Atualizado 23h22 Quarta, 21 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

A marca de Dilma Rousseff

588 acessos - 0 comentários

Publicado em 06/02/2011 pelo(a) Wiki Repórter JBWiki!, Rio de Janeiro - RJ



DESTAQUES DE JORNAIS E REVISTAS BRASILEIROS, DOMINGO, 6 DE FEVEREIRO DE 2011.

Folha de S. Paulo

Um terço do leite chega ao consumidor sem inspeção
Pizzarias são grandes consumidores de queijo, diz entidade; governo admite fiscalização falha
De cada dez litros de leite produzidos no país, três não passam por inspeção, revelam os mais recentes dados anuais fechados pelo IBGE.
Os números mostram pouco avanço na fiscalização desde 2007, quando a operação da Polícia Federal encontrou soda cáustica e água oxigenada no produto, relata Juliana Coissi.
O Ministério da Agricultura reconhece que é preciso aprimorar os controles.
O leite informal é produzido por pequenos pecuaristas, que optam pela venda direta para obter preço melhor do que os laticínios.
Produtor diz que é possível ganhar o dobro vendendo leite em garrafa pet ou fabricando o próprio queijo.
Para a Associação Brasileira dos Produtores de Leite, pizzarias de São Paulo são campeãs do consumo informal. Sindicato de pizzarias desconhece. (Págs. 1 e Mercado)
Egípcios intensificam debate para transição
O vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, discute com militares formas de limitar o poder iniciar conversas com a oposição. O ditador também convocou reunião com seu ministério. Ontem, 12º dia de protestos, milhares de manifestantes, voltaram a ocupar a praça do Tahrir, no Cairo, mas confronto.(Págs. 1 e Mundo 1)

Vinicius Torres Freire

Há muito risco, pouco siso e muita hipocrisia no caso do Egito (Págs. 1 e Mercado B4)

Leia mais Egito

Candidato deve ter endosso para tentar a presidência (Págs. 1 e Mundo 3)

Al Jazeera do Cairo, além de incendiada, tem chefe preso (Págs. 1 e Mundo 1)

País cresceu muito, mas desigualdade aumentou (Págs. 1 e Mundo 6)

Crise não elimina o bom humor na rua, diz tradutor. (Págs. 1 e Ilustríssima 8)
Caio Hamburguer
Xingu é santuário social, ambiental e histórico (Págs. 1 e Opinião A3)
Editoriais
Leia “Despesa mínima”, sobre política federal de reajuste do salário mínimo; e “Supremo completo”, acerca da indicação do 11º integrante da corte. (Págs. 1 e Opinião A2)

O Globo

Atos de Dilma afastam governo do estilo Lula
Em áreas como política externa, presidente demonstra ter rumo próprio

Em pouco mais de um mês como presidente, Dilma Rousseff imprimiu um ritmo próprio e mudanças de gestão e rumo, deixando claro que não pretende passar para a História como alguém que apenas deu continuidade ao governo Lula. Ela já demonstrou, por exemplo, que não está disposta a afagar ditaduras, como a do Irã, e relevar violações dos direitos humanos, em nome do pragmatismo que orientou a política externa do seu antecessor. Nem é adepta de adiar a solução para crises políticas; mais de uma vez, demitiu assessores que avançaram o sinal - caso de Pedro Abramovay, afastado da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), após propor que pequenos traficantes não fiquem presos. Na política econômica, também mostrou estilo distinto ao de Lula: enfrentou a pressão das centrais sindicais por um reajuste maior para o salário mínimo. Mesmo mantendo os 37 ministérios de Lula, nomeou quatro gerentes para dar mais agilidade à administração. Tal independência já causa mal-estar no grupo mais ligado a Lula. (Páginas 1, 3 e 4)

O jeito Dilma de governar
Gestão - Para agilizar a administração, Dilma dividiu os ministérios herdados de Lula em 4 times.

Política - Para Dilma, denúncia tem que ser apurada e bate-boca entre aliados deve ser evitado. Por isso, Eduardo Cunha (PMDB) perdeu Furnas.

Economia - Dilma enfrentou as centrais sindicais na questão do salário mínimo e anunciou corte em gastos de custeio sem se abalar.

Divergências - Não titubeia ao demitir. Fez isso com Pedro Abramovay, porque anunciou medidas sem consultá-la.

Holofotes - Ao contrário de Lula, não tem personalidade de celebridade, mas foi rápida na tragédia da serra.

Arida: BC deve agir para frear especulação
Um dos pais do Real, o economista Persio Arida diz que, com juros altos que premiam investidores, o Banco Central deveria estimular o sobe e desce na taxa de câmbio para impedir ganhos fáceis. (Páginas 1, 43)

O Estado de S. Paulo

Alta de alimentos e boa safra fazem preço da terra disparar
Valor médio fechou 2010 com a maior aceleração anual desde 2008 e chegou a dobrar em algumas regiões

Junto com a alta dos preços dos alimentos, que atingiram em janeiro as maiores cotações em mais de 20 anos no mundo, o valor das terras no Brasil disparou, informa a repórter Márcia De Chiara. No fim de 2010, o preço médio alcançou a maior valorização anual desde 2008, diz pesquisa Informa Economics/FNP. No Sudeste, no Nordeste e no Norte, o preço do hectare chegou a dobrar em algumas regiões. Em áreas do Sul, houve alta de até 92,3%. As terras mais caras foram as várzeas para arroz em Rio do Sul (SC): o hectare atingiu R$ 43 mil, alta de 23%. Os maiores compradores são os pequenos produtores, capitalizados graças aos resultados positivos das últimas safras. (Págs. 1 e Economia B1)
Líderes buscam saída honrosa para Mubarak
Opositores, aliados e intelectuais propõe que presidente do Egito abra mão do poder e continue formalmente com o título até setembro, quando estão previstas eleições no país. A ideia é que o vice-presidente Omar Suleiman fique à frente do governo de transição. O clima segue tenso nas ruas, com rumores de atentado contra Suleiman e explosão de gasoduto no Sinai. (Págs. 1 e Internacional A14)

Aliás, Egito renovado
Mesmo nascidos sob ditadura, jonvens egípcios sabem o que é democracia, diz Tarek Masoud, de Harvard.
Para Serra, PSDB não atua como deveria
José Serra acha que há "uma desproporção imensa" entre o que o PSDB fdaz e o que deveria fazer. Para o presidenciável derrotado em 2010, o partido deveria estar preocupado em "dar resposta" aos quase 44 milhões de eleitores que votaram na oposição. Para ele, a base é a unidade partidária, sob o mandamento: "Não ajudarás o adversário atacando teu colega de partido". (Págs. 1 e Nacional A12)

'Tem muitos nomes'

Para o senador Aloysio Nunes Ferreira, Aécio Neves não é candidato natural ao Planalto (Págs. 1 e Nacional A12)
Leis tributárias viram livro de 6 toneladas (Págs. 1 e Economia B14)

Fernando Henrique
Tempo de muda

Ou a oposição fala, e fala forte, sem se perder em questiúnculas internas, ou tudo continuará na toada de tomar a propaganda por realização. (Págs. 1 e Espaço aberto A2)
Matias Spektor
A visita de Obama
Dilma terá de escrever uma nova equação nas relações com os EUA. O Brasil de agora tem mais poder e influência do ue o de FHC e Lula. (Págs. 1 e Internacional A23)
Notas & informações
China, pesadelo da indústria

Não adianta só reclamar da concorrência, nem recorrer apenas a medidas defensivas. (Págs. 1 e A3)

Correio Braziliense

Quatro carros são clonados por dia no DF (Páginas 1, 31)

Contrato público muda para evitar corrupção (páginas 1, 27)

Verba para reconstrução no Nordeste é desviada (páginas 1, 2 e 3)

Mubarak perde ainda mais força
Líderes do partido do presidente egípcio, incluindo o filho dele, renunciam e o deixam mais isolado. Vice estaria negociando com o Exército uma saída honrosa para o ditador. Grupo opositor nega que a manifestação seja uma "revolução islâmica" e diz tratar-se de um "levante do povo". (Páginas 1, 22 a 24)

Estado de Minas

Do Uruguai a Minas, golpe do pneu deixa rastro de fraude
Reportagem do Estado de Minas vai até o Porto Livre de Montevidéu, capital uruguaia, e mostra o esquema de importação superfaturada de pneus de origem asiática, que lesa a Receita Federal em R$ 350 milhões por ano. Do país vizinho, os pneus entram no Brasil por mar ou por terra, principalmente via Paraguai, e são distribuídos por empresas, uma das quais com sede em BH. Para o consumidor, além da questão da sonegação, qualidade e segurança também são motivos de preocupação.
Corruptos roubam até dinheiro que ia para flagelados
Série de reportagens a partir de hoje vai mostrar que verbas emergenciais milionárias enviadas pela União a estados e municípios para socorro a vítimas de chuvas e inundações costumam sumir ou encolher antes de chegar ao destino. (Páginas 1, 3 e 4)
Egito procura rumo
Cúpula do partido governista renuncia, mas Hosni Mubarak permanece na Presidência. EUA consideram a situação insustentável. (Páginas 1, 22 e 23)
A ameaça do lixo nuclear em MG
Justiça determina que as Indústrias Nucleares do Brasil (INB) deem tratamento adequado a 11 toneladas de resíduos radioativos estocados em galpões em Caldas, no Sul do estado. O material é considerado perigoso para a população e o meio ambiente. Funcionários da empresa usam roupas especiais e máscaras (foto). Além de reembalar as bombonas e tambores, terá de ser feita a recuperação de uma área de 1,4 mil hectares que inclui um lago de águas ácidas. (Páginas 1, 25, 28 e 29)

Jornal do Commercio (PE)

Como comprar sua casa em tempos de preço alto
Valor dos imóveis no Grande Recife subiu 35% no ano passado e pode aumentar outros 10% este ano. O JC preparou um passo a passo para compradores, com dicas sobre as áreas mais valorizadas e variadas formas de financiamento.(Pág.1)
Egito sob risco de escolher caminho nada democrático (Pág. 1)

Apagões de energia ocorrem em espaço menores de tempo (Pág. 1)

No mesmo SUS, duas realidades contrastantes (Págs. 1)

Zero Hora (RS)

Guerra pelo 2º escalão
R$ 108 bi e 21 mil cargos dividem a base de Dilma

Petistas e aliados se engalfinham pelo controle de verbas, num jogo de ameaças, chantagens e traições.

“O PMDB não é simples aliado”, diz Temer a ZH (Págs. 1, 4 e 5)
Alunos de fora
Enem muda o sotaque das turmas de Medicina

Calouros gaúchos tendem a ser minoria em três universidades que adotam o exame como forma de seleção. (Págs. 1, 26 e 27)
O mundo árabe que emerge do conflito
Do terremoto político e social com epicentro no Egito, rebeldes vislumbram uma democracia dissociada do radicalismo islâmico. (Págs. 1 e 20 a 23)


REVISTAS SEMANAIS – DATAS DE CAPA.

Veja, 9/2/2011.

Preso e ainda no comando
Como Fernandinho Beira-Mar, o bandido mais perigoso do país, continua a traficar, matar, sequestrar e controlar territórios de dentro de sua cela
Crise no Egito
Vale tudo para adiar o inevitável: até camelos contra protestos

Época, 7/2/2011.


Democracia
O que a rebelião no Egito ensina sobre a fraqueza das ditaduras e a construção da liberdade.

"Vamos cumprir os acordos assinados", diz a Época líder da oposição egípcia

ISTOÉ, 9/2/2011.


A boa dieta da energia
Cientistas revelam o que e quando comer para aumentar a disposição, combater o cansaço e melhorar o desempenho físico e mental
Exclusivo
Os bastidores da escola de samba de Lula

ISTOÉ Dinheiro, 9/2/2011.


O novo homem forte do Banco PanAmericano
Quem é e o que pensa José Luiz Acar Pedro, o executivo escalado para dirigir o ex-banco de Sílvio Santos, negociado por R$ 450 milhões

- Como fica o BTG Pactual depois da aquisição e seus planos para comprar corretoras de valores na América Latina

- Os bastidores de um rombo que poderia chegar a R$ 11 bilhões

José Luis Acar Pedro: "Vamos manter a marca PanAmericano e voltar a dar lucro"
EXCLUSIVO
Pesquisa Produto do Ano mostra o que é inovação para o consumidor brasileiro

CartaCapital, 9/2/2011.


A marca de Dilma
A presidenta já mostra um estilo próprio de governar

Panamericano
O Pactual de Esteves leva o banco de SS
Egito
A revolução muda os rumos do Oriente Médio

EXAME, 9/2/2011 (Quinzenal).


A volta dos IPOs
E mais: A lista de 26 empresas que já preparam seus IPOs

Em 2011, o número de empresas brasileiras que farão a abertura de capital na bolsa de valores pode bater todos os recordes. O que isso significa para a economia, para as companhias e para os investidores.
Economia
A explosão das commodities e o Brasil

Fontes: Radiobras – JBWiki!

Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
JBWiki!
Rio de Janeiro - RJ



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br