Atualizado 19h36 Segunda, 19 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

“Mensalão não foi invencionice”

860 acessos - 0 comentários

Publicado em 18/04/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, SEGUNDA-FEIRA, 18 DE ABRIL DE 2011.

Folha de S. Paulo

PF reduz atuação nas fronteiras
Corte no orçamento afeta ações de combate ao tráfico de armas e drogas; ministro nega problemas na fiscalização

O corte no orçamento deste ano da Polícia Federal prejudicou a fiscalização nas fronteiras e as ações de combate ao narcotráfico e ao contrabando de armas, num momento em que o país volta a discutir o controle dos armamentos.

Houve redução do efetivo desde a Amazônia até o Sul, informam Kátia Brasil e Rodrigo Vargas. Pelo menos um posto fronteiriço foi desativado, e projetos deverão ser adiados. A diminuição dos gastos ocorre na esteira do contingenciamento no Orçamento da União.

Segundo policiais que atuam em Ponta Porá (MS), na fronteira com o Paraguai, faltam carros, combustível e até coletes à prova de bala.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que o corte orçamentário foi necessário “para a estabilidade do país” e negou problemas na fiscalização das fronteiras. A direção da PF não quis falar. (Págs 1, e A4)

Mensalão não foi invencionice, afirma autor da denúncia no STF
Responsável pela denúncia do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal), o ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza diz que a reabilitação política de envolvidos “não pode sugerir que tudo passou de invencionice”. (...) “Estou plenamente qualificado a dizer que tal suposição é incorreta”.

Ele afirma haver elementos suficientes para condenar os 38 réus e critica a demora da PF (cinco anos) em investigar o caso. Advogando desde que se aposentou do Ministério Público, em 2009, ele afirma que há elementos suficientes para condenar os 38 réus que ainda permanecem na denúncia. O motivo: "parte relevante dos valores teve origem em recursos públicos". O ex-presidente Lula chegou a prometer que iria desmontar a "farsa do mensalão". (Págs. 1 e A16)

França barra trem com tunisianos vindo da Itália
A França bloqueou ontem à tarde o tráfego ferroviário proveniente da Itália para evitar a chegada de um trem com cerca de 60 imigrantes tunisianos que participavam de protesto por liberdade de acesso à Europa.

O governo francês diz que não dera permissão para o ato. Autoridades italianas criticaram a medida. Desde a revolta que derrubou o ditador Zine El Abidine Bem Ali, 30 mil tunisianos migraram para a Itália. (Págs. 1 e A14)
Parado em blitz, Aécio se nega a passar por bafômetro
O senador Aécio Neves (PSDB-MG), que estava com a carteira de habilitação vencida, foi parado em blitz da Lei Seca no Rio, não quis fazer o teste do bafômetro e levou multa de R$ 1.149,23.

Em nota divulgada por sua assessoria, Aécio afirmou que, “caso sua habilitação não estivesse vencida, teria feito o teste para poder continuar dirigindo até sua residência”. (Págs. 1 e A10)
Preço do ovo de Páscoa varia até 110% em São Paulo
Pesquisa de preços do Procon-SP revela que um mesmo ovo de Páscoa de 170 g é vendido a R$ 9,90 na zona norte e a R$ 19,90 no centro, uma diferença de 101%. Em relação a 2010, os produtos estão 2,75% mais caros. (Págs. 1, B12 e Mercado)
Japão prevê que crise nuclear vai demorar mais nove meses. (Págs. 1, A12 e Mundo)
Editoriais
Leia “Ajuste emergente", que compara esforço anti-inflação de Brasil e China; e “As três dívidas do Peru”, sobre o resultado eleitoral no país vizinho. (Págs. 1, A2 e Opinião)

O Globo

Governo não segura dólar e inflação, mas reforça caixa
Medidas como o aumento do IOF elevam arrecadação em R$ 16 bilhões.

O governo vai contar com um reforço extra de caixa de pelo menos R$ 16,3 bilhões com os aumentos de tributos para conter a queda do dólar e diminuir a inflação. Este valor representa quase 14% dos R$ 117,9 bilhões que a equipe econômica se comprometeu a cortar para pagar os juros da dívida pública, o chamado superávit primário. Só a medida mais recente, que elevou o imposto para operações de crédito de pessoas físicas, deve render R$ 10 bilhões em 2011 aos cofres públicos, segundo cálculos de uma consultoria. Até agora, as medidas não tiveram o efeito esperado: o dólar continua em queda, e a inflação ainda não deu trégua. (Págs. 1 e 22)

O ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles escreve sobre a independência da instituição e diz que não discutiu a elevação dos juros com o presidente Lula em dezembro passado. (Págs. 1 e 21)
Blitz apreende carteira vencida de Aécio Neves
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) teve a carteira de habilitação apreendida, por estar com a validade vencida, numa blitz da Lei Seca, ontem de madrugada, no Leblon. Segundo fiscais, o ex-governador de Minas se recusou a soprar o bafômetro, mas a informação foi negada pela assessoria de Aécio. (Págs. 1 e 15)
Bullying já afeta 84,5% dos estudantes no Rio
Uma pesquisa com estudantes de 10 a 16 anos revela que a grande maioria dos alunos – 84,5% dos entrevistados – já foi vítima ou convive com alguém que tenha sofrido de bullying no Rio. Desse total, 40,4% foram os alvos. As aulas recomeçam hoje na escola onde 12 alunos foram mortos. (Págs. 1 e 17)
Crianças também são vítimas de oxi e crack
Drogas que se espalha pelo país e tem efeito mais letal do que o crack, o oxi já tem entre suas vítimas crianças que nem chegaram aos 10 anos. No Acre, por onde a droga entrou no Brasil, menores fumam a pedra de oxi nas ruas sem ser importunados. O crack também ameaça crianças no Nordeste, no Sudeste e no Sul. (Págs. 1 e 3)

O Estado de S. Paulo

Japão prevê crise nuclear até janeiro
Empresa que administra usina de Fukushima quer estabilizar vazamento de radiação em 2 etapas; para moradores, prazo é muito longo

A Tokyo Eletric Power (Tepco), empresa que administra a usina de Fukushima, prevê até nove meses para controlar a crise nuclear provocada pelo acidente no complexo. A companhia pretende reduzir o vazamento de radiação e estabilizar os seis reatores afetados pelo terremoto seguido de tsunami de 11 de março, que deixou 28 mil mortos e desaparecidos. A notícia frustrou as mais de 80 mil pessoas que moram em um raio de 20 km e tiveram de deixar suas casas. Os reparos serão feitos em duas fases. A primeira, de três meses consiste no resfriamento dos reatores e das piscinas onde é armazenado o combustível. Na segunda etapa de até seis meses, técnicos controlarão a liberação de material radioativo e desligarão os reatores. (Págs. 1, A14 e Internacional)

Sobre a radioatividade no mar

Níveis aumentaram drasticamente, levantando a hipótese de terem ocorrido novos vazamentos. (Págs. 1, A14 e Internacional)
Região Norte lidera número de ’apagões’ no Brasil
A Região Norte tem os piores índices de qualidade no fornecimento de energia do País. Em 2010, o brasileiro enfrentou pouco mais de 11 cortes de eletricidade no ano, enquanto os moradores do Norte ficaram quase 50 vezes no escuro. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reconhece que a situação é preocupante e cobrou das distribuidoras um aumento nos investimentos para tentar estancar o problema. (Págs. 1, B7 e Economia)

76 horas é o tempo médio que empresas e casas sofreram interrupções de luz no Norte. (Pág. 1)
Vulcabrás leva para Índia parte de sua produção
Maior fabricante de calçados do País, a Vulcabrás comprou uma fábrica de tênis na Índia, onde vai investir US$ 50 milhões. (Págs. 1, B1 e Economia)
Negócios
Apesar da inflação dos alimentos, redes de fast-food derrubam os seus preços. (Pág. 1)
Blitz Rio flagra Aécio Neves com CNH vencida. (Págs. 1, A8 e Nacional)
Aeronáutica reforma 11 caças por R$ 276 mi (Págs. 1, A12 e Nacional)
Notas & Informações
Ameaça de vexame

O que está ocorrendo nos aeroportos põe a nu as deficiências da gestão pública no Brasil. (Págs. 1 e A3)

Correio Braziliense

Por que o serviço de táxi no DF é caro e ruim
A principal razão é que desde 1974 não são emitidas permissões, e os 3.400 carros autorizados já não dão conta de atender a metrópole de 2,6 milhões de habitantes. Tentativas de melhorar o sistema sempre esbarram no forte lobby da categoria na Câmara Legislativa e no GDF. (Págs. 1 e 21)
Omissão manchada de sangue
Nem a Lei Maria da Penha nem as medidas de proteção do Estado têm sido capazes de garantir a segurança de mulheres ameaçadas de morte. Que o digam Onofra e Benedito Cardoso, casal que já perdeu duas filhas assassinadas pelos maridos. Em 2007, Luciana foi morta na frente das filhas, Gleice, Giovana e Francielle, depois que ela ter procurado a 32ª DP, em Samambaia, para denunciar o marido. Cinco anos antes, Fernanda foi morta com uma facada no banheiro de casa. Os acusados estão presos, mas a família teme que eles em liberdade, voltem a atacá-los. (Págs. 1, 6 e 7)
Líderes fazem pressão por CPI do DFtrans
Chefes dos blocos partidários na Câmara Legislativa reúnem-se amanhã para defender a investigação das suspeitas de irregularidades no sistema de transporte urbano no DF. (Págs. 1 e 20)
Casa Própria: Comprador antigo paga seguro maior
Quem comprou, até julho de 2009, imóvel financiado em bancos públicos e privados está pagando seguro até duas vezes mais caro do que os mutuários mais recentes. Só a Caixa Seguros, que detém 70% das apólices habitacionais no país, reduziu o seguro de 40% para 50%, mas avisou que a medida só valia para os novos contratantes. A cobrança de preços diferentes é ilegal, avaliam especialistas. (Págs. 1, 9 e 10)
Realengo
Onze dias depois do massacre, alunos do 9º ano voltam à escola. (Págs. 1 e 8)
Raúl quer mudar Cuba
No primeiro congresso do Partido Comunista em quase 14 anos, o presidente cubano pediu limitação de mandatos em 10 anos e abertura econômica no país. (Págs. 1 e 15)

Valor Econômico

Remuneração de diretores cresce 36%
Os diretores das companhias abertas brasileiras receberam, em média, R$ 1,86 milhão ao longo de 2010. Isso representa um aumento de 36% sobre o ganho médio de 2009. Os dados consideram remuneração fixa, bônus e pagamento baseado em ações de 189 empresas de capital aberto pesquisadas pelo Valor.

Incluindo não apenas o pagamento aos diretores, mas também aos conselheiros de administração e fiscais, as empresas gastaram R$ 3,29 bilhões em 2010, valor que supera em 33% o desembolso realizado em 2009. (Págs. 1 e D1)
BB quer crescer rápido na Argentina
Onze meses após anúncio de sua primeira compra no exterior, a do banco Patagônia, por US$ 479 milhões, o Banco do Brasil assumiu o comando da instituição com um plano de negócios que prevê a abertura de 60 agencias até 2014 e sua entrada no seleto grupo dos três maiores bancos privados da Argentina.

O Patagônia é o 11º em ativos e em patrimônio liquido do sistema financeiro argentino. O líder, com folga, é o Banco de la Nacion, de controle estatal. Entre os privados, estão à frente o Patagônia o Santander Rio, Macro, Galicia, BBVA Francês, HSBC, Credicoop e Citibank. (Págs. 1, C1 e C3)
MAN e Volks consumam o 'casamento'
A compra da divisão de caminhões e ônibus do grupo Volkswagen pela MAN, empresa alemã de 252 anos, foi concluída há pouco mais de dois anos. Mas a reorganização da nova operação começa a ser percebida agora. O prédio da sede da empresa, no bairro do Jabaquera, em São Paulo, já exibe um novo totem com dois logotipos: o azul arredondado da Volks ao lado do quadro da MAN, nas cores vermelha e preta.

A maior mudança, porém, ocorre na fábrica da empresa, em Resende (RJ). As instalações, inauguradas pela Volkswagen no fim de 1996, estão sendo adaptadas para não apenas acelerar o ritmo da produção como receber a primeira linha de um modelo MAN, que começará a ser vendido no Brasil em 2012. Em dois anos, o ritmo diário de produção passou de 170 para 320 veículos e chegará a 342 quando o novo modelo chegar. (Págs. 1 e B1)
Fotolegenda
Leonardo Moura, diretor-executivo do Figueirense, e o ex-atleta olímpico Renan Dal Zotto, diretor de operações desportivas e marketing: na volta à elite do futebol brasileiro, clube catarinense investe em gestão profissional e planeja dobrar receita, para R$ 33 milhões, em 2011. (Págs. 1 e B8)
Amazônia busca formas de se legalizar
Cresce o número de pequenos produtores de madeira e extrativistas de outros recursos naturais que querem sair da ilegalidade na Amazônia. Este movimento começa a configurar um novo ciclo na vida da Amazônia. A má notícia é que a maquina burocrática emperrou na regularização fundiária. “A nossa reivindicação é que se legalize a pequena propriedade, que possamos fazer plano de manejo e valorizar o nosso produto”, resume Edgar Lima da Silva, presidente da Amopi, associação que reúne 50 fabricantes de móveis em Parintins. “A gente não consegue nem exportar”, diz, referindo-se a vender para outros Estados. A ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira escutou a mesma história em evento em Parintins. Sem a regularização fundiária não se aprova plano de manejo, não há crédito no banco e nenhuma atividade legal prospera. (Págs. 1 e A14)
Declaração de Tombini teria sido ’superdimensionada’
As declarações do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, na sexta em Washington foram “superdimensionadas” pelo mercado, afirmou ao Valor uma fonte que acompanha de perto a estratégia de política monetária. “O que o Tombini disse não tem sentido nem de quantidade nem de tempo”, disse. “A mensagem é que o BC está de olho na meta a ser cumprida em 2012 e vai analisar o que fazer de acordo com as circunstâncias”, afirmou. Na sexta, Tombini agitou o mercado ao afirma que o BC “está no meio de um ciclo de aperto monetário” e
“que tem muito trabalho a ser feito”. Apostava-se que Tombini havia sinalizado que será mais duro na reunião desta semana do Copom. Para a fonte do Valor, a frase de Tombini não significa “nada” sobre a reunião. “Vá ler a página 94 do relatório de inflação. (Págs. 1 e C2)
Cliente de batom muda cara das oficinas
O número crescente de mulheres ao volante mudou a rotina e até a arquitetura das empresas de serviços automotivos no país. Espaço “Kids”, cursos de mecânica específicos para mulheres, guias de bolso e contratação de consultoras técnicas são realidade nas principais redes.

Centros automotivos que estejam próximos ao trabalho ou à residência e que ofereçam serviços diferenciados e outros atrativos saem na frente na preferência das consumidoras, constatou uma pesquisa realizada pela fabricante de pneus Goodyar. Esse diagnóstico também foi feito pela DPaschoal. De acordo com Nelson Bechara, as lojas que têm até 45% de sua clientela do gênero feminino são aquelas localizadas em áreas residenciais. Essas foram as primeiras unidades da rede a receber o chamado Espaço “Kids”. Entre as 200 lojas próprias, 90 já têm espaço especifico para crianças.

Della Via e DPaschoal oferecem cursos de mecânica básica para mulheres, com noções teóricas e práticas de prevenção, utilização adequada dos itens do veículo e direção defensiva. (Págs. 1 e B4)
SP muda a política para ensino básico
O governo paulista vai repor perdas salariais de 36,74% do magistério até 2014 e reorganizar as políticas educacionais do Estado. Nos próximos dias, será divulgado cronograma de reajustes. Até o fim do ano, governo e sindicatos trabalharão juntos para definir um novo plano de carreira. Para 2012 estão previstas reduções nos pagamentos de bônus e extras da política de meritocracia, a revisão da progressão continuada e do conteúdo do material didático produzido pela Secretaria de Educação e a reformulação do currículo do ensino médio.

Também está em estudo o uso da nota do Saresp, prova anual de português e matemática feita por alunos para fins de avaliação, para aumentar a pontuação de egressos de escolas estaduais no vestibular das universidades públicas paulistas. Os focos no primeiro ano de gestão serão a questão salarial e a carreira do professor. (Págs. 1 e A2)
Que planeja cancelar preferência tarifária e exportações do Brasil e outros emergentes. (Págs. 1 e A5)

G-20 cria plano para corrigir desequilíbrios macroeconômicos. (Págs. 1 e A11)

Países vizinhos ’importam’ executivos do Brasil, como Moncau, do Chile. (Págs. 1 e D12)

CNI quer concorrência no gás
Em estudo, a confederação Nacional da Industria (CNI) critica o monopólio “de fato” da Petrobrás na cadeia do gás natural e defende uma nova política nacional para a atividade. (Págs. 1 e A3)
Teles se unem por 3G ’turbinado’
As operadoras de telefonia móvel tentam convencer a Agência Nacional de Telecomunicação (Anatel) a rever exigência tecnológica no leilão de licenças de 4G. Para as empresas, a tecnologia LTE (“Long Term Evolution”) é cara demais. (Págs. 1 e B3)
Bilhões na defesa
Com contratos que podem chegar a US$ 35 bilhões nos próximos anos, mercado de defesa no Brasil movimenta a indústria nacional do setor e atrai empresas estrangeiras. (Págs. 1 e B12)
Avanço dos genéricos
O laboratório Teuto começa a produzir hoje o genérico do Cosopt, produto de referência desenvolvido pela multinacional Merck Sharp & Dohme (MSD) para o controle da pressão ocular, cuja patente expirou ontem. (Págs. 1 e B13)
Desequilíbrio ecológico
A síndrome do nariz branco, doença que já matou mais de 1 milhão de morcegos nos EUA, ameaça o controle natural de pragas no país, que economiza US$ 3,7 bilhões em defensivos por ano com a colaboração desses mamíferos. (Págs. 1 e B15)
Arroz chinês para o Brasil
A Anhui Longping High-Tech Seeds, uma das maiores empresas de tecnologia em sementes da China, busca parceiros no Brasil para comercialização de sementes de arroz híbrido no país. (Págs. 1 e B16)
Especial/Autorregulamentação
Identificada como decorrência prática do pensamento liberal, a autorregulamentação ganha cada vez mais força em um mundo globalizado, onde o fluxo de capitais, mercadorias e mão de obra nunca foi tão intenso. (Pág. 1)
Ideias
Sergio Leo

Estratégias para a China baseadas em medidas de proteção serão cada vez mais custosas e arriscadas. (Págs. 1 e A2)
Ideias
Luiz Carlos Mendonça de Barros

Se o governo da presidente Dilma baixar a guarda, a recidiva da inflação no fim do ano será muito forte. (Págs. 1 e A13)

Estado de Minas

E a lei que proíbe a sacola de plástico, vai pegar?
A partir de hoje, o consumidor de Belo Horizonte terá que acomodar suas compras no supermercado, sacolão ou padaria em recipiente biodegradável ou retornável. A Lei Municipal 9.529/2008 proíbe o uso das sacolinhas convencionais à base de petróleo. Mais um ganho para o meio ambiente. A dúvida é se essa determinação, que depende muito do apoio da população, vai ou não ser cumprida, porque outras normas importantes, principalmente de comportamento e de segurança são quase que totalmente ignoradas. (Págs. 1, 19 e 20)
Seguro: Armadilha no caminho da casa própria
Mutuários com contratos assinados até julho de 2009 estão pagando seguro embutido nas prestações até duas vezes maior que os previstos nos novos empréstimos. A cobrança atinge cerca de 1,5 milhão de pessoas, sendo 600 mil da classe média. (Págs. 1 e 12)
Congresso: Massacre tira segurança da gaveta
Só depois de o país sentir a dor de em ato de extrema violência, o assassinato de 12 crianças em uma escola do Rio de Janeiro, a Câmara dos Deputados e o Senado acordam para projetos contra a violência que há décadas esperam votação. (Págs. 1 e 3)
Consumidor precisa ficar atento aos importados. (Págs. 1, 14 e 15)
Mulheres agredidas: Impunidade prolonga a dor
Relatos de parentes de vítimas de violência mostram falta de proteção às mulheres ameaçadas. Se houvesse mais rigor na apuração das denúncias, muitas agressões e assassinatos teriam sido evitados. (Págs. 1, 8 e 9)
Violência em BH
Onda de assaltos assusta bairro de região nobre. (Pág. 1)

Zero Hora (RS)

Gravações mostram o poder de chefe do tráfico preso na Pasc
Enquanto estava na prisão de alta segurança, Maradona ordenou mortes, montou casa noturna e até planejou a candidatura da mulher a vereadora. (Págs. 1, 38 e 39)

Fontes: Radiobras – JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br