Atualizado 19h56 Sexta, 16 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

PT já briga pela vaga de Palocci

400 acessos - 0 comentários

Publicado em 02/06/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



PT contraria Lula e começa a brigar pela vaga de Palocci. Na Câmara, a oposição aprovou a convocação do ministro para depor sobre sua evolução patrimonial. Governo usa verbas e cargos para debelar crise política. OUTROS DESTAQUES - Congresso quer o mesmo salário do STF. Lei da “Mordaça” - Câmara quer criminalizar divulgação de investigação. Brasil sem Miséria pagará R$ 2.400 a famílias rurais. Nota com tinta antifurto não tem mais valor. Bancos não passam em teste de tarifas. Ibama dá o sinal verde a Belo Monte. Fifa culpa CBF por pressão contra SP. Economia mundial desacelera.

DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, QUINTA-FEIRA, 2 DE JUNHO DE 2011.

O Estado de S. Paulo

PT contraria Lula e começa a brigar pela vaga de Palocci
Na Câmara, a oposição aprovou a convocação do ministro para depor sobre sua evolução patrimonial

Na contramão da estratégia do ex-presidente Lula, o PT não só quer a saída do ministro Antonio Palocci (Casa Civil) como também já discute sua sucessão. O argumento é o de que a manutenção de Palocci, que enfrenta suspeitas sobre seu enriquecimento desgasta o governo de Dilma Rousseff, e o custo de sua preservação aumentará a crise política. A fragilidade do ministro alimenta disputa do PT pela Casa Civil, ignorando apelos de Lula para que preservassem Palocci. Dois ministros são citados para o posto: Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) e Paulo Bernardo (Comunicações). A oposição conseguiu aprovar a convocação de Palocci para dar explicações na Câmara, mas o presidente da Casa, Marco Maia (PT), suspendeu a decisão e só dará a palavra final na próxima terça-feira. (Págs. 1 e Nacional A4)

Brasil sem Miséria pagará R$ 2.400 a famílias rurais
O programa Brasil sem Miséria, que a presidente Dilma Rousseff apresenta hoje, quer incluir 800 mil famílias no Programa Bolsa Família, até dezembro de 2013. Também vai criar a Bolsa Verde, que pagará R$ 2.400 por família, em quatro parcelas de R$ 600, para tornar produtiva a terra onde já vivem. O anúncio oficial do programa será feito em solenidade especial, com 800 convidados, em meio à crise gerada pelo caso Palocci. (Págs. 1 e Nacional A8)

Ibama dá sinal verde para Belo Monte
O Ibama deu ontem sinal verde para início efetivo da construção da hidrelétrica de Belo Monte(PA). Na avaliação da equipe de licenciamento do órgão, a Norte Energia, responsável pela obra, cumpriu todas as obrigações ambientais. O Ibama se disse seguro da decisão e afirmou estar preparado para eventuais contestações judiciais. (Págs. 1 e Economia B3 a B5)
STF derruba benefício fiscal de Estados (Págs. 1 e Economia B7 )

Cédula manchada com tinta não terá valor (Págs. 1 e Cidades C1)

MEC corta 11 mil vagas em cursos de direito(Págs. 1 e Vida A16)

Comissão da Câmara aprova ’lei da mordaça’. Câmara quer criminalizar divulgação de investigação. Para barrar a divulgação de notícias que costumam atingir parlamentares, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou na terça-feira um projeto de lei, de autoria do deputado Sandro Mabel (PR-GO), que tipifica o crime de violação e vazamento de sigilo investigatório. A proposta seguirá, agora, para a votação em plenário.
Pelo projeto, constituirá crime não só a revelação de fato que esteja sob investigação, em qualquer procedimento oficial, mas também sua divulgação pela mídia. A pena é de dois a quatro anos de reclusão, além de multa.
A CCJ aprovou o substitutivo do relator, Maurício Quintella Lessa (PR-AL), que define o crime como "revelar ou divulgar fatos ou dados que estejam sendo objeto de investigação criminal sob sigilo". O relator afirmou que a sociedade brasileira tem assistido a uma "perigosa relação" entre autoridades e meios de comunicação de massa.
"O sigilo legal tem sua razão de ser pela própria natureza das investigações, no sentido de dar eficácia às ações investigativas até que se forme o convencimento da autoridade", argumenta Quintella. Ele disse lamentar que esses dados sejam lançados à opinião pública com o intuito de macular a imagem do investigado. "Muitas vezes, os danos são irreparáveis à honra e à intimidade, e quando a pessoa investigada é absolvida, estranhamente, este fato não desperta o mesmo interesse midiático."
Na justificativa do projeto o autor, Sandro Mabel, critica os "inúmeros casos de ’denuncismo’ vazio, que após processos judiciais equilibrados, e após o exercício do contraditório, acabam por concluir pela inocência das pessoas envolvidas". Em sua avaliação, "pouco adianta para a vida dessas pessoas injustamente condenadas à execração pública que seja possível depois receber indenização pelo dano moral ou à imagem. É preciso impedir o dano injusto antes que ele aconteça e a pessoa inocente tenha sua vida irremediavelmente prejudicada". Mensalão. O projeto foi apresentado em 2007 por Mabel, que dois anos antes fora acusado pelas CPIs dos Correios e do Mensalão de ter oferecido R$ 1 milhão à então deputada Raquel Teixeira (GO) para que trocasse o PSDB pelo PL, partido do qual era líder. (Págs. 1 e Nacional A10)

Fotolegenda: Fifa culpa CBF por pressão contra SP
Joseph Blatter no congresso em que foi eleito para seu quarto mandato à frente da Fifa, em meio a escândalos de corrupção; dirigentes da entidade relataram a Jamil Chade que a pressão contra São Paulo na Copa não vem da Fifa, e sim da CBF, cujo presidente, Ricardo Teixeira, tem relação conflituosa com os tucanos que governam o Estado. Para a Fifa, Teixeira quer concentrar as atividades da Copa no Rio. (Págs. 1, E1 e E4)
Eugênio Bucci
A direita, o facão e o papagaio

Uma aura folclórica, translúcida e radioativa, faz reluzir esse novo histrionismo de intolerância direitista que vem ganhando espaço no Brasil. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Fernando Reinach
Proposta para a educação

Talvez seja hora de pensar num processo de educação que tenha como objetivo não copiar a informação para o cérebro, mas capacitar as pessoas. (Págs. 1 e Vida A18)

Notas & Informações
Desoneração e reforma

A desoneração da folha de pagamentos é vista no Ministério da Previdência como bomba-relógio. (Págs. 1 e A3)

O Globo

Governo joga duro para tentar anular convocação de Palocci
Chamado para ministro se explicar foi aprovado em votação polêmica

A oposição conseguiu aprovar ontem, em polêmica votação na Comissão de Agricultura da Câmara, a convocação do ministro Antonio Palocci (Casa Civil) para explicar o aumento de seu patrimônio. Os governistas, que cochilaram na reunião da comissão, reagiram imediatamente e recorreram ao plenário, que tem o poder de derrubar a convocação. Diante de intensa batalha, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT), decidiu suspender a convocação até a próxima terça-feira, quando anunciará se mantém ou revoga a decisão da Comissão de Agricultura após ver a fita da sessão. O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, chamou a manobra da oposição de golpe e disse que a convocação não será mantida. Ontem, a presidente Dilma Rousseff recebeu para almoço os senadores do PMDB, mas não tocou na crise que envolve seu chefe da Casa Civil. Palocci não participou da reunião do PMDB, mas foi a um encontro do Conselho Político do governo, onde pediu ajuda a aliados. (Págs. 1, 3, 4 e 9)

Fotolegenda: O candidato mais fraco
O ministro Mantega, ao fundo, conduz o mexicano Agustín Carstens, que disputa com a francesa Christine Lagarde a chefia do FMI. Ela é a candidata mais forte. (Págs. 1 e 26)

Ibama dá o sinal verde a Belo Monte
Licença é comemorada pelo governo, mas Ministério Público Federal promete nova ação

Após considerar cumpridas ou parcialmente cumpridas as 40 condicionantes impostas ao consórcio Energia, o Ibama concedeu a licença de instalação do canteiro de obras da hidrelétrica de Belo Monte. O ato foi comemorado pelo governo, que aproveitou para lançar um programa de desenvolvimento sustentável para a região do Xingu. O Ibama fez outras 23 exigências para as próximas etapas do projeto. O procurador do Ministério Público Federal do Pará Felício Pontes Junior diz que deve entrar com a 13ª ação contra o empreendimento. (Págs. 1, 21 e 22 e Míriam Leitão)
Brasil já admite recuo nuclear
O ministro de Minas e energia, Edison Lobão, disse ontem que o governo está reavaliando a política de expansão do programa nuclear do país até 2030. Com isso, não há mais garantias de que as quatro novas usinas anunciadas sairão do papel. Apesar da declaração, nos bastidores, o governo considera remota uma revisão dos planos. Vários países recuaram em sua política de energia nuclear após o acidente em Fukushima, no Japão. (Págs. 1 e 23)

Bancos não passam em teste de tarifas
Teste feito pelo GLOBO mostra que, no primeiro dia das novas regras para cartões de crédito, os bancos deram informações erradas aos clientes. O número máximo de tarifas cai de 80 para cinco. (Págs. 1 e 25)

Galeão volta à lista dos privatizáveis
Depois de Guarulhos, Viracopos (Campinas) e Brasília, o governo volta a admitir privatizar os aeroportos de Galeão e Confins (Belo Horizonte), nos mesmos moldes: 51% para o setor privado. (págs. 1 e 27)

Supremo anula leis estaduais que incentivam guerra fiscal. (Págs. 1 e 26)

Folha de S. Paulo

Acuado na Câmara, Palocci é cobrado por Dilma e Lula
Comissão convoca ministro para explicar patrimônio; líderes do PT dizem que defesa agora só cabe a ele

A oposição aprovou, na Comissão de Agricultura da Câmara, a convocação do ministro Antonio Palocci para que ele explique o aumento de seu patrimônio.

A medida passou sem que os governistas se mobilizassem em defesa de Palocci. Apenas houve reação quando o presidente da Câmara, Maço Maia (PT-RS), suspendeu a convocação até terça-feira. Maia afirmou, porém, que o chefe da Casa Civil “tem que se explicar”.

A presidente Dilma Rousseff e seu antecessor, Lula, disseram a Palocci que cabe a ele se defender o mais rapidamente possível para encerrar a crise, informam Valdo Cruz e Natuza Nery.

Até então presente às principais reuniões políticas do governo, o ministro da Casa Civil não foi ao encontro de Dilma com senadores do PMDB. (Págs. 1, A4 e Poder)

’Agenda positiva’ inclui programa antimiséria
O governo usa hoje o lançamento do Brasil sem Miséria, plano de erradicação da pobreza extrema, como parte da tentativa de apresentar uma “agenda positiva” num momento de crise no Congresso e enfraquecimento de Antonio Palocci.


O programa visará transferência de renda, microcrédito e acesso à água. Amanhã, a presidente Dilma inaugura plataforma de petróleo no Rio. A concessão de aeroportos e a licença de Belo Monte também fizeram parte da agenda. (Págs. 1, A6 e Poder)

Sem exigências, Ibama libera obra de Belo Monte
O Ibama concedeu a licença para a construção da usina de Belo Monte, no Pará, mesmo sem o cumprimento pleno das 40 exigências do órgão ao consórcio Norte Energia, responsável pela obra. (Págs. 1, B1 e Mercado)
Greve de trens da CPTM e de ônibus no ABC são mantidas (Págs. 1 e C4)

BC decide que nota com tinta antifurto não tem mais valor
Para dificultar a circulação de notas roubadas de caixas eletrônicos, o Banco Central decidiu que, desde ontem, cédulas marcadas com tinta pelos dispositivos antifurto não podem mais ser trocadas nos bancos.

Quem sacar no caixa eletrônico uma cédula marcada deve retirar extrato imediatamente para comprovar a operação e procurar uma agência. (Págs. 1, C1 e C3)
Blatter se reelege para mais 4 anos na chefia da Fifa
Presidente da Fifa há 13 anos, Joseph Blatter foi reeleito ontem para mais um mandato e ficará no cargo até 2015. Candidato único, ele obteve 186 votos dos 203 possíveis. (Págs. 1 e A2)
Infecção que atinge Europa chega aos EUA
O surto infeccioso causado por uma variedade da bactéria E.coli, que já matou 17 pessoas na Europa, chegou aos Estados Unidos. Dois americanos que estiveram na região norte da Alemanha foram infectados.

Foi afastada a suspeita de que o surto viesse de pepinos da Espanha. (Págs. 1 e A10)
Honduras volta à OEA dois anos depois do golpe (Págs. 1 e A11)

Editoriais
Leia “O segredo de Palocci”, que analisa a situação do governo diante da crise que envolve o ministro, e “Desaceleração à frente”, sobre a economia. (Págs. 1 e A2)

Correio Braziliense

Congresso quer o mesmo salário do STF
Proposta de Emenda constitucional aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara pretende equiparar definitivamente os vencimentos de deputados, de senadores e do Executivo aos do Supremo Tribunal Federal (STF). Na prática, os parlamentares, assim como o presidente da república, receberiam os mesmos aumentos dos magistrados. A medida evitaria o desgaste político da votação de projetos para a concessão dos reajustes. O ministro do STF ganham hoje R$ 723, mas reivindicam a elevação desse valor para R$ 30.675. (Págs. 1 e 2)

Câmara: Maia sai em defesa de Palocci
O presidente da Casa quer investigar se houve “golpe contra o regimento” na convocação do ministro pela oposição. O depoimento sobre as denúncias de evolução patrimonial está suspenso até terça-feira. (Págs. 1 e 6)

Um afago no PMDB
Com ajuda do vice, Michel Temer, Dilma Rousseff prometeu aos senadores mudanças na articulação política. Meta é reduzir a influência da Casa Civil. (Págs. 1 e 6)
Tributos: Guerra fiscal cai na Justiça
STF revoga 23 leis que concediam isenções fiscais para atrair empresas no distrito Federal e em seis estados. A legislação do DF garantia a devolução, em forma de empréstimo, de até 70% do ICMS devido. (Págs. 1 e 15)
De olho na cor do dinheiro
Para combater furtos em caixas eletrônicos, como o ocorrido ontem em Valparaíso, BC decide que cédulas manchadas serão consideradas falsas. (Págs. 1, 18 e 34)
Dor de cabeça nos aeroportos
Vôos desviados de Guarulhos (SP), fechado devido à neblina, provocam caos em Brasília e em outros terminais. (Págs. 1, 12 e 13)
Não é miragem: Gasolina a R$ 2,46
Após superar a barreira dos R$ 3, preço do litro despenca. Mas só na Asa Norte. Na Sul, o valor chega a R$ 2,79. (Págs. 1 e 39)
Reação ao projeto gay
Lideradas por grupos religiosos, 20 mil pessoas protestaram contra a proposta que criminaliza a homofobia. (Págs. 1 e 7)

Valor Econômico

Economia mundial desacelera
A economia mundial está claramente em desaceleração e o ritmo é mais rápido do que se esperava. O nível de atividade já é o menor desde setembro, num movimento que atinge Estados Unidos, Europa, China, Índia, Coreia do Sul e muitos emergentes, inclusive o Brasil. O Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês), que mede a atividade de milhares de fábricas em todo o mundo, divulgado ontem, mostra que essa tendência é quase global, segundo Chris Williamson, economista-chefe da consultoria britânica Markit, que elabora o índice.

A ruptura de fornecimento de peças pelo Japão à industria automobilística e ao setor eletrônico, após o terremoto de março, afetou a produção global mais do que se previa. Outro fator foi a alta das commodities, que tirou poder de consumo das famílias.(Págs. 1, A12 e C2)
Inflação ajuda a conter ritmo da indústria
A inflação fez o seu conhecido trabalho, corroendo o poder aquisitivo dos assalariados, e sua colaboração está registrada na queda da produção industrial de abril, de 2,1%, a maior desde dezembro de 2008. Alguns setores de consumo de massa domésticos desaceleram sob o peso da redução da demanda causada pelos aumentos de preços. A forte disparada dos alimentos ultrapassou até os mais generosos reajustes salariais concedidos em 2010 e atingiu em cheio as classes C e D, que impulsionaram o crescimento de 7,5% do Produto Interno Bruto em 2010. A indústria de alimentos recuou 8,2% em abril em relação a abril de 2010 e a de bens intermediários para a produção de alimentos, 19,4%. (Págs. 1 e A2)
Fotolegenda: A última enchente
Benedito Barbosa da Trindade, de 63 anos, é uma das 15 mil pessoas que vivem em palafitas no igarapé Altamira e que serão removidas com a construção da usina de Belo Monte, que ontem obteve do Ibama a licença de instalação. "A vida aqui é difícil, mas você se acostuma. Por mim, eu não saia". (Págs. 1 e B11)

Governo usa verbas e cargos para debelar crise política
A presidente Dilma Rousseff decidiu abrir o cofre, liberar o preenchimento do segundo escalão e mudar a relação com o Congresso na tentativa de debelar a crise política que ontem foi ampliada pela aprovação do requerimento de convocação do ministro Antonio Palocci, suspenso depois pela mesa diretora da Câmara.

Dilma pretende redefinir o papel de Palocci e fortalecer o ministro Luiz Sérgio Oliveira na coordenação política. Ele recebeu de Palocci um mapa com mais de cem cargos cobiçados por governistas, com instruções de Dilma para as nomeações. O governo também decidiu liberar cerca de R$ 500 milhões em restos a pagar para atender emendas aliadas. (Págs. 1 e A6)

Valor do Pão de Açúcar diminui R$ 1,2 bi e sócios pedem calma
O empresário Abilio Diniz e o grupo Casino, sócios controladores do Pão de Açúcar, adotaram ontem, ao menos publicamente, um tom conciliador. Desde segunda-feira, quando o Casino iniciou processo arbitral contra Diniz, o valor de mercado do Pão de Açúcar recuou R$ 1,2 bilhão. "Há tensões, mas não guerra", disse ao Valor um executivo do Casino. Em mensagem à diretoria do grupo, Diniz falou em "serenidade". "Estou fazendo tudo aquilo que está ao meu alcance para deixar vocês e a companhia protegidos contra qualquer ataque. Brevemente a verdade prevalecerá e seguiremos juntos com alegria e felicidade". (Págs. 1 e D3)
GM projeta nova fábrica no Brasil
A General Motors estuda a implantação de uma segunda fábrica em Santa Catarina. O investimento, de aproximadamente R$ 300 milhões, iria atender à fabricação de peças e caixas para sistemas de transmissão na unidade de Gravataí e outras plantas na América Latina. O projeto está em fase de análise e está sendo discutido com o governo catarinense, em busca de incentivos fiscais. O diretor de relações institucionais da GM, Luiz Moan, diz que o projeto está em "fase de avaliação absolutamente interna". Uma fonte ligada ao governo do Estado informa que a fábrica ainda precisa ser aprovada pela matriz, mas que a decisão deve sair este ano. Santa Catarina levaria vantagem pela questão portuária - com seus cinco portos - e pela disponibilidade de mão de obra no setor. (Págs. 1 e B10)

Limitada sem sócio
O Senado aprovou projeto de lei que cria a empresa individual de responsabilidade limitada, constituída por uma só pessoa, e em que apenas o patrimônio social da empresa responde por suas dívidas. (Págs. 1 e A10)

Limite a subsídios nos EUA
Comitê de Orçamento da Câmara dos EUA aprova corte de subsídio a produtores rurais com receita superior a US$ 250 mil e também a efetivação do pagamento de US$ 147 milhões por ano ao Brasil por conta da derrota na disputa do algodão na OMC. (Págs. 1 e B13)
Exportações de suínos
A recente abertura dos mercados da China e dos EUA para a carne suína brasileira e o possível acesso ao Japão e Coreia do Sul poderão dobrar as exportações brasileiras no segmento em três anos. (Págs. 1 e B16)

Abaixo da cota
Pelo terceiro ano consecutivo, o Brasil ficará muito distante de cumprir o volume de vendas a que tem direito dentro da Cota Hilton. Nos 12 meses que serão encerrados em julho, o volume deve chegar a 400 toneladas, 4% de sua cota. (Págs. 1 e B16)

Idéias
Heloisa Magalhães

Parque Tecnológico da UFRJ abre chance de o Rio de Janeiro dar um salto em pesquisa e desenvolvimento. (Págs. 1 e A2)
Idéias
Alexandre Schwartsman

O Banco Central parece ter agora mais objetivos do que simplesmente manter a inflação na meta. (Págs. 1 e A11)

Estado de Minas

Outra cara, mesmos problemas
A prefeitura de BH resolveu dividir as nove regionais da cidade em 40 sub-regiões. Serão quatro ou cinco subdivisões em cada regional. O plano será apresentado hoje aos vereadores. O objetivo é orientar melhor a administração no planejamento urbano. Resta saber se serão atacados os problemas que há anos atormentam as comunidades. Para isso, a PBH pretende mobilizar de 100 a 120 representantes em cada sub-região para apontar, voluntariamente, as principais demandas e prioridades de investimento. (Págs. 1, 21,22 e 6)
Aeroportos: Privatização de Confins só em 2012
As licitações para concessão dos terminais de Confins e do Galeão (RJ) só serão feitas no ano que vem, segundo o ministro da Secretaria da Aviação Civil, Wagner Bittencourt. A demora pode comprometer o cronograma para a Copa. Terão prioridade, este ano, Guarulhos (SP), Viracopos (SP) e Brasília, no modelo de sociedades de propósito específico (SPEs). (Págs. 1 e 15)
Salários: Deputados podem ganhar R$ 30,6 mil
Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprova proposta que equipara vencimentos do presidente, ministros e parlamentares federais aos do Supremo. Também em tramitação no Congresso, projeto eleva salário no STF de R$ 26,7 mil para R$ 30,6 mil. Já os deputados estaduais, que recebem 75% do valor pago em Brasília, podem ganhar R$ 23 mil. (Págs. 1 e 3)
Empregos de vento em popa
Economia aquecida às margens do Velho Chico abre vagas em áreas como comércio, turismo, agricultura e pesca, fixando moradores que antes buscavam trabalho em grandes centros. A construção civil alimenta a extração informal de areia em cidades como a mineira São Francisco. O crescimento do emprego é o tema da quinta parte de série de reportagens. (Págs. 1 e 14)

Convocação de Palocci suspensa na Câmara
Manobra da oposição chama ministro para depor, mas presidente da Casa adia decisão para verificar a votação. (Págs. 1 e 4)

Redação do Enem só valerá para 2ª etapa da UFMG
Universidade divulga calendário e regras do vestibular. O Enem, exceto a redação, substituirá a primeira etapa. (Págs. 1 e 26)

Jornal do Commercio (PE)

Homicídios em queda (Pág. 1)

Palocci é convocado e governo reage (Pág. 1)

BC decide que nota manchada perderá o valor (Pág. 1)

Antidoping para quem trabalha com aviação (Pág. 1)

Zero Hora (RS)

Aumento de roubos com mortes faz BM adotar estratégia de emergência
Contrariando tendência de recuo da criminalidade, abril registra quatro vezes mais latrocínios do que o mesmo mês de 2010 e provoca medidas preventivas. (Págs. 1 e 37)
Foto legenda: A lentidão do Salgado Filho: no lugar do aeroporto, um portão
Colocada para impedir invasões de casas desocupadas – e já indenizadas – para a ampliação da pista, grade bloqueia rua e se torna símbolo do atraso da obra. (Págs. 1 e 31)

Fogo amigo: Cresce dentro do PT pressão contra Palocci
Dirigentes cogitam nomes como Paulo Bernardo e Gilberto Carvalho para a Casa Civil (Págs. 1 e 8)

Coréia do Sul: Os bastidores da opção da Hyundai pelo Estado. (Págs. 1 e 14)

Brasil Econômico

Governo libera Belo Monte e promete compensação ambiental
Sob protesto de ambientalistas, o Ibama concedeu licença para o início da construção da hidrelétrica no Pará. Miriam Belchior, ministra do Planejamento, assegurou R$ 500 milhões em investimentos para minimizar os impactos das obras. (Págs.1 e 40)

Banco Mundial apoia ações contra mudanças no clima
Dirigentes da entidade assinaram ontem em São Paulo protocolo para facilitar às cidades brasileiras o acesso a recursos destinados a projetos de combate a alterações climáticas. (Págs. 1 e 10)
Dilma lança hoje plano Brasil sem Miséria
Iniciativa é tentativa do governo de cumprir a principal promessa de campanha da presidente: erradicar a pobreza extrema no país. (Págs. 1 e 4)

M & G busca parcerias para etanol de 2ª geração
Companhia italiana traz nova tecnologia para biocombustível com bagaço de cana-de-açúcar, na qual investiu US$ 200 milhões. (Págs. 1 e 18)

A Política Nacional de Resíduos Sólidos leva empresas de medicina diagnóstica a aderirem à reciclagem (Págs. 1 e 16)

Murilo Barella, diretor do Departamento de Coordenação e Controle das Empresas Estatais, explica por que caíram os investimentos (Págs. 1 e 12)

Fontes: Radiobras – JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br