membros do governo já não têm contato entre si; ditador segue desaparecido e há recompensa pela captura

Abdul Ati al-Obeidi, chanceler de Muamar Kadafi, admitiu ontem que o regime instalado há 42 anos na Líbia caiu diante da ofensiva rebelde. As declarações foram feitas horas após a tomada de Bab al-Azizia, o quartel-general do regime em Trípoli. Segundo o chanceler, os ministros perderam o contato entre si, o que demonstra a dissolução da administração. Combatentes rebeldes, brigadas e mercenários leais ao ditador, no entanto, travavam ontem intensas batalhas na disputa pelo controle de pontos estratégicos da capital Líbia. O ditador continua desaparecido, mas pede ao povo que resista e promete voltar ao poder. Os rebeldes seguem tentando capturá-lo. Empresários líbios ofereceram ontem recompensa de US$ 1,7 milhão a quem entrega-lo “vivo ou morto”. (Págs. 1 e Internacional A13 a A18)


Brasil vai discutir transição

Os governos da França e da Grã-Bretanha anunciaram uma "conferência de amigos da Líbia" no dia 1º, em Paris, para discutir a transição no país. O Brasil participará (Págs. 1 e A18)
Ministro pagou empresa da campanha com verba oficial
Três dias após as eleições de 2010, o ministro das Cidades, Mário Negromonte (PP) – à época deputado federal que tentava a reeleição-, usou verba da Câmara para ressarcir despesas com empresas de táxi aéreo que prestou serviços à sua campanha. A Aero Star Táxi Aéreo Ltda. emitiu dois recibos, de R$ 18.300 e R$ 8.850, para Negromonte, que entregou as notas à Câmara para comprovar a despesa da "cota para exercício da atividade parlamentar". (Págs. 1 e Nacional A4)

Maluf negociou para sair da lista da Interpol
Paulo Maluf negociou com a Justiça dos EUA para ter seu nome retirado da lista dos procurados pela Interpol em todo o mundo e poder viajar. No final, desistiu do acordo.
Ex-prefeito negociava acordo com promotoria de Nova York para deixar lista de procurados da Interpol; Prefeitura apoiava acerto

Paulo Maluf, que vai celebrar 80 anos em 3 de setembro com pompa e estilo na Sala São Paulo, negociou ao longo de quase um ano acordo com a promotoria de Manhattan (EUA) para ter seu nome excluído do alerta vermelho, o lendário índex dos mais procurados da Interpol em todo o mundo. Em troca, o ex-prefeito e deputado pelo PP admitiria a autoria de um crime pela primeira vez na vida - no caso, delito classificado formalmente de falsificação de registros contábeis praticado nos Estados Unidos.
A confissão histórica se daria perante o Tribunal Criminal de Nova York e de viva voz pelo réu.Sob a condição de não correr nenhum risco de ser algemado, nem mantido em cela prisional, Maluf viajaria para a audiência nos Estados Unidos.
Ele também estava disposto a declarar que "não tem interesse" em US$ 22 milhões do Macdoel Trust, na Ilha de Jersey - fundo controlado por três empresas offshore cuja titularidade o Ministério Público de São Paulo atribui ao ex-prefeito e ao filho mais velho de Maluf, Flávio.
Mas o pacto malogrou há duas semanas, à beira do ato final - assinatura do documento pelas partes envolvidas, os defensores de Maluf, ele próprio e a promotoria americana. Flávio, presidente da Eucatex, ficaria à mercê do Ministério Público brasileiro para eventual ação de natureza penal.
O fracasso da negociação frustra planos da Prefeitura de São Paulo, que pretende investir na área social recursos supostamente desviados de seus cofres na gestão Maluf. A Procuradoria do Município já se havia manifestado favoravelmente ao acordo, do qual a Prefeitura seria parte. O Município seria consultado pela promotoria de Nova York por ser o destinatário final de valores resgatados em Jersey. Advogados foram contratados no Reino Unido pelo governo municipal para acompanhar o caso.
A história secreta do acordo que não deu certo reúne capítulos às vezes marcados pela cautela, outros pela tensão. Foi um jogo de xadrez. De um lado da mesa, advogados de renome e prestígio. Do outro lado, promotores que perseguem com destemor a corrupção e a improbidade. Treze cláusulas compunham o ajuste que, afinal, encalhou.
Veneza. Desde que caiu na malha fina da promotoria em São Paulo, que o acusa por desvio de recursos e fraudes, Maluf jamais admitiu a prática de um único crime. Sempre foi categórico ao negar a manutenção de ativos em paraísos fiscais. Frase de sua autoria tornou-se célebre: "Maluf não tem e nunca teve dinheiro no exterior."
Com os movimentos tolhidos, impedido de revisitar endereços como Veneza e Paris, Maluf quase abriu mão de seu discurso. Dois motivos, principalmente, levaram o deputado a admitir a possibilidade de acordo com seus algozes. Financeiramente, essa quadra de sua vida lhe tem custado muito. Acumula despesas extraordinárias com causídicos influentes que cobram por hora de expediente, em Jersey, Genebra e Nova York. A idade também pesou para o veterano político. Prestes a completar 80 anos, ele sabe que a demanda na corte americana tende a se arrastar por muito tempo - no mínimo, três anos.
O termo ficou pronto há três meses. Além dos US$ 700 mil, nenhuma outra multa ou taxa seria imposta com relação a esse caso, exceto despesas obrigatórias impostas pelo tribunal de acordo com a lei penal.
Custo-benefício - O que Maluf assumiria
Assinatura de um documento de quitação, "abrindo mão de sua participação e de todos os seus direitos sobre a soma (US$ 22 milhões) mantida na Ilha de Jersey em nome do Macdoel Trust
Repasse de US$ 700 mil para conta sob custódia do gabinete da promotoria - valor relativo ao custo do processo
Viagem ao Estado de Nova York, onde ficaria à disposição dos investigadores da promotoria para ser formalmente acusado
Iria se declarar culpado do crime especificado em instrumento acusatório de delito leve no momento do indiciamento no Tribunal Criminal e renunciaria a todo direito de apelação
O que Maluf teria em troca
Seu nome seria excluído da difusão vermelha da Interpol
A promotoria tomaria medidas para suspender Notificação de Prisão emitida pela Interpol
Não seria algemado, nem mantido em cela, na audiência na corte americana. Seus advogados o acompanhariam
A promotoria pediria à Suprema Corte de Nova York indeferimento em relação a Paulo Maluf e a seu filho, Flávio Maluf, de todas as acusações presentes no Número de Indiciamento 1268/2007. O acordo envolveria exclusivamente bens em dinheiro do Macdoel Trust - nenhum outro valor mobiliário seria alcançado pelo confisco. (Por Fausto Macedo e Marcelo Godoy) (Págs. 1 e Nacional A10)

Descoberto rio sob o Rio Amazonas
Pesquisadores do Observatório Nacional encontraram evidências de um rio subterrâneo de 6 mil quilômetros bem embaixo do Rio Amazonas, informa o repórter Alexandre Gonçalves. A descoberta foi com base em dados obtidos pela Petrobrás enquanto procurava petróleo. (Págs. 1 e A22)

Cacciola cumprirá pena em liberdade condicional (Págs. 1 e Economia B7)

Taubaté vai pagar piso de R$ 3,3 mil a professor (Págs. 1 e Vida A25)

Trem ligará São Paulo a Jundiaí em 25 minutos (Págs. 1 e Cidades C1)

José Serra
50 anos e um falso dilema

A explicação de Jânio Quadros para a renúncia enfatizou sempre a contradição até hoje invocada para justificar malfeitos. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
Veríssimo
Foi pessoal

Em 1986, fui atacado pelo Kadafi na Itália. Quinze anos depois, estava eu em Nova York quando fui, de novo, sorrateiramente agredido. (Págs. 1 e Caderno2 D12)
Notas & Informações
Desoneração desastrada

O governo terá de consertar o Plano Brasil Maior se quiser preservar sua parte mais inovadora. (Págs. 1 e A3)


O Globo

Rebeldes ainda combatem, mas já prometem eleições
Conselho opositor oferece anistia e recompensa por Kadafi: vivo ou morto

Embora ainda haja combates intensos em Trípoli e em outras cidades do país, o conselho rebelde mostrou ontem que tem pressa em iniciar a transição e anunciou para daqui a oito meses as primeiras eleições livres da Líbia. Ofereceu também anistia e uma recompensa de US$ 1,7 milhão a quem capturar ou matar o ditador Muamar Kadafi. Numa ofensiva diplomática, líderes do conselho foram ao Qatar e à França, na tentativa de assegurar recursos de US$ 5 bilhões para o seu governo. Os EUA pediram ao Conselho de Segurança da ONU que descongele US$ 1,5 bilhão em fundos líbios para financiar o governo rebelde. (Págs. 1, 31 a 34 editorial "O risco de a Líbia virar outro Iraque")


Uma vez Flamengo...

Filho de um ex-diplomata de Kadafi que serviu no Brasil e desertou, Mohamed Firjani foi um dos milhares de líbios que entraram na fortaleza do ditador e viram como era a vida de luxo que ele levava com seus filhos, relata Deborah Berlinck. "Kadafi acabou!", exultava ele, que fez questão de vestir a camisa rubro-negra ( Págs. 1 e 31)


Artigo
"Nós fomos libertados de nossos próprios medos" (Ghazi Gheblawi, cirurgião ensaísta e poeta líbio) (Págs. 1 e 34)

Isso não é Roma antiga, diz Dilma
Classificada ontem como a terceira mulher mais poderosa do planeta pela revista “Forbes”, a presidente Dilma Rousseff disse que a faxina ética não é meta de seu governo, mas sim a faxina contra a pobreza. E que não quer ranking de demissões. “Isso não é de fato Roma antiga”, afirmou. (Págs. 1, 4 e 9)
Briga entre ’safado’ e ’débil mental’
Os senadores Humberto Costa, líder do PT, e Mário Couto (PSDB) quase trocaram tapas ontem, durante bate-boca sobre corrupção que começou na tribuna e acabou no cafezinho. O petista xingou o tucano de débil mental e foi chamado de safado. (Págs. 1 e 3)

Denunciados no STF renunciam a comissão
PT e PMDB obrigaram ontem os deputados João Paulo cunha, réu no mensalão e Eduardo Cunha, alvo de inquérito no STF, a desistir de comandar a comissão sobre mudanças no Código de Processo Civil. (Págs. 1, 3 e Merval Pereira)
Historiador: Cadeia da Legalidade criou ilusões na esquerda (Págs. 1 e 12)

Cacciola faz planos sobre o seu futuro e procurador teme fuga. (Págs. 1 e 25)

Folha de S. Paulo


Rebeldes oferecem prêmio por ditador vivo ou até morto
Recompensa por Gaddafi inclui anistia mais R$ 2,5 milhões; para chanceler do país, oposicionistas já venceram a guerra

O presidente do CNT (Conselho Nacional de Transito), Abdel Jalil, anunciou que qualquer pessoa do círculo de Muamar Gaddafi que o mate ou capture receberá “anistia total” de crimes cometidos durante o regime, além de recompensa de R$ 2,5 milhões.

A frente de oposição diz ter o controle de 80% de Trípoli, que ainda registra fortes confrontos. Poucos civis se arriscam a sair às ruas. (Págs. 1 e Mundo)
Steve Jobs renuncia ao comando da Apple
Steve Jobs, 56, anunciou que deixará o cargo de presidente-executivo da Apple, que ocupa há 14 anos.

Os motivos não foram revelados. Jobs, que estava de licença médica, segue como presidente do conselho.(Págs. 1 e Mundo A16)

França anuncia taxa de 3% sobre renda dos ricos
Após carta de 16 milionários franceses se propondo a pagar mais impostos, o presidente Nicolas Sarkozy aprovou pacote com sobretaxa de 3% para quem tiver renda superior a 500 mil euros anuais (R$ 1,15 milhão). A medida integra pacote para arrecadar 12 bilhões adicionais. (Págs. 1 e Mundo A15)
Consulado terá poupatempo para vistos dos EUA
O Consulado dos EUA em SP vai inaugurar em novembro espécie de serviço poupatempo para tentar acelerar a concessão de vistos. Serão abertos de três a cinco postos para procedimentos como tirar impressões digitais e foto. A entrevista continuará a ser feita no consulado. (Págs. 1 e Cotidiano C10)

Alckmin quer aposentadoria complementar para servidor (Págs. 1 e A7)

Até 2013, Planalto vai destinar R$ 850 mil para microcrédito (Págs. 1 e A11)

Jânio Quadros Neto: Meu avô pensava que iria voltar mais fortalecido
Hoje é o 50º aniversário da renúncia de meu avô à Presidência. Em 25 de agosto de 1991, ele me disse já no hospital: “A renúncia era para ter sido uma articulação, nunca imaginei que seria executada. Imaginei que voltaria ou permaneceria fortalecido”. (Págs. 1 e Opinião A3)

Editoriais
Leia “Faxina e sangue”, sobre acenos da presidente Dilma para sua base de apoio, e “Caminho errado”, acerca de suspeitas de abuso policial. (Págs. 1 e Opinião A2)

Correio Braziliense

O gênio da Apple sai de cena
Sim, ele é o cara do iPod, do iPhone e do iPad. O mentor de uma revolução tecnológica que mudou o jeito de o mundo ouvir música, lidar com o celular, navegar na internet. O mago que fez o capital da Apple pular de US$ 5,4 bilhões em 2001 para US$ 65,2 bilhões em 2010. E que na semana passada chegou a valer tanto quanto os 32 maiores bancos europeus juntos. Ontem à noite, o dono dessa carreira invejável renunciou à presidência da companhia. Abalado por um raro câncer no pâncreas, Steve Jobs estava de licença médica havia nove meses. Ele indicou Tim cooks para substituí-lo. E disse que continua na empresa. Agora, como presidente do conselho da Apple.

Jobs confiou na intuição ao escolher o sucessor

Ações da empresa caem após anúncio da renúncia

Companhia é a segunda mais valiosa do planeta (Págs. 1, 12 e 13)

Dilma é a 3ª mulher mais poderosa do mundo
Na lista das 100 mulheres mais influentes do planeta, a presidente Dilma Rousseff só fica atrás da chanceler alemã, Angela Merkel, e da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton. Outra brasileira no ranking, publicado pela revista Forbes, é a modelo Gisele Bundchen, que ficou na 60º posição. (Págs. 1 e 3)

Turismo: Dinheiro da Copa para entidades sob suspeita
Investigados pelo Ministério Público Federal, o Instituto Brasileiro de Hospedagem e o Instituto Centro-Brasileiro de Cultura têm convênios de R$ 18,9 milhões para qualificação de trabalhadores. A assessoria do ministro Pedro Novais afirmou que todos os contratos assinados serão revistos. (Págs. 1 e 2)

Servidores: Fundo de pensão vira batalha no Congresso
Aprovada numa comissão da Câmara sob vaias e protestos de funcionários públicos, a criação da previdência complementar da categoria deve ser concluída na próxima semana. No entanto, emendas apresentadas podem tirar da nova regra as carreiras mais bem remuneradas do poder público. (Págs. 1 e 14)
Brasil tenta aproximação com líderes rebeldes
Mesmo sem reconhecer o Conselho Nacional de Transição, que assumiu o governo libio após a invasão de Trípoli, o Itamaraty já articula a manutenção dos investimentos brasileiros no país africano. A captura do ditador Muamar kadafi, vivo ou morto, vale recompensa de R$ 2,5 milhões. (Págs. 1, 22 e 23)
O pesadelo do cheque especial
Os juros dessa modalidade de empréstimo são os mais altos do crédito no país, com média de 188% ao ano. É o maior índice em 12 anos. (Págs. 1 e 16)
Banco de DNA contra o crime
Senado aprova a criação de um cadastro nacional com os dados genéticos dos condenados. Especialistas consideram a medida arbitrária. (Págs. 1 e 10)

Menos sal, mais saúde
O consumo em excesso de sódio aumenta a incidência de doenças crônicas. Uma campanha vai alertar sobre os riscos do uso exagerado do produto. (Págs. 1 e 25)

Valor Econômico

Crescimento não alivia contas de Estados do NE
O crescimento econômico mais acelerado do Nordeste nos últimos anos não se traduziu até agora em melhoras significativas nas contas dos Estados da região. Os maiores problemas estão nos menos populosos - Rio Grande do Norte, Paraíba e Alagoas, que combinam incapacidade de investimento próprio com descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. Já Piauí e Sergipe continuam dependendo fortemente da ajuda do governo federal, embora suas receitas próprias tenham se elevado sensivelmente na última década, como resultado da expansão econômica. Segundo o Tesouro Nacional, a arrecadação de tributos estaduais representou 47% das receitas correntes dos Estados do Nordeste em 2010, contra uma média nacional de 63%.

A folha de pagamento inchada é o grande problema da maioria dos governadores da região, entre os quais Ricardo Coutinho (PSB), da Paraíba. No último relatório de gestão fiscal, do primeiro quadrimestre deste ano, o Estado tinha 52,8% da receita corrente líquida comprometida com os salários dos servidores do Executivo, acima do teto de 49% imposto pela lei fiscal. Desde que assumiu, em janeiro, o governador conseguiu reduzir em cerca de cinco pontos percentuais as despesas com a folha, que em janeiro comprometiam 58% da receita. (Págs. 1 e A3)
Ainda falta democracia nos partidos
Levantamento obtido pelo Valor mostra que PT e PMDB são os partidos com mais democracia interna, por apresentarem as menores taxas de comissões provisórias nos mais de 5 mil municípios onde estão organizados. As comissões provisórias, que podem ser dissolvidas a qualquer momento, ao menor sinal de rebeldia, são o principal instrumento de controle de caciques políticos sobre partidos médios e pequenos, independentemente de ideologias.

Entre os menos democráticos, com até 99% de comissões provisórias, figuram PP, PR e PTB até PDT, PSB e PV - o presidente do PV, José Luiz Penna, conseguiu derrotar Marina Silva no partido mesmo depois que a ex-senadora obteve quase 20 milhões de votos na eleição presidencial. PSDB, DEM e PCdoB estão no bloco intermediário. (Págs. 1 e A12)
Indústria quer corte de juros para ônibus e caminhões ’limpos’
A quatro meses de o Brasil dar seu maior salto na legislação de controle de emissões para caminhões e ônibus, as montadoras correm, nos bastidores, para obter do BNDES financiamento com juros mais baixos para a nova geração de veículos. A partir de janeiro, segundo a legislação, os atuais caminhões e ônibus, altamente poluentes, não serão mais vendidos no Brasil, sendo substituídos por similares mais "limpos".

Por causa dos custos do investimento na nova tecnologia, a indústria já avisou que elevará os preços entre 8% e 20%. Por isso, transportadores mais capitalizados já antecipam encomendas para fugir do aumento de preço. De janeiro a julho, enquanto as vendas de todos os tipos de veículos aumentaram 8,58%, o mercado de caminhões cresceu 15,1% e o de ônibus, 21,69%. No mesmo período, o segmento de automóveis registrou expansão de 5,79%. (Págs. 1 e B9)
Dólar a R$ 1,6 e liquidez animam ACC
Exportadores estão aproveitando a cotação do dólar acima ou em torno de R$ 1,60 e a liquidez dos mercados internacionais para países emergentes e estão fechando operações de câmbio em grande volume, já que a expectativa de médio prazo continua sendo de apreciação da moeda brasileira.

Assim, acelerou-se o fechamento das operações de adiantamento de contrato de câmbio (ACC). No ano, até o dia 19, o volume chega a US$ 34,3 bilhões, segundo o Banco Central, quase empatando com o total verificado em 2010 - US$ 37,6 bilhões. É também o maior valor da série histórica para o período.

O Banco do Brasil, que detém um terço desse mercado, acredita que este será o melhor ano da história e espera fechar em contratos de ACC algo superior a US$ 17 bilhões, segundo Allan Toledo, vice-presidente da instituição. Até julho, o banco acumula US$ 10,3 bilhões em contratos. (Págs. 1 e C1)
Pacote de austeridade da França é visto com ceticismo
O ceticismo prevaleceu nas primeiras reações, ontem a noite, ao plano de austeridade anunciado pela França. Analistas previram que as medidas darão algum conforto ao mercado no curto prazo, mas consideraram improvável que elas consigam evitar que a França perca seu rating de crédito AAA.

O principal foco das medidas é o aumento de impostos, a um ano da eleição presidencial. O objetivo é economizar € 11 bilhões em 2012 para reduzir o déficit público dos atuais 5,7% do PIB para 3% em 2013. (Págs. 1 e A17)
Fabricação do iPad fica para 2012
Prometida para este ano, a produção local do iPad só será inciada pela Foxconn em 2012. O diretor do sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí, Evandro Santos, disse que a empresa deve começar com produtos mais simples, como iPods e iPhones. Ontem, a Foxconn confirmou a produção local - o que ainda não tinha feito oficialmente -, mas não citou produtos ou prazos. A montagem do iPad no Brasil foi inicialmente prometida para novembro, durante visita do ministro Aloizio Mercadante à China, em abril. Depois, foi antecipada para julho e, em seguida, adiada para setembro. (Págs. 1 e B2)
Swiss Re terá resseguradora no Brasil, diz Rolf Steiner (Págs. 1 e C8)

Múltis de alimentos ficam mais locais em emergentes (Págs. 1 e B11)

Câmara discute maior rigor na punição de “insider trading” (Págs. 1, D1 e D9)

Reação aos importados
Em meio a uma disputa societária, a Faber-Castell planeja investir R$ 100 milhões para modernizar suas fábricas e enfrenta a concorrência dos produtos importados, principalmente da China. (Págs. 1 e B3)

Brasil lidera ação verde na Danone
A filial brasileira da Danone exibe o melhor resultado entre as 45 fábricas da companhia na redução da emissão de gases poluentes. Na unidade de Poços de Caldas (MG), a terceira maior no mundo, o corte médio é de 10% ao ano. (Págs. 1 e B5)
Condomínio ecológico
A construtora Calper, em parceria com a Ecoglobal e a Cintrax, planeja entregar em 2016 um megaprojeto residencial no Rio com foco na sustentabilidade. São oito prédios com energia eólica, captação de águas pluviais e tomada para carros elétricos. (Págs. 1 e B8)

Trigo ameaçado no Paraná
A colheita de trigo no Paraná atingiu 4% da área plantada e há indicativos de que a quebra na safra 2010/11 será maior do que a prevista inicialmente, chegando a 28%. Cerca de 72% da lavoura ainda está sob risco climático. (Págs. 1 e B13)

Confinamento ganha ânimo
A recuperação na cotação do boi neste ano deve incentivar o confinamento no país, mesmo com os preços altos dos insumos. A expectativa é de um aumento superior a 30%. No ano passado, houve queda de 9,4%, para quase 1,2 milhão de animais. (Págs. 1 e B14)

Palma mais responsável
Com a concessão do selo de sustentabilidade à brasileira Agropalma, a Mesa Redonda do Óleo de Palma Sustentável (RSPO, na sigla em inglês) anuncia hoje a marca de 1 milhão de hectares certificados no mundo. (Págs. 1 e B14)

Microcrédito produtivo
A partir de agora, o governo vai privilegiar os empréstimos para capital de giro e investimento, em vez do consumo, nas operações de microcrédito, que terão um corte radical nos juros. (Págs. 1 e C5)
BTG negocia corretora chilena
O BTG pactual negocia a compra da Celfin Capital, principal corretora chilena que conta com uma forte área de gestão de recursos de fundos de pensão. O acordo deve ser anunciado nas próximas semanas. (Págs. 1 e C11)
Idéias
Carlos Alexandre Dohler

Maior mérito do plano Brasil Maior foi finalmente abrir espaço em Brasília para debater a desoneração da indústria. (Págs. 1 e A18)
Ideias
Felipe Salto e Samuel Pessôa

Com a nova política industrial do governo Dilma Rousseff, teremos um “Brasil ainda Maior” e mais gastador. (Págs. 1 e A19)

Blogs
O Estrategista
André Rocha escreve sobre a polêmica da carta de gestão


O Consultor Financeiro
Marcelo d'Agosto responde a uma pergunta: por que os fundos fecham?


Casa das Caldeiras

Cláudia Safatle: o mérito da MP dos derivativos está fora de discussão.

Angela Bittencourt comenta a dívida "ampliada" do Brasil, de US$ 405 bi

Ribamar Oliveira: a difícil batalha de Dilma para conter salários de servidores

Cristiano Romero: a China e futuro do Brasil, segundo Barros de Castro

Estado de Minas

BH: Capital dos bares, das mulheres, do pão de queijo, das montanhas... Da inflação
Famosa por seu relevo, boemia, culinária e pelo grande contingente feminino, Belo Horizonte caminha para conquistar um titulo indesejável: a de campeã da escalada do custo de vida. No acumulado do ano até julho, a variação de 4,1% do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), medido pela Fundação Getúlio Vargas, era a maior entre as principais capitais, ao lado de Porto Alegre.

Mas, na terceira semana de agosto, a capital mineira disparou na frente, com 0,46%. Também no acumulado até agosto do Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), prévia da inflação oficial, medida pelo IBGE, BH aparece na ponta, com 4,82%. O dado positivo é que os preços são pressionados pela maior alta de renda do país em 12 meses, associada à mais baixa taxa de desemprego. (Págs. 1 e 13)

Acredite se quiser
O dono deste imóvel tem em seu nome uma empresa que movimentou R$ 270 milhões

Esta casa, no paupérrimo Bairro Jardim Teresópolis, em Betim, pertence a José Hazendever Ramos, que trabalha num armazém na mesma região. Mas também é dele o Mercavale, uma das maiores atacadistas de açúcar da CeasaMinas, segundo a razão social da própria empresa, que comprou R$ 270 milhões em mercadorias entre 2008 e 2010. Documentos da Operação Laranja-lima, do MP aos quais o Estado de Minas teve acesso, apontam este como um dos casos de testas de ferro usados num esquema milionário de sonegação fiscal, estourado há três semanas, comandado pelo barão do açúcar Édson Bicalho Braga. Apesar das evidencias, a Justiça revogou a prisão preventiva do empresário. (págs. 1 e 11)

Superpoderosa, Dilma quer ir além da faxina
Apontada pela revista Forbes como a terceira mulher mais poderosa do mundo, atrás da alemã Ângela Merkel e da americana Hillary Clinton, presidente brasileira diz que o combate à pobreza é mais importante que limpar a corrupção nos ministérios. (Págs. 1 e 3)

Prossegue o impasse
Estado considera que decisão do Supremo confirmando o piso nacional não afeta a política salarial para o magistério em Minas e ressalta que o atendimento à reivindicação da categoria levaria ao descumprimento da lei de Responsabilidade Fiscal. Professores recusam propostas de reajuste e decidem manter a greve, que já dura 77 dias. (Págs. 1 e 8)

Salvatore Cacciola: Justiça do Rio manda libertar ex-banqueiro acusado de fraudes. (Págs. 1 e 14)

R$ 2,5 milhões pela cabeça de Kadafi
Empresários oferecem recompensa e anistia pela morte ou captura do ditador libio Muamar Kadafi. Enquanto isso, Brasil procura manter contato com rebeldes. Embaixador no Egito diz que, mesmo com o fim do regime, há promessa de respeito aos contratos com empresas. (Págs. 1, 22 e 23)
’O dia chegou’: Steve Jobs renuncia ao comando da Apple
O cara e a cara da maçã comunicou que não está mais à frente da maior companhia de capital aberto do mundo. O controle foi entregue a Tim Cook, vice-presidente que guiou a empresa durante as licenças médicas de Jobs, diagnosticado em 2004 com um tipo raro de câncer no pâncreas. (Págs. 1 e 20)

Jornal do Commercio (PE)

Estado reforça uso da ciência contra o crime( Pág. 1)

Reajuste da prefeitura é de 4% (Pág. 1)

US$ 1,7 milhão por Kadafi, "vivo ou morto" (Pág. 1)

Zero Hora (RS)

Inter bicampeão da Recopa (Pág. 1)

A face desconhecida da legalidade
Em vigília no Piratini. (Págs. 1, 32 e 33)
Luta contra o câncer: Steve Jobs renuncia a comando da Apple
Tim Cook foi o indicado para substituí-lo. (Págs. 1 e 20)

Educação: STF define regras de piso do magistério
Estado admite não ter como conceder aumento ainda neste ano. (Págs. 1 e 38)

Barreiras em rodovias: Brigada investiga PMs rebeldes
Protestos por aumento de salário se tornaram freqüentes. (Págs. 1 e 48)

Uma incursão sob tiros à capital Líbia conflagrada
Repórter de ZH chegou ao coração da guerra. (Págs. 1, 4 a 8)

Brasil Econômico

Maiores lucros da bolsa sobem 40% e somam R$ 83,3 bilhões
Ranking das 15 empresas com melhores resultados na BM&Fbovespa mostra que pânico dos mercados nos últimos tempos não tem respaldo no desempenho operacional das companhias. Mas lista já aponta os reflexos da crise internacional, com siderúrgicas cedendo posições a grupos como BR Foods e Cosan, que se beneficiaram do bom momento do mercado interno e da alta no preço dos alimentos. (Págs. 1 e 4)


Segundo a revista Forbes, Dilma Rousseff é a terceira mulher mais poderosa do planeta, atrás da premiê alemã, Angela Merkel, e da secretária de Estado americana, Hillary Clinton. Entre os motivos, dizem analistas, está o protagonismo da economia brasileira no cenário internacional (Págs.1 e 10)
Pão de Açúcar inicia vendas on-line pela TV
Varejistas como o Extra, hipermercado do grupo de Abilio Diniz, e Walmart começam a vender por meio das chamadas televisões conectadas, em que a compra de produtos depende apenas de alguns cliques do consumidor no controle remoto. (Págs. 1 e 18)

Microcrédito terá juro de 8% ao ano
Governo confirma que subsidiará taxas para microempreendedor. (Págs. 1 e 12)

BTG negocia fusão para ser o maior na AL
O banco brasileiro está em negociação com o grupo chileno Celfin que pode torná-lo a maior instituição de investimentos da região. A conclusão do negócio depende de auditoria e de aprovação regulatória. (Págs. 1 e 32)


Fontes: Radiobras e JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br