Atualizado 23h22 Quarta, 21 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Brasileiros têm pelo menos US$ 6 bilhões em bancos suíços

788 acessos - 0 comentários

Publicado em 20/02/2011 pelo(a) Wiki Repórter BrasilWiki!, São Paulo - SP



DESTAQUES DE REVISTAS JORNAIS BRASILEIROS, DOMINGO, 20 DE FEVEREIRO DE 2011.

O Estado de S. Paulo

PC do B lucra com programa do Ministério do Esporte
Partido de Orlando Silva controla projeto que dá ganhos financeiros e eleitorais, mas tem resultados precários. O Programa Segundo Tempo, principal bandeira do Ministério do Esporte, serve para dar dividendos eleitorais e financeiros ao PC do B, legenda do ministro Orlando Silva. Ele tem funcionado com entidades ligadas ao partido, que recebem verba pública, mas não entregam os prometidos núcleos esportivos para o “desenvolvimento integral do homem”, como apregoa o site do ministério. Só em 2010, ano eleitoral, os contratos somaram R$ 30 milhões. O dinheiro deveria ter sido usado para criar 590 núcleos e beneficiar 60 mil crianças. Um dos núcleos cadastrados, em Novo Gama (GO), por exemplo, é na verdade um terreno baldio onde deveria haver um campo de futebol. Em Teresina (PI), no lugar de uma quadra poliesportiva, os jovens usam um matagal, onde improvisam tijolos e bambus na jogar futebol e vôlei. (Nacional/Páginas 1, A4 e A7)

Pasta culpa entidades
O Ministério do Esporte responsabilizou as entidades contratadas pelas falhas no Programa Segundo Tempo. Mesmo assim, a pasta defendeu o critério de escolha. (Nacional/Pág. A6)
Lula e a difícil arte de deixar o poder
Depois de oito anos na Presidência, Lula ainda não consegue ser “ex”, informa a repórter Vera Rosa. Ele tem rotina de popstar, mas convive com uma goteira no apartamento. (Nacional/Página 1, A10)

Brasileiros têm pelo menos US$ 6 bilhões em bancos suíços
Dados do Banco Central da Suíça mostram que brasileiros mantêm pleo menos US$ 6 bilhões em Genebra, Zurique e outras praças financeiras do país, relata o correspondente Jamil Chade. Esse é o valor das contas declaradas, mas bancos privados dizem que a cifra pode ser dez vezes maior. (Economia/Páginas 1, B1 e B3)


Notas & Informações
A Argentina continua a mesma

O governo argentino mostrou que continuará a impor barreiras aos produtos brasileiros. (Páginas 1, A3)


O Globo

Petrobras burla a lei e usa terceirizados como fiscais
Dos 371 mil servidores da estatal, 291 mil não são concursados

Na contramão de acordo fechado com o governo federal e o Ministério Público, a Petrobras vem aumentando o número de terceirizados e usando essa mão de obra em atividades estratégicas, contrariando a lei. Com um quadro de carreira de 80 mil empregados, a estatal tem (ilegível) mil terceirizados atuando em (ilegível) estratégicas e de alto risco, como a fiscalização da prospecção de petróleo nas plataformas, informa Regina Alvarez. A Constituição diz que apenas concursados podem executar atividades-fim. Cerca de 80% do contingente não concursado estão em situação irregular, segundo o Ministério Público do Trabalho e o Tribunal de Contas da União. Com o impasse criado pela resistência da estatal em regularizar a situação, procuradores do Ministério Público requereram um mandado de busca e apreensão na sede da empresa para obter os registros dos terceirizados. A Justiça determinou o repasse de dados, mas a Petrobras recorreu. Auditorias do TCU constataram ainda que irregularidades em licitações, contratos, obras e serviços em execução pela Petrobras somam R$ 4 bilhões (Páginas 1, 3 e 4)
PF: Policial levou fuzis para traficante
Enquanto faziam escutas na operação que prendeu 30 policiais civis e militares acusados de corrupção, agentes da Polícia Federal descobriram pelo menos um agente da Polícia Civil fazendo um serviço inusitado: o transporte de 15 fuzis e munição do tráfico no Morro de São Carlos para a Rocinha. O agente escapou do cerco. (Páginas 1 e 17)
Paulo César Quartiero
Ex-líder dos arrozeiros em Roraima, o deputado federal estreante sonha em acabar com a Funai e o Ibama. (Páginas 1 e 14)
Agências: multas de R$ 2,3 bi sem pagar
Levantamento do GLOBO mostra que as seis principais agências reguladoras do país deixaram de arrecadar R$ 2,2 bilhões em multas aplicadas às empresas, entre 2005 e 2010. A ANS recebeu só 2,3% do cobrado (Páginas 1, 29).

Folha de S. Paulo

Dilma Rousseff
Há 90 anos, Brasil era país oligárquico e com exclusão social. (Opinião, páginas 1 e A3)
"Hoje, já não parece uma meta tão distante o Brasil se tornar país economicamente rico e socialmente justo, mas há grandes desafios pela frente, como educação de qualidade"

ÍNTEGRA DO ARTIGO DA PRESIDENTE DA REPÚBLICA

País do conhecimento, potência ambiental

DILMA ROUSSEFF

Há 90 anos, o Brasil era um país oligárquico, em que a questão social não tinha qualquer relevância aos olhos do poder público, que a tratava como questão de polícia.

O país vivia à sombra da herança histórica da escravidão, do preconceito contra a mulher e da exclusão social, o que limitou, por muitas décadas, seu pleno desenvolvimento.
Mesmo quando os grandes planos de desenvolvimento foram desenhados, a questão social continuou como apêndice e a educação não conquistou lugar estratégico.
Avançamos apenas nas décadas recentes, quando a sociedade decidiu firmar o social como prioridade.

Contudo, o Brasil ainda é um país contraditório. Persistem graves disparidades regionais e de renda. Setores pouco desenvolvidos coexistem com atividades econômicas caracterizadas por enorme sofisticação tecnológica. Mas os ganhos econômicos e sociais dos últimos anos estão permitindo uma renovada confiança no futuro.

Enorme janela de oportunidade se abre para o Brasil. Já não parece uma meta tão distante tornar-se um país economicamente rico e socialmente justo. Mas existem ainda gigantescos desafios pela frente. E o principal, na sociedade moderna, é o desafio da educação de qualidade, da democratização do conhecimento e do desenvolvimento com respeito ao meio ambiente.
Ao longo do século 21, todas as formas de distribuição do conhecimento serão ainda mais complexas e rápidas do que hoje.

Como a tecnologia irá modificar o espaço físico das escolas? Quais serão as ferramentas à disposição dos estudantes? Como será a relação professor-aluno? São questões sem respostas claras.

Tenho certeza, no entanto, de que a figura-chave será a do educador, o formador do cidadão da era do conhecimento.

Priorizar a educação implica consolidar valores universais de democracia, de liberdade e de tolerância, garantindo oportunidade para todos. Trata-se de uma construção social, de um pacto pelo futuro, em que o conhecimento é e será o fator decisivo.

Existe uma relação direta entre a capacidade de uma sociedade processar informações complexas e sua capacidade de produzir inovação e gerar riqueza, qualificando sua relação com as demais nações.

No presente e no futuro, a geração de riqueza não poderá ser pautada pela visão de curto prazo e pelo consumo desenfreado dos recursos naturais. O uso inteligente da água e das terras agriculturáveis, o respeito ao meio ambiente e o investimento em fontes de energia renováveis devem ser condições intrínsecas do nosso crescimento econômico. O desenvolvimento sustentável será um diferencial na relação do Brasil com o mundo.

Noventa anos atrás, erramos como governantes e falhamos como nação.

Estamos fazendo as escolhas certas: o Brasil combina a redução efetiva das desigualdades sociais com sua inserção como uma potência ambiental, econômica e cultural.

Um país capaz de escolher seu rumo e de construir seu futuro com o esforço e o talento de todos os seus cidadãos.
________________________________________
DILMA ROUSSEFF é a presidente da República.


Governo já trabalha com previsão de crescer 4,5%
Embora a previsão oficial do PIB (Produto Interno Bruto) para este ano seja de 5%, o governo Dilma já trabalha reservadamente com a perspectiva de um crescimento de 4,5%. Em 2010, a alta ficou em torno de 7,5%.
O maior temor é que a elevação dos preços e a instabilidade externa reduzam a expansão da economia a menos 4%. (Mercado, páginas 1, B1)
Líbia eleva repressão e mortos já passam de 80
País corta internet e aumenta isolamento: forças de segurança recuam no Bahrein

O governo da Líbia intensificou a repressão aos protestos, bloqueou a internet desde a madrugada de ontem, proibiu o acesso da mídia internacional e aumentou o isolamento do país. A televisão estatal tem ignorado as manifestações.
O número de mortes nos últimos quatro dias subiu para 84, segundo estimativas de entidades de direitos humanos feitas por meio de telefone. O número, que poderá aumentar, não inclui as baixas de ontem.
No Bahrein, o governo retirou as forças de segurança da praça da Pérola, no centro da capital, Manama, o principal palco das manifestações. O país possui importância estratégia por sediar a Quinta Frota Marinha dos EUA, que atua no golfo Pérsico.

(Mundo, página 1)

Correio Braziliense

Grilagem no DF avança em áreas ricas e pobres
O comércio clandestino de terras no Distrito Federal segue a todo vapor, apesar das ações de fiscalização do governo. A demolição de 3,8 mil construções ilegais no ano passado não inibiu os grileiros, que insistem em vender lotes em área pública, com documentos sem valor legal. O Correio flagrou irregularidades tanto em áreas nobres como em regiões de baixa renda do DF. Um golpista detido no Recanto das Emas pela polícia voltou a anunciar terrenos um dia depois de solto. No Lago Sul, a maioria das casa erguidas no condomínio Estância Quintas da Alvorada é irregular, com tráfego de caminhões para obras de infraestrutura. (Págs. 32 e33)
Orçamento: Sem freios para a farra das viagens
Com planos de enxugar as contas públicas, Planalto mandou os ministérios reduzirem em 50% a conta de deslocamentos e diárias. Mas as despesas aumentaram em relação ao ano passado. (Pág. 2O)
Habitação: Casa frágil, fiscalização capenga
Um dos símbolos do governo Dilma está cercado por problemas. O Minha Casa, Minha Vida é comprometido pela falta de controle do investimento nas obras, que revelam falhas sérias na estrutura. (Pág. 14)
Células-tronco: Brasil é pioneiro contra enfisema pulmonar
Pesquisador obtém avanços no combate à doença, que afeta 210 milhões de pessoas no planeta. (Sáude, Pág.27)

Jornal do Commercio (PE)

O trânsito ideal

Zero Hora (RS)

A nova Califórnia
A exemplo de vinícolas que transformaram a costa oeste dos EUA em região produtora de bons vinhos, empresas do Estado desbravam uma nova fronteira da uva na Serra do Sudeste. (Páginas 1, Dinheiro)
Editorial
Aprovar ou ensinar? comenta mudança aprovada nas séries iniciais do Ensino Fundamental. (Páginas 1, 14)

REVISTAS SEMANAIS – DATAS DE CAPA.

Veja, 23/2/2011.

Remédios para emagrecer
Por que é ruim proibir a venda

Milhões de brasileiros em guerra com a balança dependem deles e de seus médicos para perder peso e garantir uma boa saúde.


Época, 21/2/2011.

O primeiro galã negro
O que o sucesso do ator Lázaro Ramos no papel de um playboy rico e sedutor revela sobre a ascensão dos negros no Brasil.
Obama: O que o presidente dos EUA vem fazer no Brasil

ISTOÉ, 23/2/2011.

Ronaldo, de fenômeno a mito
Por que a imagem e os lucros do craque continuarão em alta mesmo após ele encerrar a carreira, vencido pela dor.

Ronaldo à ISTO É: "Sou homem de negócios desde os 15 anos"

"Não sei e não tem resposta pra o que aconteceu antes da final da Copa de 1998"

"Acordei às 7h para levar meus filhos à escola. Nunca havia levado antes"

Sarney - Exclusivo
"Quem não me quer aqui, que vá reclamar com o Criador"

ISTOÉ Dinheiro, 23/2/2011.

O todo-poderoso dos genéricos
Carlos Sanchez da EMS. "Quero ser o primeiro laboratório multinacional do Brasil.

A EMS começou como uma pequena farmácia. Hoje, é o maior laboratório de remédios do Brasil. Chegou ao topo graças à persistência de Carlos Sanches, o primeiro empreendedor a apostar nos medicamentos sem marca. Agora, ele vai construir três novas fábricas e investir R$ 500 milhões.
Economia
A visão otimista do banqueiro André Esteves

CartaCapital, 23/2/2011.

Nem Alá nem EUA
O novo mundo árabe promete não ser teocrático. Muito menos submisso.
Gianni Carta, de Tel-Aviv: o isolamento de Israel e suas consequências.
Novo Mínimo
Dilma fica perto do PMDB e longe dos sindicatos
Especial
Da classe A à C, novas opções de investimento

EXAME, 23/2/2011 (Quinzenal)

O Homem do Risco
André Esteves é o mais agressivo dos banqueiros brasileiros. Em dois anos, multiplicou por 4 o valor de seu banco, o BTG Pactual, e se lançou numa série de aquisições que culminou na compra do PanAmericano. E ele não pode parar. Saiba por quê.
Economia - Inflação, o grande nó do governo Dilma
Economia
Inflação, o grande nó do governo Dilma

Fontes: Radiobras-JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
BrasilWiki!
São Paulo - SP



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br