Atualizado 19h56 Sexta, 16 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Consumidores já pagaram R$ 54,4 bilhões de juros

392 acessos - 0 comentários

Publicado em 10/05/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



Metade dos brasileiros já gasta mais do que ganha. Nos primeiros quatro meses de 2011, os consumidores pagaram R$ 54 bilhões só com juros de financiamentos. “A ladainha do consumidor - Devo, não nego. E vou gastar mais”. OUTROS DESTAQUES - Inflação faz governo pressionar Petrobras a baixar a gasolina. Depressão e álcool tiram mais anos de vida do brasileiro. Mais 2 ministros recebiam diárias indevidamente. Governo quer abater dívida rural de quem reflorestar. Prefeitos fazem marcha por verbas. Homicídios dolosos tem queda de 17,7% no Rio em um ano. Justiça pune discriminação estética. Governo joga duro com os médicos dos planos de saúde. Metade das cidades gaúchas ignora o Código de Trânsito. Homossexuais sofrem para oficializar união. D. Raymundo é eleito para CNBB. Paquistão critica ação 'unilateral' americana.

DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, TERÇA-FEIRA, 10 DE MAIO DE 2011.

O Globo

Inflação faz governo pressionar Petrobras a baixar a gasolina
Ministro Lobão diz que BR será usada para forçar a queda dos preços

Para segurar a inflação, o governo decidiu usar a BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras, para forçar a queda dos preços dos combustíveis aos consumidores. O ministro Edison Lobão disse que a pressão sobre a BR, que tem 7 mil postos no Brasil (18% do total) e controla 47,8% do volume de combustíveis vendidos, tem como objetivo acirrar a competição, em um setor que, para ele, vive um processo de cartelização. "O governo vai pressionar a BR para baixar o custo. Se os outros (revendedores) não seguirem a queda, a BR vai vender mais", disse Lobão. Entre janeiro e abril, o álcool subiu 31 % e a gasolina, 9,58%. A federação que representa os donos de postos classificou as declarações de Lobão de "irresponsáveis e infundadas". Nas usinas, os preços de álcool hidratado e anidro (misturado à gasolina) caíram na semana passada, pela segunda vez consecutiva, mas a queda ainda não chegou ao consumidor. (Págs. 1 e 19)

Metade dos brasileiros já gasta mais do que ganha
Com a ampla oferta de crédito, 53% dos brasileiros gastaram mais do que receberam no ano passado. O gasto médio mensal do consumidor foi de R$ 2.171, enquanto a renda não passou de R$ 2.146. A situação não era registrada desde 2005. Nos primeiros quatro meses de 2011, os consumidores pagaram R$ 54 bilhões só com juros de financiamentos. Consumidores pagaram R$54,4 bi apenas com juros de financiamentos

SÃO PAULO. A grande oferta de crédito levou o brasileiro a gastar mais do que ganhou em 2010. Segundo pesquisa da Associação Paulista de Supermercados (Apas), o gasto médio mensal do consumidor foi de R$2.171; já sua renda não passou de R$2.146. Pela sondagem, 53% dos entrevistados disseram estar nessa situação - que não era registrada pelo conjunto da população desde 2005. O buraco mensal médio de R$25 no orçamento foi coberto por empréstimos. Encomendada às consultorias Nielsen e Kantar WorldPanel, a pesquisa teve amostra de 8.200 lares em cidades com mais de 10 mil habitantes.

- O desejo de consumo, aliado à oferta de financiamentos, fez o consumidor se embebedar no crédito - disse Martinho Paiva, diretor de Economia e Pesquisa da entidade.

A pesquisa mostra que, em relação a 2009, os gastos mensais apresentaram uma variação de 16%. Já a renda média mensal subiu menos, 13%.

Desembolso das empresas com juros foi de R$42,4 bi

Enquanto o desembolso das classes D e E avançou 14%, os grupos de renda média e alta aumentaram o consumo entre 10% e 13%. Para a Apas, até o fim do ano, a população pertencente à classe C supera pela primeira vez aquela das classes D e E. Hoje 38% da população, a classe C deve chegar a 41%, contra 36% das D e E e 23% das A e B.

A entidade não vê um descontrole de gastos. O cenário é de equilíbrio do orçamento.
- O próprio consumidor corrigirá essa rota - disse Sussumu Honda, presidente da Apas.

A forte expansão das operações de crédito em 2010 fez os brasileiros desembolsarem R$54,4 bilhões apenas para pagar juros dos financiamentos nos primeiros quatro meses do ano, segundo a Federação do Comércio de São Paulo (Fecomércio-SP). Desse total, R$4 bilhões resultaram da alta dos juros médios dos financiamentos bancários no período, que passaram de 38% ao ano no fim de 2010 para 45% ao ano em 30 de abril. (...) (Por Aguinaldo Novo e Ronaldo D"Ercole. Fonte: Clipping do Ministério do Planejamento.) (Págs. 1 e 20)


Na companhia de Uruguai, Argentina e Venezuela...
Enquanto a inflação no Brasil já estourou o teto da meta fixada, de 6,5%, em países da América Latina, como México, Chile, Colômbia e Peru, a variação de preços em 12 meses ainda não chegou a 4%. O Brasil só perde na região para Argentina, Venezuela e Uruguai. Especialistas culpam a demora do governo de elevar os juros e corte de gastos insuficiente. (Págs. 1 e 21)
Homicídios dolosos tem queda de 17,7% no Rio em um ano (Págs. 1 e 17)

Mais 2 ministros recebiam diárias indevidamente
Além da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, Paulo Bernardo (Comunicações) e Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário) receberam diárias por folgas em suas cidades. A CGU decidiu que Ana terá de devolver o dinheiro. Os outros devem fazer o mesmo. (Págs. 1 e 5)
Ministério cede mais para aprovar o Código Florestal
O Ministério do Meio Ambiente já aceita abrir mão do reflorestamento de 23 milhões de hectares de reserva legal desmatados ilegalmente no país, dentro de um acordo para votar o projeto do Código Florestal na Câmara dos Deputados, hoje ou amanhã. A área corresponde a cinco vezes o tamanho do Estado do Rio. O texto autoriza os produtores a somar a Área de Preservação Permanente (APP) com a reserva legal. (Págs. 1 e 4)

Clínica da Família não acha médicos
Uma das Organizações Sociais que asumiram unidades de saúde municipais está oferecendo até R$ 15 mil para médicos dispostos a atuar nas Clínicas da Família. O sindicato da categoria diz que há desinteresse devido à necessidade de dedicação exclusiva (Págs. 1 e 15)
As revelações de Mano para 2014
A seleção já tem esquema tático para a Copa de 2014. Sob aplausos de Carlos Alberto Parreira e Zagallo, o técnico Mano Menezes garantiu que o Brasil atuará no 4-3-3. Os três participaram do seminário sobre o Mundial, promovido pelos jornais o GLOBO e "Extra". Mano disse ainda que a lista para a Copa América terá "pouquíssimas surpresas", Zagallo afirmou que Ronaldinho não tem condições de jogar na seleção. (Págs. 1 e Caderno Esportes)

Folha de S. Paulo

Depressão e álcool tiram mais anos de vida do brasileiro
Transtornos psiquiátricos lideram lista de males crônicos que provocam incapacitação física, perda do bem-estar e morte

Os transtornos psiquiátricos lideram a lista das doenças crônicas responsáveis por anos de vida perdidos no país, mostram estudos sobre o Brasil publicados no periódico médico "Lancet". Ano perdido é um conceito de 'saúde pública mais abrangente, que leva em conta não apenas as mortes causadas pela doença, mas o fardo social que ela representa em incapacitação e perda de qualidade de vida. (Págs. 1 e Saúde C12)

Análise

Saúde mental é uma área em que o SUS é vulnerável, escreve Hélio Schwartsman. (Págs. 1 e Saúde C12)
'Interventora' petista tentará abafar crise na área da Cultura
O governo nomeou uma "interventora" no Ministério da Cultura para conter disputas e preservar a ministra Ana de Hollanda, alvo de críticas, acentuadas com o uso de diárias em fins de semana sem agenda.

A secretária nacional de Cultura do PT, Morgana Eneile, se tornou assessora especial. (Págs. 1 e Poder A4)

Sobrinha da ministra, Bebel Gilberto teve autorização do MinC para captar R$ 1,9 milhão para turnê. (Págs. 1 e Poder A4)
Foto legenda: Em terra
Na ilha de Lampedusa (Itália), guardas recebem refugiados vindos da Líbia; outros imigrantes disseram que helicóptero da Otan negou-lhes ajuda. (Págs. 1 e Mundo A13)
Paquistão critica ação 'unilateral' americana
Um dia após Barack Obama sinalizar que houve apoio interno à presença de Osama bin Laden no Paquistão, o premiê Raza Gilani disse que novas ações como aquela trariam "risco de sérias consequências". O premiê negou "cumplicidade" de seu país e prometeu investigar como Bin Laden pôde viver cinco anos em Abbottabad, próximo à academia do Exército, e se o terrorista se escondeu numa rede de cavernas antes de refugiar-se na cidade em que morreu. (Págs. 1 e Mundo A11 e A12)
Foto legenda: Enfim
Casal Toni Reis e David Harrad ao fim da cerimônia de registro de sua união, em Curitiba; parte dos cartórios do país ainda se recusa a fornecer documento. (Págs. 1 e Cotidiano C4)
EUA não tinham alternativa, diz Nobel da Paz
A operação que resultou na morte de Osama bin Laden foi o que restou para os EUA diante da recusa do terrorista a se entregar para ser julgado, disse à Folha a ativista iraniana Shirin Ebadi, Nobel da Paz de 2003. Ebadi, que vem ao Brasil em junho, afirmou, porém, que nada justifica a tortura em Guantánamo. (Págs. 1 e Mundo A12)
Síria é acusada de usar estádios para prender ativistas
Ativistas de direitos humanos afirmam que as forças de segurança da Síria estão usando estádios de futebol para prender quem protesta contra o regime.

Para conter manifestações, o governo corta comunicações e energia em várias cidades. Após sete semanas, a estimativa é de 800 mortos. (Págs. 1 e Mundo A13)
Editoriais
Leia "Caldeirão eleitoral", sobre doações ocultas nas campanhas, e
"Prejuízo federativo", que questiona projetos de plebiscitos para desmembrar o Pará. (Págs. 1 e Opinião A2)

O Estado de S. Paulo

Governo quer abater dívida rural de quem reflorestar
Proposta pode reduzir débitos em até 70% e visa a facilitar votação da reforma do Código Florestal

Em nova tentativa de acordo para votar a reforma do Código Florestal, o governo acenou ontem à noite com abatimento substancial da dívida agrícola para os produtores rurais que recuperarem áreas de preservação permanente em margens de rios e encostas, informa Marta Salomon. Projeções do governo mostram que a dívida dos produtores, estimada em R$ 80 bilhões, poderia ser reduzida em até 70% pelo mecanismo proposto. O estímulo financeiro seria calculado com base em redução de emissões de gases de efeito estufa. A cada tonelada de carbono "poupada" com o replantio de áreas, o produtor ganharia cerca de R$ 17. Estima-se que cada hectare replantado represente o corte de 90 toneladas de carbono. A votação da reforma do Código Florestal está para ser retomada hoje na Câmara. (Págs. 1 e Vida A16)


Izabella Teixeira
Ministra do Meio Ambiente

"O acordo não fere o compromisso de reduzir emissões de carbono e acolhe questões do agronegócio”. (Pág. 1)
Fusão de Sadia com Perdigão corre risco
A Procuradoria-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) emitiu parecer que ameaça a fusão Sadia-Perdigão. O órgão recomenda restrições, que podem incluir a venda de uma das duas marcas, ou a reprovação do negócio, relata a repórter Raquel Landim. Os conselheiros votarão o caso. (Págs. 1 e Economia B1)
D. Raymundo é eleito para CNBB
o arcebispo de Aparecida, d. Raymundo Damasceno, sera o novo presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Substituirá d. Geraldo Lyrio. (Págs. 1 e Vida A17)
Secretário de Kassab tem 6 condenações
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), nomeou para a Secretaria de Participação e Parceria Uebe Rezeck (PMDB), réu em 93 ações em 14 anos. Ex-prefeito de Barretos, ele tem seis condenações judiciais, uma delas confirmada em segunda instância. Rezeck afirma que recorreu de todas as decisões. (Págs. 1 e Cidades C1)
Ministra terá de devolver verba de diárias
A Controladoria-Geral da União (CGU), órgão de controle do governo federal, pediu que a ministra Ana de Hollanda (Cultura) devolva as diárias recebidas por dias não trabalhados no Rio, onde tem imóvel. O caso foi revelado pelo Estado. A assessoria do Ministério da Cultura informou que o pedido será acatado. (Págs. 1 e Nacional A7)
Prefeitos fazem marcha por verbas
Cerca de 4 mil prefeitos estarão hoje em Brasília para pressionar a presidente Dilma Rousseff e o Congresso por verbas. Os pedidos alcançam R$ 27,9 bilhões. (Págs. 1 e Nacional A4)
Dora Kramer
Apropriação indébita

Quando compactua com truques para arrumar suas finanças partidárias, a oposição perde autonomia para fiscalizar os governistas. (Págs. 1 e Nacional A6)
Notas & Informações
Representatividade subvertida

A criação dos Estados de Carajás e Tapajós é financeira e institucionalmente prejudicial ao País. (Págs. 1 e A3)

Correio Braziliense

A ladainha do consumidor - Devo, não nego. E vou gastar mais
A maioria dos brasileiros entrou em uma perigosa armadilha financeira. Pela primeira vez em cinco anos, 53% das famílias gastam mais do que recebem. Segundo dados coletados pelo Banco Central, o trabalhador deve uma montanha de dinheiro a bancos e cooperativas de crédito: R$ 806 bilhões. Somente de janeiro a abril deste ano, os correntistas pagaram de juros R$ 54,4 bilhões às instituições financeiras — mais do que o corte que o governo Dilma pretende fazer no Orçamento de 2011. Especialistas atribuem a gastança à grande oferta de dinheiro na praça e ao hábito de manter as finanças com cheque especial e parcelamento de cartão de crédito. E recomendam: para sair do atoleiro dos juros, é preciso cortar gastos e trocar as dívidas mais caras por financiamentos baratos. (Págs. 1 e 8)


A ladainha do governo
Lobão está feroz

Ministro condena abertamente suposto cartel entre postos de combustíveis no DF. E ouve a resposta: “É dever do governo agir e aplicar as sanções cabíveis”. (Págs. 1 e 29)


Ganância incurável

Ministério proíbe médicos de cobrar valor extra dos pacientes em consultas pelo plano de saúde. Mas categoria vai à Justiça exigir maiores ganhos dos convênios. (Págs. 1, 9 e Visão do Correio, 12)
E Chávez dá o bolo
Estava tudo pronto em Brasília para a visita oficial do presidente venezuelano a Dilma. Mas, em cima da hora, Hugo Chávez cancelou a viagem, por problemas médicos. Amigo e aliado de Lula, ele tenta conquistar também o coração da presidenta. E uma das armas é implementar em seu país um programa habitacional nos moldes do Minha Casa, Minha Vida, menina dos olhos da petista. (Págs. 1 e 14)
Prefeitos: Romaria ao Planalto por dinheiro
Cerca de 4,2 mil representantes de municípios de todo o país estão em Brasília para pedir mais verbas à União. Eles vão conhecer o projeto de combate à miséria do governo. Mas também pretendem debater temas como a criação de um imposto para a saúde. (Págs. 1 e 2)
Congresso: Governo dribla para usar verbas
Projetos de lei votados às pressas na semana passada mudaram o destino de bilhões de reais previstos no Orçamento de 2010. Na prática, o governo federal conseguiu a autorização para gastar recursos que estavam em caixa. (Págs. 1 e 5)
Foto legenda: Campo de batalha na BR-040
Um protesto de moradores de Valparaíso (GO) acabou em confronto com a Polícia Rodoviária. A estrada foi bloqueada após o atropelamento e morte de uma menina de 9 anos. Os policiais atiraram balas de borracha contra os manifestantes e duas pessoas ficaram feridas. (Págs. 1 e 24)
Alimentação: Obesidade, um hábito de família
Nutricionistas apontam os pais como os maiores responsáveis por problemas de peso em crianças de 4 a 6 anos no Brasil. Segundo pesquisa, a cultura alimentar ultrapassada adotada na maioria das famílias agrava o problema. Mais de 22% de meninos e meninas nessa faixa etária estão com sobrepeso. (Págs. 1 e Saúde, 17)

Valor Econômico

Tesouro quer limitar gastos com custeio administrativo
O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, defendeu a fixação, em lei, de limite para a expansão dos gastos com o custeio administrativo, que abrange passagens, diárias, material de escritório, terceirizações, reformas etc. Para ele, o crescimento dessas despesas deveria ser limitado em 2,5%, em relação ao ano anterior, mais a inflação. Esse é o critério previsto no projeto de lei em tramitação na Câmara para a expansão da folha de pessoal. Segundo Augustin, o teto para custeio administrativo poderia ser incluído no mesmo projeto. "Essa não é uma discussão especificamente do Executivo", disse ao Valor. "É também do Congresso e da sociedade, é um debate estratégico e de longo prazo".
Independentemente do projeto, o secretário disse que o governo trabalha para que, a partir deste ano, o gasto de custeio cresça menos do que a variação nominal do PIB. "Teremos uma trajetória de crescimento no ano abaixo do PIB nominal para as despesas de custeio e acima do PIB nominal para as despesas de investimento", afirmou. (Págs. 1 e A12)
Suspeitas de triangulação chinesa na AL
O crescimento expressivo de importações de produtos submetidos a sobretaxas antidumping, provenientes do Uruguai e do Paraguai, começa a levantar suspeitas entre empresários brasileiros sobre a existência de um novo esquema de triangulação para a entrada de produtos chineses no mercado brasileiro. Entre os itens que chamam mais a atenção estão cobertores, tecidos de malha, pneus e partes de calçados. Um dos exemplos é a venda de cobertores do Uruguai, que nos quatro primeiros meses de 2011 aumentou seis vezes em relação ao mesmo período do ano passado. (Págs. 1 e A3)
Bovespa cai 6,76% no ano apesar das commodities
Apesar dos bons resultados das empresas, da perspectiva de continuidade do crescimento do país e da alta das commodities, o Índice Bovespa acumula queda de 6,76% no ano. Ao mesmo tempo, na bolsa americana, o índice Standard & Poor's 500 sobe 7,05%. E mesmo em relação aos países emergentes a bolsa brasileira perde, como mostra o índice MSCI Emergentes, com alta de 0,96%.
Fatores locais impediram que as commodities puxassem o Ibovespa. Apesar da alta do petróleo tipo Brent, de 21,85% no ano, as ações preferenciais da Petrobras caem 8,92%. A Vale, com toda alta do minério de ferro, cai 6,55% no ano. Em ambos os casos, a interferência do governo nas companhias é apontada como explicação para a queda. Ao mesmo tempo, surgiram dúvidas sobre a eficácia do governo no combate à inflação e problemas na Europa. Hoje, a bolsa é considerada barata pela maioria dos analistas. (Págs. 1, D1, D2 e D4)
Foto legenda: Mais atendimento
A Beneficência Portuguesa, dirigida por Rubens de Moraes, planeja a construção de uma nova torre no São José - hospital premium criado em 2007 para que sua receita ajude a cobrir as despesas da própria Beneficência. "O repasse do governo é insuficiente", diz Moraes. (Págs. 1 e B4)
Justiça pune discriminação estética
A Justiça do Trabalho tem sido cada vez mais chamada a decidir se as companhias podem interferir na aparência de seus empregados. O Judiciário entende que elas podem ter manuais de conduta e que o descumprimento dessas orientações pode justificar demissões. No entanto, empresas que impõem exigências consideradas descabidas têm sido condenadas a pagar indenizações por "discriminação estética". O Bradesco, por exemplo, deverá pagar R$ 100 mil por danos morais à coletividade dos trabalhadores por proibir o uso de barba a seus funcionários. A decisão, da 7ª Vara do Trabalho de Salvador, determinou ainda a retirada da norma do manual da empresa. Em outro caso, uma vendedora da C&A obteve indenização de R$ 30 mil no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Ela afirma que foi demitida por ser considerada "feia e velha" para os padrões estéticos da empresa. O TST, porém, considerou legal a demissão de um funcionário do supermercado Atacadão que usava piercing. As normas da empresa proíbem o acessório. (Pàgs. 1 e D11)
Parecer impõe condições à criação da BRF
A Procuradoria do Cade concluiu um parecer favorável à compra da Sadia pela Perdigão, mas com importantes restrições. Segundo o documento, que servirá de base para o julgamento final do negócio, a BR Foods deve vender marcas e fábricas para permitir que uma concorrente tenha condições reais de competir com Sadia e Perdigão.
No texto, que não especifica marcas ou fábricas a serem vendidas, o procurador-geral do órgão antitruste, Gilvando Araújo, diz que caso a empresa não concorde com as medidas que facilitariam a concorrência, "impõe-se a reprovação da operação". Nos mercados de peru temperado congelado, chester e tender a concentração entre a Sadia e Perdigão atinge de 80% a 90%. Em carnes processadas para consumo a frio o domínio seria de 90% a 100%. (Págs. 1 e D11)
Oposição definha na Argentina e Cristina caminha à reeleição (Págs. 1 e A9)

UE quer restringir preferências
A União Europeia anuncia hoje seu plano para redução de preferências tarifárias de 171 para 80 países, entre eles o Brasil. O benefício atinge cerca de 12% das exportações brasileiras para o bloco. (Págs. 1 e A3)
Ação preventiva
Os conflitos trabalhistas que paralisaram as obras das hidrelétricas do Madeira levaram as grandes construtoras a adotar critérios mais rígidos de subcontratação de empreiteiras. (Págs. 1 e B10)
Unigel constrói fábrica
A Unigel anuncia hoje a construção de uma fábrica de ABS, no Guarujá (SP), com investimento de R$ 70 milhões. A nova unidade terá uma capacidade de 90 mil toneladas por ano da resina, usada na produção de autopeças e eletrodomésticos. (Págs. 1 e B11)


Eólicas atrasadas
Um terço dos empreendimentos eólicos, já com outorga de concessão, está com o cronograma atrasado, segundo relatório de fiscalização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). (Págs. 1 e B11)

Colheita avança e álcool cai
A aceleração da colheita de cana no Centro-Sul, beneficiada pelo clima mais seco, ajudou a derrubar os preços do álcool. Nas usinas paulistas, o anidro, misturado à gasolina, foi negociado a R$ 1,88 o litro, baixa de 31% em relação ao recorde de abril. (Págs. 1 e B13)

Mellita aumenta produção
A multinacional de origem alemã Melitta vai investir R$ 58 milhões no Brasil neste ano. A capacidade de produção de café na fábrica de Avaré (SP) vai aumentar 30% e na unidade de papéis e acessórios, em Guaíba (RS), 10%, diz Bernardo Wolfson, presidente no país. (Págs. 1 e B14)
Coteminas estreia no campo
Coteminas, Agrícola Estreito e GFN Agrícola unem-se para criar a Cantagalo General Grains e a subsidiária de comercialização CGG Trading. A empresa nasce com 151 mil hectares de terras próprias no Mato Grosso, Goiás, Minas e Piauí. (Págs. 1 e B14)
Ideias
Delfim Netto

EUA estão longe de ter achado uma política econômica que reanime seu crescimento sem elevar o endividamento. (Págs. 1 e A2)
Ideias
Luis Eduardo Assis

A grande mudança na política econômica parece ser a disposição de correr riscos maiores em relação à inflação. (Págs. 1 e A10)

Estado de Minas

Governo joga duro com os médicos dos planos
A Secretaria de Direito Econômico (SDE) proibiu os médicos de suspenderem o atendimento aos usuários dos convênios, como na paralisação nacional de 7 de abril. A secretaria também recomendou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a condenação das entidades nacionais representativas dos profissionais de medicina por tê-los influenciado a cobrar um piso pelo atendimento, ainda que acima do valor coberto pelos planos. E estabeleceu multa diária de R$ 50 mil às entidades, caso coordenem movimentos de descredenciamento em massa dos médicos. (Págs. 1, 12 e o Editorial ’Os médicos em conflito’, 10)
A revoada dos prefeitos
A cada ano o fenômeno se repete. Mais de 2 mil chefes de Executivo, incluindo 350 de Minas, desembarcam hoje em Brasília para a peregrinação anual de pires na mão. Na bagagem, velhas demandas, como o aumento do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e verbas para saúde e educação. Este ano, entretanto, muitos estão desanimados devido à falta de retorno das propostas. Os mineiros levam na pauta o fim das emendas parlamentares e a reforma tributária. (Págs. 1, 3 e 4)
Combustíveis: Preço menor não chegou a postos ainda
Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão anuncia redução do valor, devido ao fim da entressafra de cana. Mas apenas as distribuidoras registraram queda até agora. (Págs. 1 e 14)
Consumo: Brasileiros gastam mais que ganham
Pesquisa em 8,2 mil lares mostra que 53% das famílias brasileiras têm despesas superiores ao que recebem. A renda média mensal em 2010 foi de R$ 2.146, enquanto os gastos somaram R$ 2.171. (Págs. 1 e 13)
BR-381
Mais uma ponte ameaça ruir e piorar tráfego na estrada. (Págs. 1 e 24)
Cuba
Governo pode liberar viagens de turismo ao exterior. (Págs. 1 e 19)

Jornal do Commercio (PE)

Recife vai derrubar casas em área de risco
Após retirar 50 famílias dos morros, a meta da Prefeitura do Recife é erradicar as moradias para evitar a reocupação. Previsão para o Grande Recife é de chuvas acima da média até agosto. (Págs. 1 e Cidades 1 e 2)
Foto legenda: De volta para casa
Em Palmares, na Mata Sul, e na Vila Arraes, na Várzea, o recuo das águas foi o sinal para o recomeço. Moradores juntaram o que sobrou das enchentes e retornaram às suas residências. Construção da nova barragem de Serro Azul, em Palmares, deve desalojar 230 famílias. (Págs. 1 e Cidades 1 e 2)
Direito dos idosos ainda são desrespeitados
Por mais que a lei defenda os maiores de 65 anos, benefícios nem sempre são percebidos. (Págs. 1, Consumidor e Economia, 4)
Migrar de plano de saúde vai gerar reajuste
Quem escolher sair do plano antigo para um novo pode arcar com aumento de até 20,59% na mensalidade. (Págs. 1 e Economia 1)
EUA não vão pedir desculpas pela operação que matou Bin Laden (Págs. 1 e 9)

Homossexuais sofrem para oficializar união
Um paranaense e um inglês tiveram que percorrer cinco cartórios até que alguém assinasse o documento atestando o relacionamento. (Págs. 1 e 6)
Brasil deve oferecer 75 mil bolsas de estudo no exterior, diz Dilma (Págs. 1 e 6)

Política: Kassab faz convite a Marco Maciel
Ex-senador pode integrar governo paulista, mesmo não aderindo ao PSD. (Págs. 1 e 4)

Zero Hora (RS)

Manchete: Metade das cidades gaúchas ignora o Código de Trânsito
Exigida há 13 anos, desde a mudança na lei, a integração ao Sistema Nacional de Trânsito foi realizada apenas por 47% das prefeituras, o que impede as demais de aplicar multas e estimula a imprudência.


Falta de cadastro gera impunidade em 263 municípios.

Veja a relação das cidades nesta situação.

Prefeituras alegam custo alto ao descumprir a lei.

PMs autuam, mas multas não têm validade. (Págs. 1, 4 e 5)
Novo endereço: Fechamento de fábrica desemprega 800 em Parobé
Símbolo do Vale Calçadista do RS, a Azaleia concentra a produção no Nordeste e no Exterior. (Págs. 1 e 18)
Pré-seleção: Doze cidades do RS estão no mapa da Copa (Págs. 1 e Esportes)

Fontes: Radiobras – JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br