Atualizado 19h56 Quinta, 15 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Transparente ou sigiloso?

379 acessos - 0 comentários

Publicado em 12/06/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



O jurista Walter Maierovitch analisa o enriquecimento de Antonio Palocci: "Ganhou proporcionalmente mais que Al Capone. Palocci embolsou R$ 20 milhões em dois meses, contra US$ 60 milhões do mafioso em 13 anos". OUTROS DESTAQUES - Crise política não abala imagem do governo, mas país está pessimista com a economia, indica Datafolha. Maioria quer participação de Lula no governo. Dilma contraria PT e escolhe Ideli para articulação política. Battisti e Satiagraha - A Justiça brasileira ofende o direito, a moral e a razão. Caso Battisti: Itália chama o embaixador. Indústria reduz investimento, mas quer manter inovação. Bombeiros são libertados no Rio.

DESTAQUES DE JORNAIS E REVISTAS BRASILEIROS, DOMINGO, 12 DE JUNHO DE 2011.

O Estado de S. Paulo

Indústria reduz investimento, mas quer manter inovação
Pesquisa da Fiesp indica queda de 4,7% no recurso investido; já aperfeiçoamento da produção terá alta de 16,6%

Pressionada pela desaceleração econômica e pelo avanço dos importados, a indústria brasileira de transformação deverá reduzir seus investimentos neste ano, menos em inovação. Pesquisa da Fiesp indica que os investimentos das empresas do setor deverão somar R$ 167,15 bilhões, o que representará redução de 4,7% em relação aos R$ 175.4 bilhões do ano passado. Os recursos destinados à inovação de processos e produtos, no entanto, deverão dar um salto de 16,6%, de R$ 17,4 bilhões, no ano passado, para R$ 20,3 bilhões, agora. Das empresas pesquisadas pela Fiesp, 33% disseram que não pretendem fazer nenhum investimento em 2011. No ano passado, eram 23,6%. (Págs. 1 e Economia B1)

Expectativa de expansão cai

Consultorias projetam alta de 3,4% do PIB neste ano, ante 4,5% previstos pelo governo. (Págs. 1 e Economia B4)
Dilma retoma nomeações para atender aliados
Ao nomear, na sexta-feira, um aliado para a estratégica presidência do Banco do Nordeste, a presidente Dilma Rousseff procurou mostrar o restabelecimento do fluxo de negociação do governo. A medida é parte do esforço de retomada da articulação política na semana em que Antônio Palocci deixou a Casa Civil e Luiz Sérgio foi substituído por Ideli Salvatti na Secretaria das Relações Institucionais. (Págs. 1 e Nacional A4)

Transparente ou sigiloso?
Quando se trata da ética do homem público, o que prevalece, a transparência perante os cidadãos ou a confidencialidade que interessa à clientela? O jurista Walter Maierovitch analisa o enriquecimento de Antonio Palocci: "Ganhou proporcionalmente mais que Al Capone. Palocci embolsou R$ 20 milhões em dois meses, contra US$ 60 milhões do mafioso em 13 anos". (Pág. 1)

Libertados, bombeiros desfilam como heróis (Págs. 1 e Metrópole C6)

Estâncias crescem, mas sem estrutura
O Censo 2010 mostra que estâncias turísticas de SP ficaram abaixo da média em itens como acesso à rede de esgoto, água tratada, coleta de lixo e energia elétrica. (Págs. 1 e Metrópole C1)
Transporte para Copa está atrasado
Cinco das 12 cidades-sede da Copa de 2014 estão com o calendário das obras de transporte tão atrasado que nem firmaram os contratos com a Caixa Econômica Federal. (Págs. 1 e Esportes E6)
Pedro Malan
O primeiro inverno de Dilma

Dilma dá a impressão de que chega ao seu primeiro inverno como presidente com a percepção de que tudo é mais duro do que antes parecia. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
Notas & Informações
A lentidão do Cade

O problema afeta as operações e as finanças das empresas que dependem de suas decisões. (Págs. 1 e A3)

O Globo

Taxa de incêndio paga viagem de bombeiros a Europa e EUA
Recursos são usados também para construir pontes no interior

Independentemente da crise no Corpo de Bombeiros do Rio, 33 tenentes-coronéis viajarão em agosto para a Europa, com recursos da taxa de incêndio, num roteiro que inclui Paris, Roma, Berlim e Lisboa, com R$ 14,3 mil para cada um durante a estadia. Outros 42 capitães embarcarão no mesmo mês para Atlanta, nos EUA, cada um com R$ 5.232 para as despesas do período. Os gastos, sem incluir passagens aéreas, chegarão a R$ 694 mil, revelam Antonio Werneck e Fábio Vasconcellos. A taxa de incêndio, criada para equipar o Corpo de Bombeiros, agora paga, além das viagens, construção de pontes no interior do estado. A corporação diz que os oficiais farão cursos e as despesas estão previstas em lei. (Págs. 1 e 18)
Foto legenda: Bombeiros são libertados
Cerca de 400 bombeiros deixam o quartel da corporação, em Niterói, onde ficaram presos por uma semana. Hoje, eles farão uma passeata pela orla de Copacabana. A PM suspendeu o estado de prontidão que seria mantido durante o ato. (Págs. 1, 18 e 19)

Folha de S. Paulo

Dilma mantém aprovação apesar de Palocci e inflação
Crise política não abala imagem do governo, mas país está pessimista com a economia, indica Datafolha

A crise ministerial que levou a demissão de Antonio Palocci (Casa Civil) na última terça e a alta da inflação no país não tiveram impacto negativo na aprovação do governo de Dilma Rousseff.

É o que aponta pesquisa do Datafolha realizada na quinta e na sexta-feira. (Págs. 1 e Poder)
Maioria quer participação de Lula no governo
Para 64% dos brasileiros, Lula deveria participar das decisões da presidente Dilma, aponta a pesquisa Datafolha. E quatro de cada cinco entrevistados acham que ele já participa das decisões.

No auge do caso Palocci, Lula foi a Brasília tentar socorrer o governo. (Págs. 1 e Poder A6)
FHC recebe carta da presidente com elogios (Págs. 1 e Poder A7)
Mauro Paulino
Aval à 'mulher de Lula' se sobrepõe a ameaças atuais. (Págs. 1 e Poder A6)
Elio Gaspari
Presidente evitou que governo e PT virassem o PMDB. (Págs. 1 e Poder A16)
Danuza Leão
Gleisi é a única petista que usa saia e até sorri. (Págs. 1 e Cotidiano C2)
Ministra vai de 'trator' em MS a 'dura, mas doce' no PR
De 1999 a 2001, no governo de Zeca do PT em MS, a ministra Gleisi Hoffmann conduziu reforma que incluía cortes de gastos e de pessoal e fusões e extinções de empresas públicas. Consolidou à época fama - confirmada por colegas do Senado - de ser um "trator".
Em 2002, foi por sete meses secretária em Londrina (PR). Ali, é lembrada como "dura, mas doce". (Págs. 1 e Poder A14)
Nem expansão de usinas consegue reduzir tarifas
Nem com as hidrelétricas na região amazônica, que responderão por 23% da oferta de energia no país nesta década, o país conseguirá reduzir as tarifas. A razão: 12 tributos e 11 encargos na conta de luz, de acordo com o governo. (Págs. 1 e Mercado B1)
Consenso de Brasília
A vitória de Ollanta Humala no Peru faz avançar na América Latina o "consenso de Brasília": regimes de esquerda moderada que pretendem unir inclusão social, estabilidade macroeconômica e nacionalismo na exploração de recursos naturais. (Págs. 1 e Mundo A22)
Editoriais
Leia “É a economia, Obama", que analisa o cenário eleitoral nos Estados Unidos e "De bactérias e pepinos", sobre o atual surto nos países europeus. (Págs. 1 e Opinião A2)
Pagamento de direitos autorais opõe Ecad e empresas (Pag. 1 e Ilustrada, E1)

Correio Braziliense


Brasil cresce, mas ainda é o país da desigualdade
Mesmo com a economia em boa fase e com os avanços sociais, o abismo entre as regiões está longe de ser reduzido. Ao longo da última década, as diferenças apenas ganharam novos formatos. (Págs. 1, 12 e 14)

Planalto remodelado
Com as mudanças na articulação política, Dilma vai ampliar participação de parlamentares nas decisões. (Págs. 1 e 2)
Justiça: A cada hora, um pedido de pensão no DF
Assunto ainda delicado na sociedade brasileira, a cobrança de pensão alimentícia não para de crescer no país. Nos primeiros cinco meses de 2011, as varas de Família do Distrito Federal receberam 3.787 ações, 24 por dia. O aumento nos casos de divórcios colabora para a multiplicação dos processos. (Págs. 1, 32 e 33)
No Gama: Ladrões usam explosivos em caixa eletrônico
Às 3h da madrugada de sábado, bandidos atacaram um terminal de saque localizado entre o Shopping do Gama e o Estádio Bezerrão. Os assaltantes fugiram sem o dinheiro, apesar da destruição do equipamento. É a primeira vez que a polícia registra um caso desse tipo no Distrito Federal. (Págs. 1 e 28)

Estado de Minas


Duas rodas, muitos crimes
As motocicletas já são usadas em 60% dos assaltos na Grande BH, conforme registros da Polícia Civil. Para os assaltantes, o veículo garante agilidade na fuga, driblando engarrafamentos e transpondo obstáculos como canteiros centrais. Além disso, o capacete impossibilita a identificação dos criminosos. Os roubos com moto também são frequentes no interior. Para reduzí-los, cidades como Montes Claros aprovaram leis que proíbem a entrada de pessoas com capacete em prédios comerciais e residenciais. Projeto de igual teor tramita na Assembleia Legislativa e pode estender a medida a todo o estado. (Págs. 1 e 27)

Poder público: Exigência de ficha limpa se alastra
Na esteira da lei nacional, que fez um ano, Minas, Mato Grosso do Sul e Paraíba aprovaram legislações que barram os fichas-sujas. A norma também já está em vigor em pelo menos 13 municípios do estado. (Págs. 1 e 6)
Sobe o custo dos serviços domésticos
Bancar trabalhadores em casa ficou mais caro em BH. O salário da categoria aumentou 11,2% em 2010, contra reajuste médio geral de 4,4%. A renda média das domésticas subiu para R$ 564. Enfermeiras chegam a ganhar R$ 3.800. (Págs. 1 e 15)
Banco Central
Tombini tem dificuldade de preencher diretorias. (Págs. 1 e 20)
A nossa Pré-história
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) apresenta em agosto o primeiro mapa arqueológico de Minas. O trabalho aponta 1.053 sítios que abrigam vestígios da vida humana no período pré-colonial. São pinturas rupestres, panelas de barro, urnas funerárias e outros artefatos, como os encontrados na Serra de Santo Antônio, em Andrelândia. (Págs. 1, 25 e 26)
Jornal do Commercio (PE)

Sobram vagas, faltam médicos
Portaria que proíbe profissionais de terem mais de dois vínculos públicos afasta médicos do interior. Tem cidade que perdeu quase todos os médicos do SUS de uma só vez. (Págs. 1 e Cidades 6)
Etanol está onde nem se imagina (Pág. 1)

Zero Hora (RS)

Lei polêmica dificulta a prisão de suspeitos
A partir de 5 de julho, prisão preventiva só será admitida em casos excepcionais ou de clamor público. (Págs. 1, 4 e 5)

Especialistas temem mais criminalidade. (Pág. 1)
Foto legenda: A três anos da Copa, só duas obras começaram
Das 17 obras para o Mundial em Porto Alegre, 15 estão em projeto ou licitação, mas os órgãos públicos dizem que existe tempo até 13 de junho de 2014. (Págs. 1 e 30 a 32)
Efeito vulcão: Sábado de filas e aviões lotados no aeroporto
Depois de mais de 200 voos cancelados entre quinta e sexta-feira, início da manhã registrou grande movimento de passageiros no Salgado Filho. (Págs. 1 e 34)
Rio de Janeiro: Após uma semana, bombeiros deixam prisão
Categoria reivindica, agora, anistia para não ser condenada no processo por motim e depredação do patrimônio público. (Págs. 1 e 35)
O X da educação
Escolas driblam erros em livros do MEC. (Págs. 1, 26 e 27)

REVISTAS SEMANAIS – DATAS DE CAPA

Veja, 15/6/2011.

Longevidade - Os donos do tempo
Os suplementos, as dietas, os exercícios e os estilos de vida dos primeiros seres humanos que estão conseguindo retardar o relógio biológico.

10 mitos da vida longa. (Pág. 1)
Battisti
Perigo, terrorista à solta. (Pág. 1)
Vida digital
O que muda com a "computação em nuvem". (Pág. 1)
Gleisi Hoffmann
A nova cara do governo Dilma. (Pág. 1)

Época, 13/6/2011.

Estado Ltda.
Um levantamento inédito destrincha 675 empresas com participação do governo federal - e comprova a necessidade urgente das privatizações. (Pág. 1)
Dilma reage
Depois de demitir Palocci, ela dará conta do desafio? (Pág. 1)
Férias escolares
Um guia de viagem e diversão para as crianças. (Pág. 1)
Pornografia digital
Um nova pesquisa revela o que os homens procuram na internet. (Pág. 1)

ISTOÉ, 15/6/2011.

O casal mais poderoso da República
Ele, ministro das Comunicações. Ela, nova ministra da Casa Civil. Casados, Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann formam agora um par com força inédita na história política do País. Quem são, como devem agir e qual a trajetória pessoal e profissional de ambos para chegar onde chegaram. (Pág. 1)
Os evangélicos e a ditadura
Como os militantes montaram uma rede de informantes nas igrejas para perseguir fiéis que lutavam contra o regime. (Pág. 1)
Exclusivo
A empresária Lucília Diniz revela que sofreu abuso aos 7 anos e foi obrigada a conviver com o agressor. (Pág. 1)

ISTOÉ Dinheiro, 15/6/2011.

O novo papel do JBS
O maior produtor de carnes do mundo investe R$ 5,1 bilhões em Mato Grosso do Sul para se tornar um gigante global de papel e celulose.

O empresário Joesley Batista contou à Dinheiro sua estratégia de diversificação e os próximos passos nas áreas financeira, de higiene e beleza, lácteos e energia. (Pág. 1)
Governo: Abrimos a cartilha de Gerdau (Pág. 1)
Economia: O que muda com Gleisi, a sucessora de Palocci (Pág. 1)
Franquias: O mapa dos bons negócios (Pág. 1)
Carta Capital, 15/6/2011.

Manchete: 7 de junho de 2011
Com a demissão de Palocci, Dilma Rousseff de fato toma posse. (Pág. 1)

Battisti e Satiagraha
A Justiça brasileira ofende o direito, a moral e a razão. (Pág. 1)
The Economist
30 anos depois, avanços animadores no combate à Aids. (Pág. 1)

EXAME, 15/6/2011 (QUINZENAL)

A febre das compras coletivas
O Groupon, de Andrew Mason, foi o primeiro. Agora, os sites de descontos prometem mudar o comércio em todo o mundo. Inovação genial ou uma nova bolha?

Mason fala a Exame:

"Como não pensaram nisso antes?" (Pág. 1)
Brasil: O que muda com a troca de Palocci por Gleisi Hoffmann na Casa Civil (Pág. 1)

Exclusivo: O novo presidente da Vale, Murilo Ferreira, fala sobre o futuro da empresa, investimentos e a relação com o governo (Pág. 1)

DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, SÁBADO, 11 DE JUNHO DE 2011.

O Globo


Dilma troca Articulação por Pesca. E vice-versa
Presidente dá recado ao PT de que não aceita ser posta contra a parede

Três dias depois da saída de Antonio Palocci da Casa Civil, ocupada agora por Gleisi Hoffmann, a presidente Dilma Rousseff fez outra troca em seu governo, mas desta vez apenas de posições. A ex-senadora Ideli Salvatti deixa o Ministério da Pesca para assumir a pasta de Relações Institucionais. E o também petista Luiz Sérgio, que perde a função de articulador político, vai para a Pesca. Dilma dobrou o PT, especialmente a bancada paulista da Câmara, que jogou pesado pela saída de Luiz Sérgio, mas acabou não ficando com o lugar do petista do Rio. Desta vez, diferentemente da escolha de Gleisi para o lugar de Palocci, a presidente conversou antes com o vice Michel Temer e líderes do PMDB, contendo eventual reação do partido. "Não sei se é a Idelizinha Paz e Amor, mas a do ouvir muito e negociar mais", disse ontem a ex-senadora, que ficou conhecida pela defesa intransigente do governo Lula quando era líder do PT e do governo no Senado. (Págs. 1 e 3 a 13)

Elas chegaram lá
O Palácio do Planalto parece agora o Clube da Luluzinha. Com a chegada de Ideli Salvatti à Secretaria de Relações Institucionais, são três mulheres, contra dois homens, entre os chamados ministros palacianos. A presidente Dilma, que contava apenas com a ministra da Secretaria de Comunicação Social, Helena Chagas, agora tem Ideli e a nova chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. No Airbus presidencial, o atendimento é feito exclusivamente por mulheres. Quase um terço do Ministério já é feminino. (Págs. 1 e 14)
Justiça agora dá liberdade a bombeiros
A Justiça decidiu libertar 429 bombeiros e dois PMs (número oficial divulgado pela Auditoria Militar) detidos desde a invasão do QG há uma semana. Até a noite, eles ainda não tinham deixado a prisão. O comandante e secretário de Defesa Civil, Sérgio Simões, disse que os militares voltarão imediatamente ao trabalho. (Págs. 1 e 18 a 22)
Vulcão cancela voos no Sul e em São Paulo
O aeroporto de Porto Alegre parou pelo segundo dia, por causa das cinzas vulcânicas vindas do Chile. Houve atrasos e cancelamentos de voos também em Florianópolis, Curitiba e São Paulo, mas a nuvem já se afastou do Brasil. (Págs. 1 e 33)
Caso Battisti: Itália chama o embaixador
Em mais uma reação à decisão do STF de negar a extradição de Cesare Battisti, o governo italiano convocou o seu embaixador no Brasil, Gherardo La Francesca, para a chamada "consulta". O Itamaraty considerou procedimento normal. (Págs. 1 e 17)

Folha de S. Paulo


Aliados criticam e oposição elogia ministra de Dilma
Para PT e PMDB, temperamento de Ideli Salvatti cria risco de crises; petista promete chamar partido 'a realidade'

Na segunda mudança ministerial, a presidente Dilma Rousseff contrariou o PT e o PMDB, seus maiores aliados, ao escalar Ideli Salvatti para a articulação política.

A petista substitui Luiz Sérgio (Relações Institucionais), apelidado de garçom, por "anotar pedidos" para o governo sem poder decidir. Ele assume a Pesca, pasta antes ocupada por Ideli. (Págs. 1 e Poder)
Foto legenda: Reforço
Ao lado de professores estaduais, bombeiros protestam diante da Assembleia Legislativa no centro do Rio; após habeas corpus para soltar 439 homens detidos em 2 quartéis, governador descartou pedir nova prisão. (Págs. 1 e Cotidiano 1, C4)
Com atraso, contrato de energia de SP será revisto
Quatro anos após vencer o prazo para o grupo AES elevar a geração de energia, o governador Geraldo Alckmin pedirá à Procuradoria Geral do Estado que avalie o contrato da empresa, que controla a Eletropaulo.
No contrato de privatização, a concessionária tinha até 2007 para agregar 400 MW. “Isso venceu e não foi feito", disse Alckmin.
A AES disse que entregará uma termelétrica a gás até 2016. (Págs. 1 e Cotidiano 2)
Bolsa de NY tem 6ª semana de queda; Bovespa também recua
No maior período de queda desde 2002, a Bolsa de Nova York fechou ontem em baixa de 1,4%. É a sexta semana seguida de queda. Desde o fim de abril, o índice Dow Jones recuou 6,7%.

No Brasil, o Ibovespa caiu 1,2% ontem e se desvalorizou 2,6% na semana, após duas semanas de recuperação. A retração já atingiu 9,5% no ano. (Págs. 1 e Mercado B1 e B3)
Com três vetos, Planalto aprova lei da lista de bons pagadores (Págs. 1 e Mercado B9 e B10)

Após libertação de Battisti, Itália chama de volta seu embaixador (Págs. 1 e Poder A8)

Mulheres entre 59 e 64 anos deverão fazer papanicolaou
Serão lançadas em julho novas diretrizes para o rastreamento do câncer de colo do útero no país, o quarto que mais mata mulheres.

Dada a alta na expectativa de vida, a faixa etária para fazer o papanicolaou passará a ser de 25 a 64 anos - antes era até 59 anos. O governo quer também que médicos evitem excessos desses exames. (Págs. 1 e Saúde, 4)
Cinzas de vulcão vão para o oceano; volta de voos deve lotar aeroportos (Págs. 1 e Cotidiano 1 e C12)

Editoriais
Leia "O dever dos credores", sobre a crise da dívida dos países europeus e "Começar de zero", acerca das mudanças no governo de Dilma Rousseff. (Págs. 1 e Opinião A2)

O Estado de S. Paulo

Dilma contraria PT e escolhe Ideli para articulação política
Petistas queriam Vacarezza; ex-senadora vai para o lugar de Luiz Sérgio, que será ministro da Pesca

Contra a vontade do PT, a presidente Dilma Rousseff nomeou a ex-senadora Ideli Salvatti (PT-SC) para a Secretaria de Relações Institucionais, que faz a articulação com o Congresso. Ideli vai substituir Luiz Sérgio (PT-RJ), alvo de ataques de petistas e que vai para o Ministério da Pesca, onde estava Ideli. Assessores de Dilma classificaram a decisão da presidente como um recado ao PT - ela considerou desrespeitoso o comportamento de deputados petistas que queriam impor o nome de Cândido Vacarezza (PT-SP) para o lugar de Luiz Sérgio. Agora, um triunvirato feminino vai negociar com parlamentares - Dilma, Ideli e Gleisi Hoffmann, que substituiu Antonio Palocci na Casa Civil. Após a nomeação, Ideli disse que não será "Idelizinha paz e amor", mas que dialogará “muito" - a começar pelo Orçamento da União. (Págs. 1 e Nacional A4, A8, A7 e A11)


Lula enquadra partido

O ex-presidente Lula defendeu a autoridade da presidente Dilma Rousseff. "O PT não vai impor ministério para ela. Tenho certeza de que ela não aceita", disse, em referência à briga entre alas do PT, sobretudo a paulista. (Págs. 1 e Nacional A11)

Itália eleva a pressão por conta do caso Battisti
A Itália suspendeu acordos, chamou seu embaixador e acusou o governo brasileiro de ter pressionado o Supremo Tribunal Federal para libertar Cesare Battisti. “Diante do ocorrido, não há diplomacia que se sustente", disse o ministro de Relações Exteriores, Franco Frattini. Além do já anunciado recurso italiano à Corte de Haia, diversas iniciativas regionais foram anunciadas como forma de protesto contra o Brasil. Alguns acordos de cooperação foram congelados. (Págs. 1 e Nacional A12)
Broto de feijão é origem da bactéria 'E. coli'
Após seis semanas do início do surto e da morte de 31 pessoas na Europa, autoridades sanitárias da Alemanha informaram que a cepa agressiva da bactéria E.coli surgiu originalmente em brotos de feijão cultivados numa fazenda orgânica no norte do país. A comprovação final ainda está sendo feita, mas a advertência contra o consumo de pepinos, tomates e alfaces foi retirada. (Págs. 1 e Vida A24)
Corinthians terá R$ 420 mi em incentivos
Projeto enviado à Câmara pelo prefeito Gilberto Kassab prevê concessão, pela Prefeitura, de um pacote de R$ 420 milhões em incentivos fiscais para o Corinthians construir seu estádio em Itaquera. O clube vai receber "certificados de incentivo ao desenvolvimento", no valor de R$ 50 mil cada. Os certificados servirão para abatimento de impostos como ISS e IPTU. O abono é o maior já concedido pela Prefeitura. (Págs. 1 e Esportes E2)
Foto legenda: Quartel vibra
Justiça do Rio mandou soltar bombeiros presos por invadir o QG da corporação. (Págs. 1 e Cidades C8)
Brasil apoiará Lagarde para o comando do FMI (Págs. 1 e Economia B18)

Estado agora planeja túnel Santos-Guarujá (Págs. 1 e Cidades C1)

Investimento cai e despesa da União sobe (Págs. 1 e Economia B1)

Vulcão chileno afeta voo doméstico no Brasil (Págs. 1 e Cidades C5)

Sérgio Telles
O que se aprende na escola

Como entender que homens como Strauss-Kahn e Palocci, inteligentes para alcançar o topo do poder, tenham agido de forma tão estúpida? (Págs. 1, C2+MUSICA e D12)
Tutty Vasques
Brasileiros de primeira viagem

A nova classe média sofre. Quem já dormiu em área de risco não esperava passar o fim de semana em aeroporto por causa de um vulcão. (Págs. 1 e Cidades C10)

Notas & Informações
São Paulo subdesenvolvida

A infraestrutura da capital econômica do Brasil ainda não chegou sequer ao final do século 20. (Págs. 1 e A3)

Correio Braziliense

Empresas de ônibus dão calote de R$ 29 milhões
Os grupos empresariais que controlam o sistema de transporte público não respeitam sequer os órgãos fiscalizadores. Todos os dias, as 14 concessionárias que operam no Distrito Federal são autuadas por colocarem nas ruas ônibus com pneus carecas, sem equipamentos obrigatórios de segurança — como extintores de incêndio e tacógrafos — e até com faróis queimados ou por não cumprirem horários e itinerários. Mas os barões do transporte não quitam a maioria das multas aplicadas pelo DFTrans. Desde 2003, deixaram de pagar aos cofres públicos R$ 29 milhões, dívida que se acumula também pela inoperância do poder público. Ontem, o governador Agnelo Queiroz anunciou uma intervenção no sistema. “A população terá conhecimento da margem de lucro correta para o empresário. O que não pode é um sistema tão precário como esse, de péssima qualidade, deixar o povo na rua”, prometeu. (Págs. 1, 33 a 35 e Visão do Correio, 24)


Ideli à frente da articulação
Num claro recado ao PT e aos aliados de que não aceita pressões, a presidente Dilma comanda a dança das cadeiras e elege Ideli Salvatti a articuladora com o Congresso. Luiz Sérgio ganhou a Pesca. (Págs. 1 e 2 a 4)
Vulcão chileno leva o caos aéreo até o aeroporto JK
As cinzas e a fumaça da erupção do Puyehue, nos Andes, provocaram o cancelamento de voos em quatro países e também na Região Sul do Brasil. O problema se refletiu nos aeroportos de outras cidades brasileiras, numa reação em cadeia. Em Brasília, muitos passageiros não puderam viajar e lotaram o saguão do terminal. As operações foram retomadas no início da noite. (Págs. 1 e 26)
Economia começa a reduzir o ritmo
Após quatro aumentos na taxa básica de juros, o nível de atividade na produção e no comércio perde força. Analistas ponderam se essa desaceleração será suficiente para segurar a inflação. (Págs. 1, 16 e 17)
Foto legenda: Trabalho que envergonha
ONU revela que 4 milhões de crianças trabalham no Brasil, situação vivida em todas as regiões, como na Estrutural, no DF. (Págs. 1 e 12)

Estado de Minas

Apagão em BH deixa um milhão sem luz
A tempestade com vendaval da noite de quinta-feira deixou sem energia 300 mil imóveis da capital e entorno, prejudicando cerca de 1 milhão de pessoas. Ontem, 24 horas depois do maior blecaute da região metropolitana, 10 mil casas e estabelecimentos ainda estavam sem luz. No início da tarde, eram 30 mil. Duas pessoas morreram: um homem, em Betim, que encostou num fio da rede elétrica, e uma mulher, em Divinópolis, vítima de um desabamento. Pela manhã, semáforos continuavam desligados em avenidas como Andradas, Cristiano Machado, Contorno e Pedro II, tumultuando o trânsito. Os bombeiros atenderam 114 chamados por quedas de árvores. (Págs. 1, 19, 21 e 22)
Juro menor para os bons pagadores
Presidente Dilma sanciona a lei do Cadastro Positivo de consumidores, que poderá ser consultado por bancos e comércio para cobrar taxas menores de quem sempre honra os compromissos. (Págs. 1 e 11)
Nova ministra: Ideli promete muito diálogo no Congresso
Ex-senadora assume Secretaria de Relações Institucionais no lugar de Luiz Sérgio, que vai para o Ministério da Pesca. Ela diz que nem sempre será a “Idelizinha paz e amor”. Escolha indica que Dilma não aceita imposição do PT. (Págs. 1, 3 e 4)
Produção
PIB mineiro cresce 5,1% no primeiro trimestre. (Págs. 1 e 12)
Desarmamento
Só 372 armas devolvidas no estado em um mês. (Págs. 1 e 28)
De olho nas eleições
Câmara de BH investe R$ 274 mil em TV interna. (Págs. 1 e 7)

Jornal do Commercio (PE)

A hora do Via Mangue
Começa às 10h30 de hoje intervenção viária para agilizar o trânsito na Zona Sul. Início dos trabalhos terá a presença do ministro das Cidades, do governador, do prefeito do Recife e convidados. Aeroclube precisa abrir caminho para a obra. (Págs. 1 e Cidades 6)
Presidente Dilma troca a pasta de dois ministros
Ideli Salvatti sai da Pesca para Relações Institucionais. Luiz Sérgio tem o caminho inverso. (Págs. 1 e 7)
Caso Battisti faz Itália convocar embaixador
Além da pressão diplomática, governo italiano ainda suspendeu acordos com o Brasil. (Págs. 1 e 11)
Ensino integral (Pág. 1)

Zero Hora (RS)

Cinzas deixam saldo de 203 voos para remarcar
Salgado Filho e companhias montam esquema especial no fim de semana para amenizar impacto de 24 horas de apagão aéreo provocado pela fuligem de vulcão.

A provável rota da nuvem de cinzas.

Como defender os seus direitos. (Págs. 1, 4 a 10 e Editorial, 22)
TCE: Disputa por cargos de R$ 24,1 mil se acirra (Págs. 1 e 18)

Remanejo: Dilma recicla ministros inexpressivos (Págs. 1 e Rosane de Oliveira, 16)

Acordo: Fim de greve destrava a construção civil na Capital
Cartas de habite-se e licenças para obras voltam a ser assinadas a partir de segunda-feira. (Págs. 1 e 27)


Fontes: Radiobras-JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br