Atualizado 19h56 Sexta, 16 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Petistas saem em apoio a Palocci para esfriar crise

415 acessos - 0 comentários

Publicado em 24/05/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



Jornal revelou que o ministro Antonio Palocci (Casa Civil) multiplicou seu patrimônio de 2006 a 2010. “Palavras forjadas, crise ao vento” (Eliane Cantanhêde). Principal assessor de Palocci mantém consultoria privada. OUTROS DESTAQUES - Ministro Pimentel às voltas com a Justiça. MP liga amigo de Lula a 'mensalinho' em Campinas. Dilma diz não aceitar anistia para desmatador. EUA enfrentam pior temporada de tornados em quase 6 décadas. Naufrágio deixa 4 mortos e 5 desaparecidos em Brasília. Chile investiga causa da morte de Allende. Sob pressão, Zapatero pode cair na Espanha. DNA de DSK achado em gola, dizem TVs.

DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, TERÇA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2011.

Folha de S. Paulo

Petistas saem em apoio a Palocci para esfriar crise
DEM, PSDB e PPS querem investigação sobre desempenho de empresa em 2010



Líderes do PT saíram em defesa do ministro Antonio Palocci para esfriar a crise sobre seus negócios e definiram o caso como "luta política" bancada pela oposição. A Folha revelou que o ministro multiplicou seu patrimônio de 2006 a 2010.
Cinco governadores disseram que Palocci não deve explicações ao Congresso. Segundo o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça), a receita de R$ 20 milhões da empresa do ministro em ano eleitoral não implica indício de irregularidade. (Págs. 1 e Poder)

Eliane Cantanhêde

Palavras forjadas, crise ao vento

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, resumiu o escândalo que atinge o chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, como "palavras ao vento".
José Dirceu, ex-chefe da Casa Civil de Lula, saiu da toca uma semana depois para dizer que se trata de uma "crise forjada".
Os cinco governadores do PT se reuniram e desdenharam: é tudo um jogo político da oposição.
O presidente do Conselho de Ética, Sepúlveda Pertence, de bela biografia, não estranhou nada na evolução patrimonial do ministro.
O procurador da República, Roberto Gurgel, primeiro disse que não havia o que apurar e depois encaminhou umas perguntas para Palocci. Aguarda a resposta.
E Dilma? Continua calada, enquanto os petistas, que subiram na vida apontando o dedo na cara dos outros, cuidavam de fechar as brechas contra Palocci.
Do outro lado, o presidente da OAB, Ophir Cavalcanti, acha "muita coincidência" Palocci ganhar tudo o que ganhou justamente quando ganhou. E os senadores Jarbas Vasconcelos (PMDB), Álvaro Dias (PSDB), Demóstenes Torres (DEM) e Ana Amélia (PP) pedem o afastamento de Palocci até explicar as coisas. PSDB, DEM, PPS e PSOL tentam uma CPI. Dependem de dissidentes como Jarbas e Ana.
A estratégia do governo vai dando certo: bate pé na versão de "jogo político", enquanto distrai a plateia com o antidebate da regulamentação do lobby e da criminalização de patrimônios esquisitões de funcionários. Cortinas de fumaça.
As versões se fortalecem, os fatos se enfraquecem. Palocci ganhou pelo menos R$ 20 milhões no ano eleitoral com uma empresa de um funcionário só, R$ 10 milhões deles já como chefe da transição de Dilma e virtual todo-poderoso.
Ele não explica que fantástica consultoria era essa, nem para quem. Mas, se os fatos não correspondem à versão que interessa ao governo, danem-se os fatos.

[email protected]


Prefeitura vai usar guarda civil contra sacos de lixo
A Guarda Civil Metropolitano poderá multar moradores que põem sacos de lixo na rua mais de duas horas antes do horário da coleta e comerciantes que não contratam empresa para dar destinação correta ao lixo.
A GCM já pode autuar quem joga lixo na rua, como garrafa pet e bituca de cigarro, mas a multa nunca foi aplicada. (Págs. 1 e Cotidiano C1 e C4)
EUA enfrentam pior temporada de tornados em quase 6 décadas
Os Estados Unidos enfrentam a pior série de tornados em 58 anos: 2011 registra 481 mortes até agora; ao longo de 1953, foram 519. Segundo meteorologista, o pico da temporada das tempestades está no início.
Em Joplin, cidade situada no Estado do Missouri, sul do país, ao menos 116 pessoas morreram; mais de 500 ficaram feridas. (Págs. 1 e Mundo A10)



Foto legenda: Amy Langford recupera objetos nos destroços de sua casa em Joplin (Missouri); cidade atingida por ventos de 300 km/h que deixaram 116 pessoas mortas.

Empresas aéreas cancelaram voos no Reina Unido devido à nuvem de cinzas de vulcão islandês. (Págs. 1 e Mundo A10)
Governo cede para votar hoje Código Florestal
Por um acordo com a base aliada na Câmara sobre o Código Florestal, o governo cedeu em parte da reforma: aceitou flexibilizar a preservação ambiental em área de agricultura familiar. A presidente Dilma, porém, disse não aceitar anistiar desmatamentos feitos por produtores até 2008. (Págs. 1 e Ciência C13)

Kátia Abreu

Exigência de repor mata nativa é típica dos burocratas. (Págs. 1 e Ciência C13)

Carlos Eduardo Young

É mais correto usar a riqueza florestal a longo prazo. (Págs. 1 e Ciência C13)
Barco que afundou no DF estava com 103 pessoas, mas podia levar só 92 (Págs. 1 e Cotidiano C7)

Editoriais
Leia "10 bilhões de pessoas", sobre projeções da ONU para a população mundial, e "Direitos espancados", acerca da Marcha da Maconha. (Págs. 1 e Opinião A2)

O Globo


Principal assessor de Palocci mantém consultoria privada
Branislav Kontic é sócio de empresa em SP; Casa Civil não vê conflito

Um dos coordenadores da campanha de Antonio Palocci em 2006, assessor do petista durante os quatro anos de mandato como deputado (2007-2010) e hoje assessor especial da Casa Civil, Branislav Kontic é, como seu chefe, sócio de uma empresa de consultoria em São Paulo. Brani, como é conhecido, é sócio da Anagrama, aberta em 1997, e, de acordo com a Junta Comercial do Estado de São Paulo, ainda em atividade. Quando se tornou assessor de Palocci na Câmara, Brani se afastou da função de administrador da empresa, posto repassado a seu sócio Marco Antonio Campagnolli - que também tem cargo público, na prefeitura petista de Guarulhos, mas alega nem se lembrar da empresa. Antes disso, Brani sempre conciliou a administração da Anagrama com cargos públicos nas prefeituras de Guarulhos e São Paulo. O assessor de Palocci também é sócio minoritário da Epoke Consultoria em Mídia Ltda., do petista Luis Favre, ex-marido da senadora Marta Suplicy (PT). Brani negou trabalhar com consultoria e disse que, ao se tornar assessor parlamentar de Palocci, se afastou da administração e comunicou o fato à Comissão de Ética da Presidência. A Casa Civil não viu conflito de interesses no caso. (Págs. 1, 3 e 4)


Editorial

Como também já ocorreu no passado, blindagens no Congresso de autoridades são inúteis se não há explicações convincentes para os supostos malfeitos. (Págs. 1 e 6)

Pimentel às voltas com a Justiça
Ministro do Desenvolvimento é acusado de improbidade por suposto desvio em Minas

O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, é outro assessor da presidente Dilma Rousseff que terá de se explicar, neste caso na Justiça. Ele foi acusado pelo Ministério Público de improbidade administrativa por dispensa de licitação para construção de casas populares quando era prefeito de Belo Horizonte, e a Justiça de Minas aceitou a denúncia na semana passada. O juiz também determinou a indisponibilidade de bens da HAP Engenharia Ltda., empreiteira acusada de superfaturar a construção de casas populares e de desviar recursos para a campanha de Pimentel em 2004, quando o petista disputou a reeleição.

Segundo o MP, as obras tiveram previsão de custo inicial de R$ 12,7 milhões para a construção de 1.500 casas do Conjunto Habitacional do Jatobá, mas apenas 678 unidades foram entregues. E o repasse final à empresa alcançou R$ 26,7 milhões. Os promotores questionaram também a proximidade entre Pimentel, a HAP e o seu sócio-administrador Roberto de Senna, que declararam ter doado R$ 235 mil a campanha do ministro. (Págs. 1 e 5)
Dilma diz não aceitar anistia para desmatador
Depois de adiamentos, o governo tentará votar hoje as mudanças no Código Florestal, mas ainda há um impasse. A presidente Dilma avisou ontem que não aceitará anistia para desmatadores. Líderes do PMDB, porém, insistem nessa proposta. Ex-ministros do Meio Ambiente pediram que o assunto seja adiado. (Págs. 1 e 9)
Governo quer fazer tablet verde-amarelo
Medida provisória baixada pelo governo reduz impostos sobre tablets e exigirá que 20% dos componentes sejam produzidos no país. Esse percentual deve subir para 80% em três anos. (Págs. 1 e 17)
DNA de DSK achado em gola, dizem TVs
O DNA de Dominique Strauss-Kahn, ex-diretor-gerente do FMI acusado de crimes sexuais por uma camareira de hotel, foi encontrado na gola da roupa dela, dizem TVs de EUA e França, citando fontes policiais. (Págs. 1 e 23)

Trucidado nas urnas, PSOE mergulha em crise e busca saída (Págs. 1 e 23)

Mundo debate sua preservação no Rio
Conferência do meio ambiente da ONU fará do Rio, mais uma vez, a capital verde internacional em 2012. (Págs. 1 e Planeta Terra)

O Estado de S. Paulo

Dilma ameaça vetar se Código Florestal anistiar desmatador
Reação do governo a acordo fechado a sua revelia ocorre após a divulgação do aumento do desmate na Amazônia

A presidente Dilma Rousseff ameaça vetar a reforma do Código Florestal se os deputados não recuarem de proposta acertada na semana passada. O texto considera consolidada a ocupação em áreas de preservação permanentes desmatadas até julho de 2008, o que, na avaliação do governo, abre caminho para mais desmatamento. A ameaça de Dilma se dá após a divulgação de que o desmatamento na Amazônia em março e abril cresceu quase 500% em relação ao ano passado. O relator Aldo Rebelo (PC do B-SP) e alguns governistas não aceitam a exigência de proteção de vegetação nativa em parte das propriedades rurais do País e a recuperação de áreas de preservação permanentes às margens de rios e encostas. A votação está marcada para hoje, mas corre o risco de ser mais uma vez adiada. (Págs. 1 e Vida A14)


Operação 'agenda positiva'
Para tirar o governo da inércia por conta do caso Palocci, o Planalto deflagrou operação para emplacar "agenda positiva". (Págs. 1 e Nacional A6)

MP liga amigo de Lula a 'mensalinho' em Campinas
Relatório do Ministério Público sustenta a ordem de prisão contra 20 suspeitos de participação em suposto esquema de corrupção na Prefeitura de Campinas. Entre os envolvidos está o vice-prefeito Demétrio Vilagra (PT). Um dos alvos da investigação é o empresário José Carlos Bumlai, amigo e anfitrião do ex-presidente Lula. (Págs. 1 e Nacional A4)
Naufrágio deixa 4 mortos e 5 desaparecidos
Pelo menos quatro pessoas morreram domingo no naufrágio de um barco no Lago Paranoá, em Brasília. Os bombeiros continuam as buscas por pelo menos cinco pessoas. As investigações indicam que a embarcação estava superlotada e tinha problemas. (Págs. 1 e Cidades C1)
Possível contágio grego na UE derruba bolsas (Págs. 1 e Economia B1)

Chile investiga causa da morte de Allende (Págs. 1 e Internacional A13)

Vulcão da Islândia cancela voos na Europa (Págs. 1 e Internacional A10)

Sob pressão, Zapatero pode cair na Espanha
Vencedor das votações locais de domingo, o Partido Popular, de centro-direita, pediu eleições gerais imediatas e a renúncia do governo de José Luis Zapatero. O Partido Socialista Operário Espanhol foi punido por eleitores insatisfeitos com a crise. (Págs. 1 e Internacional A9)

Notas & Informações
MP 517, uma aberração

Crédito de longo prazo, política energética e desenvolvimento regional são alguns dos temas. (Págs. 1 e A3)
Arnaldo Jabor
O discreto charme da corrupção

"Eu explico o Brasil de hoje. Tenho 400 anos: avô ladrão, bisavô negreiro e tataravô degredado. Homens como eu nunca vão acabar". (Págs. 1 e caderno2 D10)
Paul Krugman
O fracasso da austeridade

Os países endividados da Europa estão, como era de esperar, sofrendo um novo declínio econômico graças aos programas de austeridade. (Págs. 1 e Economia B3)

Correio Braziliense

Mortes e mistério no fundo do lago
Barco que afundou no Paranoá estava superlotado. Pelo menos quatro pessoas morreram

Mergulhadores do Corpo de Bombeiros encontraram ontem três corpos perto do local onde o barco Imagination naufragou no domingo, no Setor de Clubes Sul — na noite do acidente, um bebê de sete meses já havia falecido. O primeiro resgate do dia (foto) foi o de Flávia Daniela Araújo Pereira Dornel, de 22 anos. À noite, o garçom Vicente Carneiro de Souza Neto, 36 anos, e uma criança não identificada foram retirados da água. Outras seis pessoas estão desaparecidas. Segundo a polícia, no mínimo 103 passageiros participaram da festa na embarcação, que tinha capacidade limitada a 92 ocupantes. No entanto, não é possível garantir que o excesso de peso tenha provocado o acidente. Há suspeitas de falha mecânica. Os bombeiros também detectaram uma rachadura na parte de baixo do barco. Muitos sobreviventes reclamaram da falta de segurança a bordo. (Págs. 1, 21 a 26 e Visão do Correio, 14)
Ruralistas em vantagem
Governo cede à pressão dos produtores e pode recuar no Código Florestal. Votação na Câmara deve ocorrer hoje. (Págs. 1 e 2)
Bafômetro sem crédito
Procuradoria Geral da República recomenda que o aparelho seja substituído pela perícia para provar embriaguez. (Págs. 1 e 7)

Valor Econômico

Começa nova corrida ao óleo na Amazônia
Vinte e cinco anos depois de a Petrobras ter iniciado sua operação na bacia do rio Solimões, no Amazonas, começa uma nova corrida para exploração de petróleo no Estado. A empresa privada HRT Oil & Gas iniciou há um mês a perfuração de seu primeiro poço perto de Tefé. A companhia é operadora de 21 blocos no Amazonas, numa área de 48.485 km2, duas vezes maior que a da Petrobras na região e equivalente a duas Dinamarcas.

A Petrobras explora oito áreas nas bacias do Solimões e Amazonas, onde já perfurou dez poços. Até 2015, a HRT planeja ter 130 poços. "A região tem o melhor petróleo do Brasil", diz o presidente da empresa, Marcio Mello, que saiu da Petrobras nos anos 90. Os investimentos da HRT e de sua sócia Petra Energia estão orçados em US$ 3,5 bilhões até 2014. (Págs. 1 e A12)
Modificação recheia MPs de 'contrabando'
Dois meses após acertar sua participação como vice na chapa de Dilma Rousseff, o então presidente da Câmara, Michel Temer, modificou uma de suas principais decisões que tornava inadmissível a inclusão, no texto de medidas provisórias, de “emendas estranhas ao núcleo material" das MPs, aí incluídas eventuais inserções feitas pelos próprios relatores. Desde então, Temer passou a entender que não cabe indeferimento prévio de qualquer emenda incluída por relator, que só poderia ser rejeitada pelo plenário. A mudança permitiu ao Planalto se valer dos relatores para incluir toda sorte de “emendas-contrabando" nas MPs. Um exemplo é a MP 521. Originalmente, o texto dispunha sobre atividades de médicos-residentes e gratificações a funcionários da AGU, mas acabou recebendo a emenda que flexibiliza a Lei de Licitações para as obras da Copa. (Págs. 1 e A5)
Pão de Açúcar negocia com Carrefour
As discussões sobre uma possível fusão entre Pão de Açúcar e Carrefour no Brasil, iniciadas há cerca de um mês, envolvem representantes das duas empresas, autorizados pelos respectivos acionistas. Se as negociações iniciais evoluírem, a união incluirá o varejo de alimentos, as operações de farmácias e os postos de combustíveis, criando uma empresa de R$ 53,9 bilhões de faturamento bruto.

Abilio Diniz, presidente do conselho de administração do Pão de Açúcar, deu sinal verde à aproximação. A cadeia francesa Casino, acionista do Pão de Açúcar, também foi informada e autorizou o início da conversação. O motor das negociações foi a insatisfação de acionistas do Carrefour com os resultados do grupo no mundo. Ainda há muitas dúvidas sobre como poderia ser a estrutura da nova empresa resultante da fusão. Procuradas, as varejistas não comentaram o assunto. (Págs. 1 e B1)
SDE deve pedir condenação do Ecad por prática de cartel
A Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça deve pedir a condenação do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) por prática de cartel. A razão principal é a fixação arbitrária de percentuais de direitos autorais pelo escritório e pelas associações filiadas.

O processo contra o Ecad foi aberto em julho de 2010 para apurar a forma como as associações de artistas e o escritório determinam os valores que devem ser pagos pelos direitos autorais. O Ministério da Justiça suspeita que o dinheiro vai mais para as associações do que para os músicos. Outro problema desse percentual é que ele não leva em conta as diferenças entre os músicos e seus repertórios. (Págs. 1 e A2)
Concorrência derruba preço de computador e afeta margens
Acelerou rapidamente nos últimos meses a tendência de queda nos preços de computadores no mercado brasileiro. Já é possível comprar por menos de R$ 1 mil um notebook que custava o dobro disso há apenas um ano. Nos últimos 12 meses até abril, o recuo médio dos preços foi de 13,52%. Resultado do câmbio valorizado e da competição entre os fabricantes, a redução nos preços explica o aumento de 22% nas vendas de computadores no Brasil, segundo a consultoria IDC.

Mas o que beneficia o consumidor tem afetado os resultados dos fabricantes, que já convivem historicamente com margens baixíssimas, em parte por conta da constante pressão do varejo. A disputa atual está levando as empresas de menor porte a fechar as portas, além de provocar mudanças de estratégia nos grandes fabricantes. A Positivo Informática, maior companhia nacional do setor, iniciou um extenso processo de reestruturação para manter-se competitiva, que envolve a produção e venda na Argentina. Com a fabricação local, a empresa estima preços 5% a 10% menores. "Não vai ser uma entrada suave, vai ser forte", diz o presidente da Positivo, Hélio Rotenberg. (Págs. 1 e B3)
Argentina quer discutir questões estruturais no intercâmbio comercial com o Brasil (Págs. 1 e A3)

S&P melhora perspectiva para rating brasileiro (Págs. 1 e C1)

Promovalor desembarca em PE
Em parceria com a Odebrecht, o grupo português Promovalor vai construir um complexo multiuso em Cabo de Santo Agostinho (PE), com hotel, centro de convenções, shopping e torres empresariais. (Págs. 1 e B7)
Petrobras terá terminal flutuante
A Petrobras vai investir US$ 350 milhões em um terminal flutuante de tancagem para escoar parte da produção do pré-sal a partir de 2013. A unidade ficará a 90 quilômetros da costa, entre o norte de São Paulo e o sul do Rio de Janeiro. (Págs. 1 e B8)

Camil compra a Femepe
Maior indústria de beneficiamento de arroz e feijão da América Latina, a Camil diversifica suas operações com a aquisição da Femepe, empresa de pescados em conserva de Santa Catarina, dona das marcas Pescador, Alcyon e Navegantes. (Págs. 1 e B11)
Crédito para a cana
O governo vai criar uma linha de crédito para financiar a renovação das plantações de cana por indústrias e produtores independentes. A medida será incluída no Plano de Safra, a ser divulgado em junho. (Págs. 1 e B12)
Bolsa unifica 'clearings'
Unificação das câmaras de liquidação e compensação da BM&FBovespa permitirá a redução das garantias depositadas em seus mercados, hoje de R$ 150 bilhões, em no mínimo 20%, elevando a liquidez no sistema em pelo menos R$ 30 bilhões. (Págs. 1 e C1)
Unik lança pré-pago para Internet
A Unik, administradora de cartões do grupo Rio Bravo, fechou acordo com a americana InCamm para lançar no Brasil um cartão pré-pago para produtos e serviços comercializados pela internet, como jogos, músicas e softwares, diz José Roberto Kracochansky. (Págs. 1 e C7)
Mercado cambaleante
Inflação global, perspectiva de menor crescimento das potências, volatilidade das commodities e ingerência governamental na Petrobras e Vale levam corretoras a reduzir projeções para o Ibovespa, tirando o brilho de um ano que parecia promissor. (Págs. 1 e D1)
Ideias
Assis Moreira

Governo brasileiro é tímido na proteção da indústria nacional contra importações desleais originárias da China. (Págs. 1 e A2)
Ideias
Fabiano Santos

Código Florestal mostra como conflitos de cúpula afastam os partidos dos reais interesses econômicos dos brasileiros. (Págs. 1 e A6)

Estado de Minas

Perueiros de luxo invadem Confins
Além das vans piratas que se multiplicam pela capital, o transporte clandestino tem forte presença no aeroporto internacional da Grande BH. Conforme constatou o Estado de Minas, motoristas atuam com desenvoltura oferecendo serviço mais barato do que o dos táxis. O maior risco é para a segurança, pois são utilizados carros não vistoriados, muitos com licenciamento vencido e várias multas. Para piorar, há veículos dirigidos por condutores que cumprem jornadas de até 17 horas diárias e costumam abusar da velocidade para fazer mais corridas. (Págs. 1, 21, 23 e o editorial ’A praga volta a BH’, 10)
Foto legenda: Cenário de guerra
Tornado que varreu o estado do Missouri (EUA) matou pelo menos 116 pessoas e deixou centenas de feridos na cidade de Joplin. O governo informou que esta é a temporada mais letal em 60 anos. (Págs. 1 e 18)
Inflação: Café da manhã custa mais em casa e na rua
IPCA aponta alta de preços de alimentos no acumulado em 12 meses, com destaque para o pãozinho francês, que subiu 13,7%. O leite sofreu reajuste de 4,31% nos últimos 30 dias, segundo o IPC-S. (Págs. 1 e 12)
Tablets no forno
Doze empresas querem produzir o gadget no país depois da isenção de PIS e Cofins. (Págs. 1 e 13)
Carros chineses: Concorrência reduz preço de veículos
Fiat e Volkswagen anunciam modelos compactos voltados para centros urbanos a fim de competir com o asiático Chery QQ, o mais barato do mercado nacional. (Págs. 1 e 15)
Educação: 170 mil já estão inscritos no Enem
Prazo vai até 10 de junho. Exame valerá como primeira etapa do vestibular da UFMG, cujas regras serão anunciadas na próxima terça. (Págs. 1 e 26)
Educação: Superuniversidade de MG sai do papel
Consórcio de sete universidades federais do interior do estado receberá R$ 20 milhões do MEC e terá sede em Caxambu. (Págs. 1 e 24)
DDD: Ligação mais barata em 39 regiões metropolitanas (Págs. 1 e 13)

Jornal do Commercio (PE)

Segurança reforçada na porta do Fórum
Júri de acusados pela morte de Jennifer Kloker começa hoje, em São Lourenço, com 52 homens de três batalhões de policiamento. Promotoria usará vídeos para tentar condenar os quatro réus. (Págs. 1 e Cidades 1 e 2)

Foto legenda: Tornado arrasa cidade dos EUA
Fenômeno devastou Joplin, no Missouri, matando 116 pessoas e deixando um rastro de destruição. (Págs. 1 e 9)
Rachadura causou naufrágio no Lago Paranoá
Tubo de flutuação apresentou problema. Entre as 102 ou 103 pessoas no barco, até seis podem estar desaparecidas. (Págs. 1 e 7)
DNA de diretor do FMI encontrado em sêmen na roupa da camareira (Págs. 1 e 9)

Inep agiliza inscrição do Enem tirando dúvidas dos feras pelo Twitter (Págs. 1 e Cidades 6)

PAC financiará espaços culturais e esportivos em bairros de Jaboatão (Págs. 1 e Cidades 4)

Carne mais barata
Preço deve cair 10% até junho, por causa do aumento da oferta. (Págs. 1 e Economia 5)

Zero Hora (RS)

Ligações entre 31 cidades terão custo de chamadas locais
A partir de sábado, mudança na telefonia fixa beneficiará 4 milhões de moradores da Grande Porto Alegre, a exemplo de outras regiões metropolitanas do país. (Págs. 1 e 25)




No comando: Dilma tenta destravar o Código Florestal
Presidente toma a frente das negociações, disposta a flexibilizar o cultivo nas margens de rios, sem anistiar desmatadores. (Págs. 1, 4 e 5)
Tablets ganham alívio em imposto (págs. 1 e 18)

Brasil Econômico

Governo recua para aprovar o Código Florestal
Depois de ser adiada três vezes, reforma deve ser votada hoje na Câmara dos Deputados. Emenda acordada pelo PMDB deve ser derrubada

Equipe de Dilma Rousseff oferece a ruralistas manter pequenas propriedades em área protegida. Em troca, quer ter controle sobre uso de terras que deveriam ser preservadas. Desta forma, alega atender também os ambientalistas. Se conseguir consenso, presidente se livra de pressões futuras que viriam com o veto ao texto. Ex-senadora Marina Silva critica relator do novo Código, Aldo Rebelo: “Ele representa o que há de mais atrasado no nacionalismo primitivo”. Para ela, é preciso recuperar a força do Ministério do Meio Ambiente. (Págs. 1 e P4)


Ontem, dez ex-ministros do Meio Ambiente foram a Brasília apresentar carta aberta contra a revisão do Código Florestal. Para eles, texto representa retrocesso. (Pág. 1)
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defende Palocci e diz que enriquecer com causa justificada não é crime (Págs. 1 e P12)

Dívida pública federal sobe para R$ 1,73 trilhão em abril, impulsionada por demanda por títulos prefixados (Págs. 1 e P10)

Soja do Brasil ganha com carne sem transgênico do Carrefour
Rede varejista planeja expandir para outros países o selo de carne livre de transgênicos adotado na França. As vendas dessa linha exigem a importação de 200 mil toneladas de soja convencional do Brasil. (Págs. 1 e P18)
OGX pesa sobre o índice Bovespa
Ação de petrolífera é a responsável por 14% da retração do Ibovespa no ano. (Págs. 1 e P34)
Bola da vez em cartões, pré-pago atrai Visa e Elo
Destinado a atrair o público não bancarizado mas com crescente apetite para consumo, pré-pago será lançado no segundo semestre pela Elo, enquanto Visa estrutura rede para recarga. (Págs. 1 e P30)
Sita pretende dobrar de tamanho com aeroportos
Empresa de tecnologia para operação de companhias aéreas e aeroportos sediada na Bélgica espera alcançar o objetivo em cinco anos. Aumento do tráfego aéreo deve contribuir. (Págs. 1 e P24)

Fontes: Radiobras – JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br