Atualizado 23h33 Sábado, 17 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Juiz “Lalau”: 20 anos

474 acessos - 0 comentários

Publicado em 15/08/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



Passados quase 20 anos, somente dois dos inúmeros procedimentos abertos para recuperar o dinheiro desviado e punir os responsáveis foram concluídos, ambos independentes do Judiciário brasileiro. OUTROS DESTAQUES - Máfia do Turismo planejava fraudes em outros setores. Dono afirma que deputada queria 'ONG como 'laranja'. Para foragido, investigação da PF no Turismo é um "circo". Dilma pede austeridade e cautela para baixar juros. Indústria: corte de R$ 16 bilhões em investimentos. Sobe total de evangélicos sem vínculo com igrejas. Ordem de juíza assassinada leva PMs a prisão no Rio. Susepe projeta mil tornozeleiras até 2012 para desafogar cadeias no Rio Grande do Sul. Internet brasileira funciona na base da legislação virtual. 452 mil servidores podem se aposentar até 2015.

DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, SEXTA-FEIRA, 15 DE AGOSTO DE 2011.

Valor Econômico

Dilma pede austeridade e cautela para baixar juros
A presidente Dilma Rousseff determinou ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, que use "mão-de-ferro" na gestão das contas públicas e mostrou uma visão cautelosa sobre a redução da taxa de juros caso a situação internacional se agrave. "Ninguém mais do que eu quer baixar a taxa de juros, mas não é assim tão fácil. Não é uma questão de vontade", disse a presidente a um interlocutor, na semana passada.

O governo listou 19 projetos cuja tramitação no Congresso, por elevar despesas, deve ser brecada. Desses, três concedem reajustes de salários ao Poder Judiciário, ao custo de R$ 7 bilhões, ao Ministério Público, R$ 750 milhões, e aos servidores do Tribunal de Contas da União, mais R$ 350 milhões. Dilma está preocupada com o aumento dos gastos públicos para 2012 e já conversou com líderes do governo no Congresso para que evitem aprovar esses projetos. Ela pretende manter a meta de superávit primário em torno de 3% do PIB. (págs. 1, A3 e A4)
Mortalidade de empresas cai após nova lei
Enquanto o número de falências no país diminuiu 60%, as recuperações judiciais mais que dobraram na comparação entre 2006, primeiro ano cheio de vigência da nova Lei de Falências, e 2010. O quadro sugere que a Lei nº 11.101, que entrou em vigor em junho de 2005, está cumprindo seu papel. O número de falências cai, enquanto o de recuperações judiciais cresce, segundo levantamento da Serasa Experian, feito a pedido do Valor. Em 2006, foram decretadas 1,9 mil falências. Em 2010, 732. Já o número de recuperações deferidas passou de 155 para 361. O Sudeste concentra o maior número de pedidos, não só por ter um grande número de empresas, mas também por contar com uma estrutura judicial adequada. A capital paulista tem duas varas e uma câmara de segunda instância especializadas no tema. (Págs. 1 e E1)
Crise abre chance de cortar Selic
A turbulência dos mercados nas últimas semanas reflete, na verdade, a forte correção nos preços das ações, provocada pela frustração da recuperação das economias centrais. Não se trata de nova crise, mas do desdobramento da crise de 2008. "Ela [a crise] apenas não acabou", disse ao Valor André Lara Resende, em rara entrevista. Um dos principais formuladores do Plano Real, o economista explicou que, se a economia chinesa desacelerar de forma abrupta, haverá "repercussões muito sérias" sobre o restante do mundo. O Brasil, disse, será atingido e o governo deve aproveitar a oportunidade para, ao contrário do que fez em 2008, manter os gastos públicos sob controle e reduzir os juros de forma mais agressiva. É uma chance, afirmou, de tirar o país do binômio juro alto e real sobrevalorizado, insustentável a longo prazo. (Págs. 1 e C10)

Caso 'Lalau' faz 20 anos sem solução
No início de 1992, o então presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo, Nicolau dos Santos Neto, abriu licitação para a construção do futuro fórum trabalhista da capital, que iria se transformar em um dos maiores escândalos de desvio de dinheiro público da história do país. Passados quase 20 anos, somente dois dos inúmeros procedimentos abertos para recuperar o dinheiro desviado e punir os responsáveis foram concluídos, ambos independentes do Judiciário brasileiro: em um deles, a Justiça dos EUA acatou o pedido para devolver um apartamento comprado pelo ex-juiz em Miami, que foi leiloado e o dinheiro entregue ao Tesouro Nacional; no outro, o Senado cassou o então senador Luís Estevão, que ficou inelegível por 10 anos, até 2012.

Na Justiça brasileira, dezenas de processos ainda não chegaram ao final, embora desde 1998 os réus estejam com seus bens bloqueados. Nicolau vive em prisão domiciliar e os demais aguardam o julgamento de recursos em liberdade. (Págs. 1 e A16)

Como o legado de Salvador Arena floresceu sem seu criador
Treze anos depois da morte de seu polêmico fundador, Salvador Arena, a Termomecanica, maior fabricante de manufaturados de cobre do país, rompeu o silêncio sobre seus planos. Acaba de comprar duas fábricas, no Chile e Argentina, por US$ 30 milhões, e toca expansão de R$ 300 milhões nas unidades de São Bernardo. Faturou R$ 1,2 bilhão em 2010.

Comandada por Regina Venâncio, presidente, e Nelson Leme Silva, vice, a empresa foi dada com alvo certo de aquisição quando perdeu seu condutor, em 1998. Em vez disso, fortaleceu-se financeiramente - tem R$ 500 milhões em caixa -, paga 20 salários por ano aos empregados e já forma seus futuros líderes. (Págs. 1 e B8)
Companhias descobrem a mobilidade
Cada vez mais brasileiros estão usando aplicativos em smartphones e tablets para facilitar seu trabalho. Softwares que funcionam como atalhos para o acesso a conteúdos específicos, os aplicativos, inicialmente, caíram nas graças do consumidor como um caminho para variadas formas de entretenimento - nas lojas, há milhares de opções para redes sociais ou jogos on-line. Agora, a alternativa chega ao segmento empresarial.

Companhias de diversas áreas estão desenvolvendo internamente ou encomendando aplicativos que lhes permitem agilizar processos sem a necessidade de o funcionário estar no local de trabalho. A metalúrgica Lopsa está implantando um sistema em que o supervisor da fábrica vai atualizar, de hora em hora, os dados de produção de cada máquina com a ajuda do iPad - trabalho hoje feito manualmente. A Natura já registrou 5 mil donwloads da versão para iPad de seu catálogo de vendas. (Págs. 1 e B3)
A nova cara do PanAmericano
O time comandado por José Luiz Acar, sócio do BTG Pactual e ex-vice-presidente do Bradesco, começa a colocar em ação o novo plano de negócios do banco PanAmericano que, até janeiro, pertencia ao apresentador e empresário Silvio Santos. A reformulação passa pela revisão dos modelos de contratos de financiamento, aprimoramento dos processos de aprovação de crédito e de cobrança e contratação de novos funcionários - até agora foram cerca de 60. Esse trabalho, segundo Acar, ainda vai demandar cerca de seis meses daquilo que chama de "umbigo no balcão". Enquanto essa nova estrutura não estiver em pé, não se verá no PanAmericano um crescimento extraordinário no crédito. O ritmo até desacelerou. De janeiro a março, a média de desembolso mensal em novos empréstimos era de R$ 575,5 milhões; e, de abril a junho, foi de R$ 498,2 milhões.

No plano traçado para a nova fase do banco, está a redução do peso do financiamento a veículos, dos atuais 70% da carteira para algo em torno de 50% e 55%. Novas modalidades de financiamento, como o crédito pessoal, ganharão importância. A ideia é ocupar, com as 250 lojas de rua que o banco detém, o espaço que outras instituições deixaram para trás com o fechamento de redes como Losango, do HSBC, e Fininvest, do antigo Unibanco. (Págs. 1 e C1)
Governos discutem como bloquear o ativismo on-line (Págs. 1 e A13)

Cristina Kirchner liderou as primárias realizadas ontem na Argentina (Págs. 1 e A12)

Indústria reage a ex-tarifários
Aumento na concessão de ex-tarifários - benefício fiscal à importação de máquinas sem similar nacional - preocupa os fabricantes brasileiros, que alegam ter capacidade para produzir boa parte desses bens. (Págs. 1 e A2)
Presidente revisita Celso Furtado
Passagens da obra de Celso Furtado, segundo os quais o Brasil tem capacidade de construir seu próprio futuro e o Estado deve ser responsável pelo planejamento de longo prazo, inspiram a presidente Dilma no enfrentamento da crise internacional. (Págs. 1 e A8)

Fundo dos EUA na Sete Brasil
O fundo americano Energy & Infrastructure Group (EIG) investiu R$ 250 milhões na Sete Brasil, empresa criada pela Petrobras, junto com fundos de pensão e bancos, para construir sondas de exploração de petróleo no Brasil. (Págs. 1 e B1)
Inovação
O Estado de São Paulo investiu o equivalente a 1,52% de seu Produto Interno Bruto (PIB) em pesquisa e desenvolvimento (P&D) durante 2008, o equivalente a RS 15,5 bilhões, sendo que as empresas foram responsáveis por 62% do total, diz Carlos Henrique de Brito Cruz, da Fapesp. (Págs. 1 e Especial)
Construção verde na internet
A Greenvana, criada por Marcos Wettreich (fundador do iBest), lança em setembro um site para a venda de materiais de construção. Todos os produtos terão de ter sustentabilidade certificada. (Págs. 1 e B6)
Mais dinheiro no campo
A colheita recorde de grãos e os preços internacionais ainda elevados continuam a impulsionar o valor bruto da produção das 20 principais culturas plantadas no país, que deverão somar R$ 198,2 bilhões em 2011, 9,9% acima do ano passado. (Págs. 1 e B12)
Expansão algodoeira
Com parte da produção de 2012 já negociada e maior volume de sementes transgênicas, que reduzem o gasto com defensivos, produtores de algodão devem aumentar a área plantada na safra 2011/12 em mais de 10%. (Págs. 1 e B12)
Opção por ativos reais
Com o cenário desfavorável para a bolsa de valores, cresce o interesse de investidores qualificados por aplicações em ativos ligados à economia real, como a aquisição de participações em empresas ou a compra de imóveis. (Págs. 1 e D1)

Ideias
Luiz Carlos Mendonça de Barros

Com o legislativo dos EUA dividido, um programa fiscal da complexidade exigida pela crise parece um sonho impossível. (Págs. 1 e A15)
Ideias
Simon Johnson

Atuação do Tea Party nesta crise lembra a frase de Jonathan Swift:
'Partido é a loucura de muitos, para o ganho de poucos'. (Págs. 1 e Al5)

O Globo

Máfia do Turismo planejava fraudes em outros setores
Construção de porto em concorrência viciada é citada por diretor de ONG

A organização acusada de desviar verbas do Turismo no Amapá, alvo da Operação Voucher, pretendia cometer mais fraudes em outros estados e setores, segundo apurou a Polícia Federal. Em conversa interceptada, Luiz Gustavo Machado, diretor do Ibrasi, diz a um empresário que pretendia dar a ele o contrato para construir um porto, numa concorrência viciada. Obras em cidades da Paraíba e de São Paulo também são citadas por outros funcionários da ONG. Uma das estratégias do grupo era comprar o CNPJ de ONGs, além de fraudar comprovantes de pagamento e lista de presença de cursos inexistentes, concluiu a PF. A investigação mostra ainda que uma funcionária do Ministério do Turismo foi ao Amapá orientar uma das ONGs suspeitas a forjar uma prestação de contas. (Págs. 1, 3 e 5)

'Você lembra que ficou de negociar aquele preço? A gente vai lá e compra o CNPJ'
Dalmo Queiroz, sócio de ONG investigado

'Tinha uma concorrência pra pôr na sua mão, era para construir um porto'
Luiz Gustavo Machado, diretor de ONG suspeita
Kirchner vence e oposição argentina fica mais dividida
Cristina Kirchner pode vencer no primeiro turno as eleições de 23 de outubro. Números preliminares oficiais indicaram que ela teve ontem mais de 45% dos votos nas primárias e está mais de 30 pontos percentuais acima do segundo colocado. A oposição ficou dividida entre Eduardo Duhalde e Ricardo Alfonsin. (Págs. 1 e 23)

O Tea Party mostra força com a vitória de Michelle Bachmann em pesquisa e preocupa Obama, que antecipa campanha. (Págs. 1 e 23)
Indústria: corte de R$ 16 bilhões em investimentos
A insegurança causada pela nova turbulência na economia mundial deve levar as empresas a engavetarem projetos já este ano. Segundo a Fiesp, o corte nos investimentos pode passar de R$ 16 bilhões. (Págs. 1 e 19)
Quadrilha das vans tramava morte de juíza
A juíza Patrícia Acioli, executada com 21 tiros, foi avisada em 2009 pela Polícia Federal de que réus ligados à máfia das vans planejavam um atentado contra ela. O fato foi registrado numa ação judicial. (Págs. 1 e 11)
Contas de Friburgo são bloqueadas
A exemplo de Teresópolis, a CGU mandou bloquear as contas da prefeitura de Nova Friburgo, atingida pelas chuvas de janeiro. Os técnicos acharam indícios de irregularidades e até saques em espécie. (Págs. 1 e 12)
Governo estuda regra fixa para reajustar servidor (Págs. 1 e 9)

Folha de S. Paulo

Sobe total de evangélicos sem vínculo com igrejas
Proporção de fiéis sem ligação direta com denominações foi de 4% para 14%

O número de evangélicos que não mantém vínculo com nenhuma igreja cresceu. Segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares, do IBGE, eles passaram de 4% do total de evangélicos em 2003 para 14% em 2009.

Entram nessa categoria tanto pessoas que frequentam cultos de várias igrejas como gente que se afastou de sua denominação de origem, mas não deixou de se considerar evangélica. (Págs. 1 e Poder A4)
Para foragido, investigação da PF no Turismo é um "circo"
Considerado foragido pela Polícia Federal na investigação sobre desvios no Turismo, Humberto Silva Gomes disse em blog que suas falas estão fora de contexto e chamou a Operação Voucher de
"Operação Circus".

O empresário, que está nos EUA, disse que se apresentará na quarta para depor sobre suposto envolvimento em fraudes. (Págs. 1 e Poder A6)
Bovespa em baixa oferece oportunidade para compras
A baixa da Bovespa oferece a quem tem sangue-frio uma boa oportunidade de comprar pechinchas, mas é preciso cautela.

A dificuldade é saber se os preços das ações não vão cair mais e quanto tempo levará a recuperação. Analistas sugerem que o investidor diversifique as apostas e se prepare para resgate a longo prazo. (Págs. 1 e Folhainvest B1)
O caminho das pílulas
Depois dos postos de coleta de recicláveis, pilhas usadas e até óleo de cozinha, ganham espaço os que recolhem remédios vencidos. Em São Paulo, redes de farmácia e postos de saúde já prestam o serviço.

Estima-se que entre 10 mil e 28 mil toneladas de drogas sejam jogadas fora a cada ano. (Págs. 1 e Saúde C8)
Ordem de juíza assassinada leva PMs a prisão no Rio
Mandados expedidos pela juíza Patrícia Acioli na quinta passada, dia em que foi assassinada em Niterói (RI), levaram ontem à prisão seis policiais militares.

Segundo o Ministério Público do Rio, o grupo tentou forjar um auto de resistência - registro de morte de civil em confronto com a polícia.

Os advogados dos policiais não foram localizados pelo jornal. (Págs. 1 e Cotidiano C3)
Poder: Homem entra na Justiça dizendo ser filho de Assis Chateaubriand. (Págs. 1 e A8)

Editoriais
Leia "Choque elétrico", sobre o preço elevado da energia no Brasil, e "Quando a cultura mata", acerca de projeto contra infanticídio em aldeias. (Págs. 1 e Opinião A2)

O Estado de S. Paulo

Dono afirma que deputada queria 'ONG como 'laranja'
Wladimir Furtado, da Conectur, acusa Fátima Pelaes (PMDB-AP) de propor acordo no esquema do Turismo

Em entrevista exclusiva, Wladimir Furtado, dono da Conecrur - entidade investigada por fraudes com verba do Ministério do Turismo no Amapá -, revelou que recebeu proposta da deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) para ser "laranja" num convênio de R$ 2,5 milhões com o governo federal. "A deputada queria pegar a Conectur para servir de laranja. Ela gostaria que a Conectur entrasse só com o nome", disse Furtado ao Estado. "Ela queria fazer o serviço do jeito dela, que ela tomasse conta", afirmou. O dinheiro foi liberado à Conectur em 2009 pelo Ministério do Turismo. Furtado foi preso pela Operação Voucher, da Polícia Federal. É a primeira vez que ele admite o suposto envolvimento da deputada Fátima Pelaes no esquema que levou 36 pessoas à prisão na terça-feira. A deputada nega ter qualquer participação nas irregularidades que estão sendo investigadas pela Polícia Federal. (Págs. 1 e Nacional A4)

Wladimir Furtado
Dono da Conectur

"A deputada Fátima Pelaes queria pegar a Conectur para servir de laranja. Ela gostaria que a Conectur entrasse só com o nome. Ela queria fazer o serviço do jeito dela." (Pág. 1)
Depois da 'faxina', PR ameaça deixar a base aliada
Principal alvo da "faxina" promovida pela presidente Dilma Rousseff no Ministério dos Transportes, o Partido da República (PR) ameaça deixar a base do governo. A decisão será anunciada amanhã em discurso do senador Alfredo Nascimento (AM), que deixou o comando dos Transportes por conta das denúncias de corrupção e hoje preside o partido. (Págs. 1 e Nacional A6)
Governo espera o IPCA para definir juro
Antes de decidir sobre cortes nos juros, o governo prefere esperar os dados do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de agosto, Se for confirmado o recuo dos preços, haverá espaço para redução da Selic. Analistas acreditam que uma desaceleração da economia no segundo trimestre também pede levar o Banco Central a cortar juros na reunião seguinte. (Págs. 1 e Economia B1)
Saúde da Família cede por médicos
Para driblar a falta de médicos do Programa Saúde da Família, o governo vai criar alternativas para a jornada de trabalho. Além da opção de 40 horas semanais, eles poderão cumprir 20 ou 30 horas. (Págs. 1 e Vida A14)

Cristina lidera nas prévias argentinas
Pesquisas de boca de urna na Argentina indicavam ontem que a presidente Cristina Kirchner teria obtido de 41% a 46% dos votos nas convenções partidárias que definem os candidatos às eleições gerais de outubro. (Págs. 1 e Internacional A13)

Foto legenda: Vantagem. Candidata é favorita.
Síria usa Marinha contra a oposição
O regime de Bashar Assad ignorou os apelos para conter a violência e pela primeira vez usou a Marinha contra a oposição. Ao menos 26 pessoas morreram nos disparos feitos por navios em Latakia. (Págs. 1 e Internacional A9)

Ataque taleban no Afeganistão mata 22 (Págs. 1 e Internacional A10)

Carlos A. Sardenberg
O Brasil ficou muito caro

O que impede o crescimento mais rápido do País, o que nos derrota na concorrência com os chineses é o governo - que gasta demais, e mal. (Págs. 1 e Economia B2)
Denis Lerrer Rosenfield
Princípios republicanos

Já está mais do que passada a hora de o Brasil se organizar segundo princípios e valores republicanos, acima das disputas partidárias. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
Notas & Informações
Jogo duplo no orçamento

O governo quer jogar para duas plateias em 2012: a do mercado financeiro e a do eleitorado. (Págs. 1 e A3)

Correio Braziliense

452 mil servidores podem se aposentar até 2015
Nos próximos quatro anos, 40% dos funcionários da União estarão em condições de pedir a aposentadoria. Isso representa um aumento considerável de gastos para o governo, mas significa uma grande oportunidade para aqueles que sonham em ingressar no serviço público por meio de concurso. Um dos órgãos que mais precisarão de trabalhadores é o Banco Central, que poderá ter o quadro reduzido em mais de 50% até 2013. O Senado também se prepara para contratar servidores. O Ministério do Planejamento já anunciou estar atento ao problema e novas seleções deverão ser realizadas. (Págs. 1 e 7)
Corrupção: Fraudes com ONGs somam R$ 360 milhões e Planalto revê contratos
Auditorias da Controladoria-Geral da União identificam desvios em convênios assinados nos últimos 18 meses e indicam o envolvimento de servidores. A Secretaria-Geral da Presidência estuda delegar aos próprios ministros a assinatura de contratos com organizações não governamentais. (Págs. 1 e 2)
Verba pública: Dinheiro do FAT é usado na burocracia do Ministério do Trabalho
Parte dos recursos que deveriam ser destinados à qualificação do trabalhador brasileiro foi aplicada no pagamento de empresas fornecedoras de serviços burocráticos. Só em junho e julho do ano passado, o gabinete do ministro Carlos Lupi gastou R$ 185 mil do fundo em passagens aéreas. (Págs. 1 e 4)
Foto legenda: Verde preservado
O Ibran estuda a possibilidade de transformar um terreno de 16,8 mil m², entre as quadras 212 e 213 Norte, em Área de Preservação Permanente (APP) e incorporá-lo ao Parque Olhos D'Água. Projeto conta com o apoio de moradores e ambientalistas, como Ricardo Montalvão, mas esbarra em um impasse: partes da região pertencem à UnB e a um empresário. (Págs. 1 e 19)
Urbanismo: Adaptação de ciclovias é alternativa para o caos no trânsito
Para pesquisador, com algumas adequações em estradas já existentes, é possível criar pistas para ciclistas a baixo custo em quase todo o Distrito Federal. Iniciativa incentivaria mais pessoas a trocar o carro pela bicicleta e ajudaria a desafogar o trânsito caótico. (Págs. 1 e 20)

Estado de Minas

Uma bomba-relógio nos cofres do Estado
O governo de Minas poderá ser obrigado a devolver milhões de reais descontados dos salários de servidores para custear um plano de saúde atrelado ao Ipsemg. Já há decisões nesse sentido no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) – primeira instância – e o Superior Tribunal de Justiça (STJ) garantiu ressarcimento a alguns funcionários. Em abril do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucional a cobrança, instituída em 2002 por lei complementar aprovada na Assembleia. Só não explicou se a decisão deveria ser aplicada a partir de então ou retroativamente ao texto que autorizou os descontos em folha. Se prevalecer essa última tese, o funcionalismo terá direito a receber contribuições recolhidas nos últimos cinco anos. (Págs. 1 e 3)
Inferno na Reserva de Fechos
Um incêndio consumiu 60 dos 602 hectares de mata nativa da estação ecológica de Nova Lima, Região Metropolitana de BH. O fogo começou no fim da tarde de sábado e só foi controlado ontem à noite. As chamas levaram medo a moradores do Condomínio Pasárgada, vizinho à área verde. Uma brigada do Corpo de Bombeiros mantém vigília para evitar surgimento de outros focos na vegetação seca. (Págs. 1 e 21)
Radares de fachada
Cinco aparelhos de controle de velocidade instalados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) na BR-381, no trecho conhecido como Rodovia da Morte, estão desligados. Em vez de salvar vidas, se juntam a outras perigosas armadilhas. Veículo dirigido por quem não sabe da inutilidade do equipamento corre o risco de ser esmagado por carreta em alta velocidade. (Págs. 1, 17 e 19)
Ferrovia: Obra elimina antigo gargalo na Grande BH
Investimento de R$ 138 milhões na duplicação e modernização do trecho entre os bairros do Horto, na capital, e General Carneiro, em Sabará, vai facilitar o escoamento de grãos para o porto de Vitória (ES). (Págs. 1 e 10)
Funcionalismo: 452 mil vagas federais em quatro anos
Até 2015, pelo menos 40% do 1,1 milhão de servidores da União podem se aposentar. A debandada vai pesar nos cofres do país, mas abrirá oportunidades de trabalho por meio de concurso público. (Págs. 1 e 11)
Consumidor
Cuidado com promoções e mercadorias enganosas. (Págs. 1 e 12)

Jornal do Commercio (PE)

Cursos para entrar na Fiat
Cadeia formada pela montadora e seus fornecedores deve gerar quase 20 mil empregos e o JC mostra as melhores opções para capacitação, como as escolas técnicas e o Senai. Preparação dos candidatos às vagas em Goiana vai durar até três anos. (Págs. 1 e 6)

Zero Hora (RS)

Susepe projeta mil tornozeleiras até 2012 para desafogar cadeias
Empresa que fornecerá equipamento para o Estado será conhecida hoje e deve disponibilizar 400 unidades até setembro e mais 600 no próximo semestre. (Págs. 1 e 30)
Capital-Guaíba: Burocracia compromete prazos da hidrovia
Alternativa à ponte deveria entrar em operação em outubro. (Págs. 1, 4 e 5)
Vereadores gaúchos: 42 Câmaras gastam além do permitido
Presidentes dos Legislativos podem ter de devolver dinheiro. (Págs. 1 e 8)
Educação no RS: Dilma anuncia mais sete escolas técnicas
Municípios vão ceder área para construção de prédios. (Págs. 1 e 22)

Brasil Econômico

Internet brasileira funciona na base da legislação virtual
Juristas discutem que, antes de definir regulamentação para a web, seria preciso avançar na definição de crimes virtuais para evitar decisões judiciais controversas. Por ora, sem legislação específica, o direito digital vive de jurisprudência no Brasil, enquanto a Lei Azeredo — que poderia definir a questão — está em tramitação há 12 anos e ainda causa polêmica. (Págs. 1 e 4)
Operação da Polícia Federal expõe o ministro Cardozo
Além de desmontar um esquema de corrupção instalado no Ministério do Turismo e abrir nova frente de crise na base aliada, a Operação Voucher escancarou lacuna na estratégia política do governo. (Págs. 1 e 10)
Gaia e Fator idealizam um CRI lastreado em CRI
O banco e a securitizadora preparam a emissão do primeiro Certificado de Recebíveis Imobiliário (CRI) lastreado em CRIs. A iniciativa ainda precisa do aval da CVM para sair do papel. (Págs. 1 e 30)
Classe C busca equilíbrio entre preço e qualidade
2º Fórum de Marketing Empresarial aponta que emergentes migram para produtos mais caros quando reconhecem valor agregado. (Págs. 1 e 36)
Inace, do Ceará, fornece barco de pesquisa para a USP
Embarcação permitirá estudar toda plataforma continental de São Paulo. Para estaleiro, instituições científicas e Marinha são novas oportunidades de negócios. (Págs. 1 e 18)
Odontoprev cresce 19% no trimestre e amplia operação com pequenas e médias empresas e clientes individuais, diz José Roberto Pacheco (Págs. 1 e 24)

Fontes: Radiobras e JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br