Atualizado 23h33 Sábado, 17 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Como enriquecer com a boa-fé, a morte e a saúde alheias

464 acessos - 0 comentários

Publicado em 21/08/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



Plano funerário: O serviço não regulamentado está disseminado em pelo menos 27 municípios mineiros e duas cidades do interior da Bahia, focado nos mais pobres e analfabetos. No Rio de Janeiro, clínicas e hospitais de médio porte do Rio pagam propinas de até R$ 10 mil a técnicos de enfermagem e médicos de ambulância para que encaminhem pacientes aos seus quartos e centros de tratamento intensivo. OUTROS DESTAQUES - Planalto poupa o PT e corta verba de áreas de aliados. Servidor Público: Ganho real chega a até 300% em 8 anos. CGU: 100% dos convênios do Turismo são irregulares. Brasil, um dos mais caros do planeta. Dr. Hélio, prefeito de Campinas, tem o mandato cassado. Empresas usam brecha do Mercosul para pagar menos imposto.

DESTAQUES DE JORNAIS E REVISTAS BRASILEIROS, DOMINGO, 21 DE AGOSTO DE 2011.

Estado de Minas

Como enriquecer com a boa-fé e a morte alheia
Dona Maria Machado, de 64 anos, paga R$ 17 por mês num plano funerário. Não assinou contrato algum, apenas recebeu um carnê com seu nome escrito a mão, o suficiente para fazê-la acreditar que, ao morrer, terá direito a caixão e cova e, talvez, uma galinha para ser servida no velório. Como ela, centenas de moradores dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri são adeptos do plano. O serviço não regulamentado está disseminado em pelo menos 27 municípios mineiros e duas cidades do interior da Bahia, focado nos mais pobres e analfabetos. Detalhe: se o titular morre, outra pessoa é obrigada a assumir o pagamento para que seus filhos e netos menores de idade tenham direito ao enterro. Enquanto a prática corre solta, sem fiscalização, projeto de lei no Congresso retoma a discussão sobre a legislação de planos funerários, que já foram alvo de CPI.(Págs. 1,3 e 4)

Classe média em forma
Não são só casa, carro e TV de LCD que fazem a cabeça dos consumidores da classe C. Eles querem cuidar do visual e não economizam nos gastos com academia, clínica de estética e cabeleireiro. Pesquisa mostra que quase metade (48,8%) da classe
média brasileira deseja comprar produtos de higiene e beleza. Na alta renda, essa é a intenção de 28,8%. (Págs. 1, 18 e 19)


O Globo

Clínicas pagam propina para receber pacientes
'Indicação de vaga' rende até R$ 10 mil a equipe de ambulâncias

Clínicas e hospitais de médio porte do Rio pagam propinas a técnicos de enfermagem e médicos de ambulância para que encaminhem pacientes aos seus quartos e centros de tratamento intensivo. Os valores pagos por doente variam entre R$ 50 e R$ 500, dependendo do reembolso do plano de saúde, do tempo de internação e da gravidade do caso. O esquema é usado por, pelo menos, 14 clínicas da cidade, em bairros como Ipanema e Humaitá, comprovou a repórter Fabíola Gerbase após telefonemas a 20 clínicas.

Arrependido de ter participado da fraude, um funcionário informou que as propinas rendem em média R$ 10 mil por mês para os profissionais de saúde que trabalham em ambulâncias. Segundo ele, são 50 os hospitais da Região Metropolitana do Rio, que pagam por “indicação de vaga”. Responsáveis de cinco das clínicas negaram a fraude, mas admitiram que vão apurar a denúncia. (Págs. 1, 19 e 29)

CGU: 100% dos convênios do Turismo são irregulares
Ministério pagou R$ 187,5 mil por apenas uma página de relatório

Mesmo antes da Operação Voucher, a Controladoria Geral da União já apontava irregularidades em convênio do Ministério do Turismo: relatório concluído em 2010 sobre 1.644 convênios encontrou irregularidades em todos. Entre os problemas, prestações de contas entregues antes do pagamento e acordos assinados às pressas. A Fundação Universa, investigada pela PF, recebeu R$ 187,5 mil por uma página de relatório. (Págs. 1, 3 e 4)
Pastor de verbas desgarradas
Um pastor protestante comanda, de dentro do governo, a busca pelas verbas desgarradas: André Luiz Mendonça, de 38 anos, diretor do Departamento de Patrimônio e Probidade da Advocacia Geral da União. Com a Bíblia sobre a mesa, ele coordena 122 advogados no trabalho. E diz que às vezes se sente “enxugando gelo”. (Pags. 1 e 9)
No Pará, a receita da 'cidade verde'
Com economia baseada na extração de madeira, Paragominas colhe os frutos de um pacto antidesmatamento. Todos os móveis vêm de árvores reflorestadas. (Págs. 1 e 16)
Irmão X irmão no caso da ilha do tesouro
Acusados de fraude pela PF, o dono da “ilha do tesouro”, Paulo Sérgio Cavalcanti, e seu irmão Ismael César brigam na Justiça pelo comando de uma distribuidora de cloro na Bahia. (Págs. 1 e 49)
Brasil, um dos mais caros do planeta
As tarifas aéreas cobradas em trechos domésticos, como Rio-SP, são as mais caras do mundo. Os preços que os brasileiros pagam por energia elétrica e gasolina estão no topo. (Pags. 1 e 48)

Folha de S. Paulo

Planalto poupa o PT e corta verba de áreas de aliados
Investimentos de ministérios petistas aumentaram 14%; nas pastas dos demais partidos da base, a queda foi de 5%.

Dados do Tesouro mostram que, nas dez pastas entregues originalmente a PMDB, PR, PSB, PP, PDT e PC do B, os investimentos caíram 5% em 2011.

O número contrasta com o dos 13 ministérios da cota petista: 14% acima do volume da primeira metade do ano eleitoral de 2010. ( Pág. 1 e Poder A4)
Ilustrada
Humoristas sofrem para imitar Dilma (Pág. 1 e E6)
Elio Gaspari
“Mortalidade” no governo supera a do Afeganistão(Pág. 1 e Poder A14)
Fernando de Barros e Silva
'Fáxina ética' de Dilma não vai unir adversários (Págs. 1 e Opinião A2)
Carlos Heitor Cony
Crise põe em foco 'erradicação das algemas' (Págs. 1 Opinião A2)
Dr. Hélio, prefeito de Campinas, tem o mandato cassado
A Câmara de Campinas (SP) cassou o prefeito Hélio de Oliveira Santos, o Dr. Hélio (PDT), acusado de omissão em corrupção supostamente chefiada por sua mulher, Rosely. O cargo será ocupado pelo vice Demétrio Vilagra (PT), suspeito no mesmo esquema. Os três negam participação.(Págs. 1 e Poder A15)
Ativista Hazare dá voz à ira de indianos contra a corrução (Pags. 1 e Mundo A22)

Appalachia, com ou sem crise, sente pobreza
Luciana Coelho – Enviada especial à Appalachia.
A Folha percorreu 1.300km da Appalachia Central, região dos EUA onde o extrativismo responde pela renda de grande parte da população e muitos dependem de ajuda oficial, com ou sem crime.(Pags 1 e Mundo A18)
Mercado
Rico de classe 'AAA gargalhada' escapa de critério de pesquisa. (Pág. e Mercado)
Editorias
Leia “Escolha no Supremo”, sobre a indicação a ser feita por Dilma Rousseff para o STF, e “Ensaios na Previdência” acerca de mudanças em estudo. (Pag. 1 e Opinião A2)

O Estado de S. Paulo

Empresas usam brecha do Mercosul para pagar menos imposto
Indústrias se instalam nos países vizinhos e exportam para o Brasil com isenção

Vários setores estão sofrendo a concorrência de empresas que se instalam no Mercosul para usar brechas nas regras do bloco e vender produtos ao Brasil pagando menos imposto, relatam as repórteres Raquel Landim e Cleide Silva. Ao se fixar na Argentina, no Uruguai ou no Paraguai, empresas brasileiras e multinacionais importam insumos sem pagar imposto de importação e com isenção de Imposto de Renda.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil, tecidos de China, Paquistão e Índia recebem uma costura no Paraguai e se tornam lençóis, entrando no Brasil sem tarifa de importação. Além disso, as empresas aproveitam a guerra fiscal e trazem o produto por portos que cobram menos ICMS. As brechas dificultam a punição.(Págs. 1 e Economia B1, B4 e B5)
Eleições em países ricos elevam risco de recessão
Impotentes diante de buracos nas contas, vários dos países mais desenvolvidos do mundo dificilmente farão as prometidas reformas econômicas porque 2012 será ano eleitoral. Para especialistas, as promessas de “refundar” o sistema financeiro não saíram do papel.(Pags. 1 e Economia B15)
Vale diz que escapa da crise
Seu presidente, Murilo Ferreira, diz ao Estado que o planejamento atual é “arrojado”.(Pág. 1 e Economia B10)
Alta da receita da Estados dependerem menos da União
O aumento do consumo e ganhos de eficiência fizeram 14 Estados, em especial os do Norte e do Nordeste, ampliarem a arrecadação de impostos a ponto de reduzir a dependência de repasses federais. O acre elevou sua receita em 186%, em termos reais, entre 2003 e 2010. No mesmo período, as transferências correntes – formadas quase na totalidade por verbas da União – subiram cerca de 55%. Apesar da melhora, nove Estados ainda arrecadam menos com impostos próprios do que recebem do governo federal.(Págs. 1 e Nacional A4)
Foto-legenda: Uma visão do pesadelo somali
Refugiados em campo na Somália, onde famílias sobrevivem à fome, ao calor, às milícias e aos grupos de bandidos, informa o enviado especial Jamil Chade. “Saímos de um inferno e paramos em outro”, diz uma mulher.(Págs. 1 e Internacional A14, A15)
Alimento funcional é questionado
As promessas são muitas: ajudar no controle do peso e no funcionamento do intestino, fortalecer o sistema imunológico, prevenir a osteoporose e até o envelhecimento. Mas nem mesmo os alimentos ditos funcionais são eficientes. Entre 2004 e 2009, o consumo desse tipo de produto cresceu 82% no Brasil. (Págs. 1 e Vida A25)
Família sustenta presos em cadeias de SP
A superlotação dos Centros de Detenção Provisória de São Paulo está obrigando os familiares a sustentar seus parentes presos com produtos básicos como papel higiênico, sabonete, pasta de dente e até camisetas brancas e calças cáqui, uniformes das prisões. A Secretaria de Administração Penitenciária diz que o material de higiene é entregue semanalmente. (Págs. 1 e Metrópole C1 e C3)
Mão de obra estrangeira cresce 19% no País. (Págs. 1 e Economia B12)

Prefeito de Campinas tem mandato cassado. (Págs. 1, e Nacional A12)

Justiça alvejada
Marcelo Freixo, Conrado Hübner Mendes e José de Souza Martins discutem crime organizado, abusos de poder e trabalho escravo em empresas. (Pág. 1 e Aliás)
Neal Gabler: A enxurrada enganosa
No mundo pós-ideia, o público recebe trilhões e trilhões de informações, muitas vezes insignificantes, mas sem parar para pensar. (Págs. 1 e Visão Global A22)
Dora Kramer: Sem pai nem mãe
No combate à corrupção, o que falta à presidente não é “habilidade política”. Falta método, clareza e a troca da reação pela iniciativa da ação. (Págs. 1 e Nacional A6)
João Ubaldo Ribeiro: Isso não vai dar muito certo
Os problemas brasileiros têm repercutido em Itaparica. Toninho Leso ficou surpreendido ao saber que ao chamar alguém de corrupto não é elogio. (Págs. 1 e C2 Domingo D4)
Notas & Informações
Dedicação exclusiva a 2014

Fazendo política 24 horas por dia, Lula deixa claro que é candidatíssimo à Presidência. (Págs. 1 e A3)

Correio Braziliense

Servidor Público: Ganho real chega a até 300% em 8 anos
Sessenta e quatro carreiras tiveram os salários elevados na era Lula - os vencimentos dos técnicos do Banco Central, por exemplo, subiram de R$ 2,5 mil para R$ 8,5 mil. No geral, já há funcionários que ganham quatro vezes mais do que os empregados da iniciativa privada. (Págs. 1, 12 e 13)


Abin - Oficial de inteligência
2002 - R$ 7,8 mil
2011 - R$ 18,4 mil

Anvisa - Nível superior
2002 - R$ 1,9 mil
2011 - R$ 12,1 mil

Ipea - Nível superior
2002 - R$ 6,9 mil
2011 - R$ 15,7 mil

Polícia Federal - Delegado
2002 - R$ 9,2 mil
2011 - R$ 19,7 mil
O desafio é poupar
A onda de consumo provoca uma consequência desastrosa no cotidiano de muitos brasileiros: dívidas a perder de vista. Neste ano, o número de devedores aumentou em 20,7%. Na família de Zacarias Pereira, a única opção é parcelar. Mas especialistas consultados pelo Correio ensinam que há como mudar os hábitos: de gastador, a hora é de se tornar um poupador. (Pág. 1 e 14)
Número de evangélicos cresce em 11% no DF
Pesquisa realizada pela Codeplan em 15 regiões administrativas revela que, em oito anos, a doutrina avançou principalmente nas regiões mais pobres do Distrito Federal. Já o catolicismo perdeu 8% dos fiéis. No Plano Piloto, no Cruzeiro e no Guará, o espiritismo ganha força. (Págs. 1, 27 e 28)
Pedofilia: Polícia pede prisão de Durval
Delegada acusa o delator do esquema Caixa de Pandora de coagir testemunhas em inquérito que apura denúncia de violência sexual contra crianças. Sua mulher, Kelly também pode ser presa. (Págs. 1 e 33)
Corrupção: Operação Voucher mira Congresso
Investigação que revelou esquema de fraude no Ministério do Turismo vai esmiuçar como foram usados os recursos recebidos por ONGs a partir de emendas apresentadas por deputados e senadores (Págs. 1 e 2)
Trabalho e formação profissional: O “algo mais” das melhores empresas
Nos ambientes de trabalho que lideram o ranking do Brasil, não é só o salário que importa: reconhecimento e qualidade de vida atraem os bons profissionais. (Págs. 1 e Capa)
Revista do Correio: Os sonhos engajados da juventude 2.0
Pesquisa aponta que 92% dos jovens brasileiros conhecem os problemas do planeta e entendem que devem fazer a sua parte para solucioná-los. Sinara Gumieri é um exemplo dessa geração: alia os estudos a um projeto social no Itapoã. (Capa, Págs. 1, 22 a 26)

Jornal do Commercio (PE)

Sorrisos comprometidos
Pesquisa municipal mostra o Recife entre as piores capitais do Nordeste quando o assunto é criança livre de cáries. Adição de flúor na água encanada, prevista em lei, não é cumprida em Pernambuco. (Pág. 1)
"Faxina" em Brasília derruba mais quatro (Pág. 1)

Helicóptero da Petrobras achado com três corpos (Pág. 1)

Vai começar nova guerra das cervejas (Pág. 1)

Renúncia de Jânio completa meio século (Pág. 1)

Fiat pode reabilitar Itamaracá (Pág. 1)

Zero Hora

A face desconhecida da legalidade
Um dos mais épicos capítulos da história gaúcha ganha novas luzes em série de reportagens, de hoje a quinta-feira. (Pags. 1, 4 a 10)
Chip nacional jà nasce defasado
Só em outubro, Ceitec começa produzir componente e provoca debate sobre se vale o investimento público. Caderno Dinheiro (Pág. 1)
O cerco final dos rebeldes líbios a Kadafi (Pags. 1 e 20)

REVISTAS SEMANAIS – DATAS DE CAPA

Veja, 24/8/2011.

Dor
Para 40 milhões de brasileiros, ela é crônica. Negligenciados por muito tempo, esses doentes passam agora a ser uma das prioridades da medicina. (Pág. 1)
Planeta dos Macacos
Como os símios começaram a dominar a Terra. (E não estamos falando de política). (Pág. 1)
Jânio Quadros
Os 50 anos da renúncia que mergulhou o país no caos político e nas trevas da ditadura militar (Pág. 1)

Época, 22/8/2011.

Onde estão os melhores empregos
10 tendências no mercado de trabalho. (Pág. 1)

Os setores em alta na economia e as regiões do país que mais geram oportunidades de trabalho. (Pág. 1)

Carreira: As novas profissões com futuro promissor. (Pág. 1)

Entrevista
“Governante terá de dizer em que acredita”, afirma o pastor Silas Malafaia. (Pág. 1)
Mundo
A nova Guerra Fria entre China e Estados Unidos. (Pág. 1)
Crime
Documentos inéditos revelam quem a juíza assassinada enfrentava. (Pág. 1)

ISTOÉ, 24/8/2011.

O novo retrato da fé no Brasil
Pesquisas apontam mudanças na religiosidade dos brasileiros

Aumenta a migração entre diversas religiões;

O islã ganha adeptos;

Cresce o número de evangélicos que não frequentam nenhuma igreja;

O que leva homens e mulheres a buscar novas crenças. (Pág. 1)
Exclusivo
Gravação mostra como a ministra Ideli Salvatti articulou para manter no Dnit um afilhado acusado de várias irregularidades. (Pág. 1)

ISTOÉ Dinheiro, 24/8/2011.


O novo mago do show business
O empresário Bazinho Ferraz, sócio de Nizan Guanaes no Grupo ABC, quer fazer de sua nova empresa, a XYZ Live, uma das maiores companhia de entretenimento do mundo. Conheça sua estratégia para crescer no mercado de shows, espetáculos e esportes, que movimenta mais de US$ 10 bilhões. (Pág. 1)
Google: O que muda após a compra dos celulares da Motorola (Pág. 1)

Exclusivo: Aos 80 anos, Olacyr de Moraes volta ao mercado com negócios de R$ 100 milhões (Pág. 1)

Carta Capital, 24/8/2011.

O Brasil de Dilma
Escreverem e falam: Dilma Rousseff, Aécio Neves, Cid Gomes, Celso Amorim, Maria Rita Kehl, Delfim Netto, Luiz Gonzaga Belluzzo, Marcos Coimbra, Marco Antônio Barbosa, Vladimir Safatle e Renato Meirelles. (Pag. 1)

EXAME, 24/8/2011 (Qunzenal)

Investimentos pessoais 2011: Um guia para tempos de incerteza

Nós e a crise
Como fica o Brasil em meio à turbulência mundial. (Pág. 1)
Ações
A bolsa ficou barata. E agora? (Pág. 1)
Investimentos
Os conselhos dos melhores gestores de fundos do país. ((Pág. 1)
Imóveis
A euforia continua (Pág. 1)
Gestão
A armadilha das metas impossíveis (Pág. 1)

Fontes: Radiobras-BrasilWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br