Atualizado 07h37 Terça, 20 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Depois do terremoto, o medo do desastre nuclear

1670 acessos - 1 comentários

Publicado em 13/03/2011 pelo(a) Wiki Repórter BrasilWiki!, São Paulo - SP



DESTAQUES DE JORNAIS E REVISTAS BRASILEIROS, DOMINGO, 13 DE MARÇO DE 2011.

O Globo

Usina explode e faz Japão ampliar zona de segurança
Governo nega danos em reator nuclear, mas pode dar iodo à população

Em alerta máximo, o Japão tenta conter a ameaça de um desastre nuclear, após a explosão numa das usinas de Fukushima, na região mais atingida pelo terremoto seguido de tsunami que arrasou a costa nordeste do país. O governo ampliou o perímetro de segurança na área de dez para 20 quilômetros, mas minimizou os riscos de catástrofe, assegurando que, apesar do vazamento, os riscos de contaminação são pequenos. Segundo o porta-voz do governo japonês Yuko Edano, o reator não foi afetado pela explosão, que deixou quatro feridos e levantou uma nuvem gigante de fumaça. Mas a Agência Internacional de Energia Atômica da Onu solicitou com urgência informações sobre a dimensão do acidente. Em resposta, autoridades japonesas disseram estar se preparando para dar iodo (usado para proteger o corpo de exposição radioativa) às pessoas que moram perto da área afetada pela explosão. Especialistas no assunto consideram a situação preocupante. Numa outra frente, o governo reforçou com uma megaoperação o resgate de feridos nas áreas devastadas por ondas gigantes. Estima-se que o número de mortos chegue a 1.700. Desde o terremoto, já foram registradas 150 réplicas, com maior ou menor intensidade, e ontem pela primeira vez, uma delas teve o epicentro localizado em Tóquio. (Págs. 1, 34 e 35)

INTERNET - G1 de hoje, 7h30m.
A polícia da província japonesa de Miyagi afirmou neste domingo (13) que estima que mais de 10 mil pessoas tenham morrido vítimas do terremoto e do tsunami do dia 11. A província tem uma população de 2,3 milhões e é uma das três mais afetadas pelo desastre. Até agora, foram confirmadas apenas 379 mortes na região. No país, já são 977 mortos, 739 desaparecidos e 1.683 feridos oficialmente, segundo a Polícia Nacional.


ProUni: bolsas nã chegam a alunos
O TCU constatou que 29% das bolsas do ProUni pagas pelo governo, entre 2005 e 2009, não foram preenchidas pelas universidades privadas, que receberam descontos da União. (Pág.1 e 3)

Endividamento de famílias aumenta 46% na Era Lula
As famílias passaram a destinar 46% a mais da sua renda para pagar dívidas com bancos ao fim dos oito anos de governo Lula. Os cálculos são da LCA Consultores com base em dados do Banco Central. Em janeiro de 2003, o brasileiro comprometia 14,6% do ganho mensal para quitar empréstimos em bancos. Com a explosão do crédito na Era Lula, o percentual saltou para 21,4%. Em janeiro deste ano, atingiu 22,2%. (Pág. 1 e 27)

Folha de S. Paulo

Usina sofre explosão, mas radiação é baixa, diz Japão
Danos não atingiram reator nuclear, afirma governo; mortos no terremoto já passam de 550


A usina nuclear de Fukushima, no norte do Japão, vazou radiação e sofreu explosão em decorrência do terremoto que atingiu o país anteontem. Segundo o governo japonês, o vazamento não é grande, e o reator não sofreu danos.
Equipes de resgate procuravam ontem por sobreviventes. O total de mortos pode passar de 1.300.
Em Minamisanriku, Estado de Miyagi, cerca de 9.500 pessoas estão desaparecidas. Mais de 215 mil estão em 1.350 abrigos, a maioria sem água nem luz.
Os trens-bala que ligam a capital até a zona mais tingida continuavam fora de serviço ontem, quando mais de 85 tremores levaram pânico a várias cidades e causaram corrida a mercados em busca de água e comida.
Comunidades de brasileiros no país montaram por conta própria uma lista de supostos desaparecidos. Na relação, há pelo menos sete pessoas das regiões de Sendai e Fukushima, atingidas pelo tremor. (Págs.1, A14 a A17)

INTERNET – Folha.com de hoje, 7h30m - Japão alerta sobre possível explosão em Fukushima - O governo do Japão advertiu hoje sobre o risco de uma nova explosão similar à de sábado na usina nuclear de Fukushima (nordeste do país), embora tenha insistido que não espera que um reator seja danificado. (...) (Da EFE)


Inventário revela sucateamento das Forças Armadas
Metade dos principais equipamentos das Forças Armadas, como blindados, aviões e navios, está sucateada, mostra inventário da Defesa obtido pela Folha. Sul e Sudeste concentram 48% da tropa; a Amazônia, suposta prioridade, tem só 13% do efetivo. (Págs.1 e A4)
Governo estudo limitar isenção de ICMS nos portos
A reforma tributária do governo vai proibir ou limitar que Estados dêem isenção e concessão de créditos de ICMS na importação de produtos por seus portos.
Hoje, em alguns casos, a alíquota cai de 18% para 3% prejudicando a produção nacional. (Págs. 1 e B1)
Clóvis Rossi
Aumenta a cisma sobre freqüência de catástrofe. (Pág. A2)

Elio Gaspari -Brasil é o único onde a banca faz tantos bilionários. (Pág. A12)
O andar de cima nacional precisa pensar na vida. A revista americana "Forbes" divulgou sua lista de bilionários e nela há 30 brasileiros e brasileiras com mais de US$ 1 bilhão. O legendário banqueiro paulista Gastão Vidigal ensinava que instituições financeiras não lidam com produtos, pois "produto é coisa que se pode embrulhar", como pregos e sabonetes.
Aplicando-se esse critério à lista da "Forbes", resulta que no Brasil há 13 bilionários na turma dos produtos (Eike Batista, Jorge Paulo Lemann e Ermírio de Moraes, por exemplo), e outros 15 cujo patrimônio derivou principalmente da atividade bancária (Safra, Villela e Moreira Salles). (...)O peso dos bilionários da banca brasileira é único. Para ficar na área dos Brics, dos 30 maiores magnatas russos, 20 lidam só com produtos; na Índia, 23; e na China, onde a banca é controlada pelo Estado, a turma está quase toda produzindo, ou negociando com imóveis. Esse é o produto da Bolsa-Copom, com seus juros lunares.
Elio Gaspari - A lista em que falta o Brasil (A12)

Na mesma semana em que a revista "Forbes" iluminou 30 bilionários brasileiros, o semanário inglês "THE" ("Times Higher Education") publicou sua lista das cem melhores universidades do mundo. Cadê o Brasil? Micou e não ficou nem sequer entre as 200. Em 2009, a USP fora a 92ª na área da saúde.
Cruzando a lista dos bilionários com a das universidades, a coisa fica feia.
(...)Os 30 bilionários brasileiros poderiam refletir em torno da história de um casal americano. Chamavam-se Leland e Jane. Tinham um só filho e, em 1884, ele morreu em Florença, aos 16 anos. O casal quis preservar sua memória. Podia ser com um museu, uma escola técnica ou uma universidade.
Procuraram o presidente de Harvard, a quem conheciam, e aprenderam que uma universidade lhes custaria US$ 5 milhões. Entreolharam-se e viram que tinham esse trocado, pois a fortuna do casal ia a US$ 50 milhões (US$ 1 bilhão em dinheiro de hoje). Voltaram para a Califórnia e criaram a Universidade Stanford, com o sobrenome da família. Ela é hoje a 5ª melhor do mundo, e a localidade de Palo Alto, cujas terras eram de Leland, é o pulmão do progresso tecnológico americano. (...) Pelas contas da Forbes, os 30 bilionários brasileiros têm um ervanário de US$ 130,5 bilhões.
Editoriais
Leia "A aposta do BC" sobre o combate à inflação, e "Fechar Guatánamo", que comenta a decisão de retomar julgamentos militares na prisão. Opinião A2

O Estado de S. Paulo

Vazamento nuclear desafia Japão
Terremoto causa explosão de edifício de usina atômica e governo tenta conter contaminação radioativa

A explosão do edifício que abriga um dos reatores da usina atômica de Fukushima Daiichi elevou o temor de um desastre nuclear no Japão, em conseqüência do terremoto que atingiu o país na sexta-feira. O governo tenta agora conter o vazamento de material radioativo. O nível de radiação ao redor da usina está oito vezes maior que a usual e foi ampliado de 3 km para 20 km o raio no qual os moradores tiveram de abandonar suas casas. Especialistas em energia atômica avaliam que os reatores japoneses são bem protegidos e não deve se repetir o desastre de 1986 em Chernobyl. (Págs.1, A23 a A28)

Visita de Obama ao País é histórica, diz embaixador
Às vésperas da chegada de Barack Obama, o embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, minimizou, em entrevista ao repórter Rafael Moraes Moura, os recentes atritos diplomáticos entre os dois países. “Nossas convergências são mais importantes que nossas divergências”. (Págs.1 e A11)

Licenciamento para rodovias é facilitado
Os Ministérios dos Transportes e do Meio Ambiente preparam decreto que dispensará estudos de impacto ambiental para licenciar obras de duplicação e manutenção de estradas. O objetivo é dar um empurrão nos investimentos federais e privados em rodovias. (Págs. 1 e B1)
Ginásio abriga mais de 50 brasileiros
Em Ishige, a 65 quilômetros de Tóquio, mais de 50 brasileiros se refugiam num ginásio preparado para resistir a terremotos. A maioria deles trabalha nas fábricas da cidade, cuja página da internet tem tradução para o português. (Págs.1 e A25)


Correio Braziliense

Medo do desastre nuclear
Risco de contaminação faz governo japonês ordenar a retirada de quase 200 mil pessoas após explosão em usina


Do terremoto ao tsunami, do tsunami a novos terremotos, deles à explosão de uma das estruturas da usina nuclear de Fukushima, a 240km de Tóquio, às 15h36 de ontem (3h36, hora de Brasília). A sucessão de catástrofes e o risco de um acidente nuclear sem precedentes afligem o Japão. Quatro trabalhadores ficaram feridos e um deles morreu. Três pessoas apresentaram sinais de contaminação radioativa. O raio de evacuação foi de 10km para 20km. Para evitar danos ainda maiores, será preciso resfriar o reator. (págs. 1 e 20)
Número de mortos pode ultrapassar 10 mil. (págs. 1, 20 e 21)

Superbactéria leva HRAS a isolar dois bebês (págs. 1, 8 e 9)

Presidência autoriza compra de banheira com hidromassagem (pág. 1 e Brasília-DF, pág. 6)

No Ministério de Minas e Energia, o último a sair não apaga a luz (págs. 1 e 4)

Zero Hora (RS)

Catástrofe no Japão
Alerta nuclea
r

Explosão em usina aumenta drama e espalha medo pelo mundo

Um dia depois do terremoto com tsunami, restos de prédios da cidade de Kesennuma, que teme agora o vazamento de radioatividade. (págs. 1 e 4 a 13)

Jornal do Commercio (PE)


Japão sob risco nuclear
Após o terremoto devastador seguido de tsunami, japoneses enfrentam ameaça de desastre nuclear. Em uma usina a 270 quilômetros de Tóquio, prédio que abrigava um dos reatores ruiu. Governo retirou 45 mil pessoas da região. (pág. 1)
Construção civil impulsiona outros setores do mercado (pág. 1)

REVISTAS SEMANAIS – DATAS DE CAPA.

Veja, 16/3/2011.


O Japão acorda do choque
Por que o país mais preparado para enfrentar catástrofes naturais foi surpreendido pelo tsunami. (Reportagem especial Pág. 17)

Época, 14/3/2011.


A fúria da natureza
Como o Japão - um exemplo de tecnologia, planejamento e disciplina - enfrenta o maior terremoto da sua história.

ISTOÉ, 16/3/2011.


A era da medicina avatar
Como hospitais e clínicas do Brasil e do Exterior estão usando a tecnologia da realidade virtual para aliviar a dor e curar bulimia, anorexia, estresse, labirintite e uma série de fobias.
Exclusivo
Documentos mostram que o denunciante da corrupção dos Roriz tem megaesquema de lavagem de dinheiro.

ISTOÉ Dinheiro, 16/3/2011.


O Brasil que investe
As grandes empresas estão lançando R$ 3,3 trilhões em novos projetos para aproveitar a onda de crescimento do País. Conheça os setores que vão ganhar mais e como Duratex, Petrobras, GE, Hyundai, Galvão Energia, CPFL e outros grupos participam dessa empreitada. (Pág. 1)
Exclusivo: Chefão da Fiat quer clonar filial brasileira

Banco: O que há de errado com o Santander?

Inovação: O segredo do sucesso das incubadoras

CartaCapital, 16/3/2011.


O desastre Obama
O presidente da "esperança" não cumpriu o que prometeu.

Na visita ao Brasil, o reinício de uma relação abalada.

Inside, Job, o documentário, desnuda a América dos barões de Wall Street.

WikiLeaks: conheça os diplomatas mais mal informados do planeta.

Fontes: Radiobras – JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
BrasilWiki!
São Paulo - SP



Comentários
01
Reporte abuso
Rudnei Karam Morales
Rio de Janeiro 13/03/2011

Bom dia! Na realidade não é um comentário e sim uma dúvida. Como é que o iodo protege o corpo da exposição radioativa? Muito obrigado. Abraço. Karam.


Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br