Atualizado 19h36 Segunda, 19 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Quem vai administrar o Brasil? Dilma ou Serra?

628 acessos - 0 comentários

Publicado em 03/10/2010 pelo(a) Wiki Repórter BrasilWiki!, São Paulo - SP



DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, DOMINGO, DIA 3 DE OUTUBRO DE 2010.

 

Quem vai administrar o Brasil? Dilma ou Serra?

BRASILWIKI! INFORMA:

Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) vão disputar a Presidência da República, em segundo turno, para suceder Luiz Inácio Lula da Silva. Esta foi a decisão dos quase 136 milhões de eleitores do Brasil, que votaram neste domingo, entre 8 e 17 horas. Dos quatro grandes institutos de pesquisas do país, somente o DataFolha aproximou-se deste resultado - o segundo turno, descartado diariamente, há semanas, pelo Vox Populi - e também, nos últimos dias, pelo  Ibope e pelo Sensus.

O jornal O Estado de S. Paulo confirma, em seu site,  por volta de 21h10m de hoje, domingo, o resultado que leva Dilma e Serra para o segundo turno.

"Com 88% dos votos apurados, já é possível afirmar que José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) vão mesmo se enfrentar no segundo turno da disputa pela Presidência da República. O número de votos que ainda falta apurar é menor do que o que garantiria a vitória da petista".

 

DESTAQUES DE JORNAIS E REVISTAS SEMANAIS BRASILEIROS, DOMINGO, DIA 3 DE OUTUBRO DE 2010.

O Globo

Quem vai administrar o Brasil real?

Após oito anos, governo Lula não avançou em áreas prioritárias como educação, saneamento e infraestrutura

Cerca de 135 milhões de brasileiros vão hoje ás urnas para escolher o sucessor do presidente mais bem avaliado da história do país. Mas, longe do marketing oficial, restará ao novo presidente (Dilma Rousseff, José Serra ou Marina Silva) encaminhar soluções para uma série de problemas em áreas nas quais o governo Lula tem pouco a exibir. No maior gargalho do Brasil, a educação - tema que quase não foi debatidona campanha -, as estatísticas mostram um quadro desalentador: 29,3 milhões de brasileiros (20,3% do total) são analfabetos funcionais. Só 25% dos brasileiros dominam a leitura e a matemática. Na outra tragédia brasileira, o saneamento, definida por Fernando Gabeira como o "fracasso da minha geração", os últimos oito anos foram de estagnação: 56% das residências convivem com esgoto sem tratamento. E na infraestrutura, como sabem usuários de aeroportos, estradas, ferrovias e portos, o país andou para trás. O desafio de mudar esse quadro será agora do sucessor, ou sucessora, do presidente Lula. (Páginas 3 a 19)

Em 15 estados, apenas um turno

Em 15 estados, a eleição deve ser decidida no primeiro turno, e os eleitores conhecerão ainda hoje o nome dos governadores eleitos. Outra marca da eleição é a continuidade: em 16 estados, os favoritos são os governadores candidatos á reeleição ou os candidatos apoiados por eles. Os aliados de Dilma são favoritos em 14 estados. (Página 34)

No Rio, reeleição à vista para Cabral

Depois de uma campanha em que liderou de ponta a ponta, o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), deve ser reeleito hoje com o apoio de 91 dos 92 prefeitos do estado. A batalha fluminense é pelo Senado: Lindberg e Crivella lideram, mas Cesar Maia e Picciani apostam nos indecisos para tentar surpreender. (Página 39)

Eleitores vão às urnas sem saber se Lei da Ficha Limpa será válida este ano (Pág. 14)

Tucanos pedirão a Serra mudanças na campanha se houver segundo turno (Pág. 4)

Para votar, é necessário documento com foto; TSE promete resultados hoje (Pág. 40)

Na reta final da disputa, os bastidores das campanhas de Dilma, Serra e Marina (Pág. 24 a 29)

Em Minas, oposição busca triunfo que faça frente à tsunami governista no país (Pág, 33)

 

Elio Gaspari

O que pareceu um debate chocho foi a celebração da maturidade da democracia (O País - Pág. 21)

Ancelmo Gois

O Brasil tem as mesmas regras eleitorais criticadas na Venezuela de Chávez (Rio - Pág. 46 e 47)

Merval Pereira

Uma democracia consolidada chega hoje às urnas de todo o Brasil (O País - Pág. 4)

Miriam Leitão

O que me aflige na história recente do país é ver jovens desanimados com a democracia (Economia - Pág. 50)

Ricardo Noblat

O imponderável nunca decidiu eleição. Quer segundo turno? Torça em cima dos votos. (O País - Pág. 15)

Dorrit Harazim

Nenhuma candidatura revelou faíscas de imaginação ou vontade de derrubar fronteiras (Opinião - Pág. 6)

Aldir Blanc

O fato é que transformaram uma disputa eleitoral importante em futebol de várzea. (Opinião - Pág. 7)

Panorama Político

Os partidos que apoiam Dilma já pensam em abrir janela para o troca-troca em 2011. (Ilmar Franco - Pág. 2)

Uma nova geração de órfãos do crescimento

Mesmo com o forte crescimento da economia, brasileiros continuam buscando uma vida melhor no exterior. Entre 2001 e 2009, a diferença entre quem saiu e quem voltou ao país está positiva em 541 mil pessoas. Há cerca de três milhões de brasileiros vivendo, hoje, no exterior. Para especialistas, uma camada da população, formada por dois milhões de desempregados e parte da classe média baixa, ainda não tem acesso aos efeitos da nova euforia. (Pág. 49)

Folha de S. Paulo

Dilma tem menor índice em 50 dias; 2º turno segue indefinido

Petista oscila para baixo e chega a 50%, mesma soma dos rivais. Marina atinge sua melhor marca e Serra estaciona, diz DataFolha feito sexta e ontem.

Pesquisa Datafolha realizada sexta e ontem mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) com 50% dos votos válidos, seu pior patamar desde 12 de agosto. É o mesmo índice obtido pelos seus adversários somados. Marina Silva (PV) variou dois pontos para cima e atingiu 17%, seu melhor desempenho nas pesquisas do instituto. A margem de erro é de dois pontos percentuais.
Na simulação de segundo turno, Dilma venceria hoje com 52% contra 40% de Serra, exatamente os mesmos percentuais no caso de a petista enfrentar Marina.
O levantamento é o mais extenso realizado pelo Datafolha nesta campanha eleitoral. Foram entrevistadas 20.960 pessoas em 521 municípios. A sondagem foi encomendada por Folha e Rede Globo. (Eleições 2010)

Disputa deve acabar em SP e 6 dos principais estados - (Págs. 12 a 15)

Em novo ataque, Lula reclama de ’autoritarismo’ da imprensa (Pág. Esp.8)

Nosso dever será unir o país, seja quem for o eleito

Dilma Rousseff - Especial para a Folha

Quando a vontade da maioria se pronunciar, será nosso dever unir o país. Vença quem vencer, será hora de somar forças. (Esp. 6)

Dilma Rousseff é a candidata do PT ao Planalto; convidados a escrever, José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) recusaram.

Escolha de hoje cabe ao eleitor, não ao Judiciário

Ricardo Lewandowski - Especial para a Folha

Cabe só aos leitores, e não à Justiça, escolher os melhores candidatos, esperando-se que seus votos sejam dados aos que tenham um passado limpo. (Pág. A3)

Ricardo Lewandowski é o presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Elio Gaspari - Debate chocho expõe campanha madura (Esp. 12)

Editoriais (Pág. A2)

Leia "Segundo Turno", sobre vantagens de uma nova rodada eleitoral; e "Hegemonia tucana", avaliando seguidos governos do PSDB em São Paulo.

O Estado de S. Paulo

136 milhões vão às urnas hoje para escolher o sucessor de Lula

Os brasileiros vão às urnas hoje, na sexta eleição presidencial desde a redemocratização. São 135,8 milhões de eleitores que escolherão o sucessor de Lula. Também serão renovados os governos de 26 Estados e do DF, a Câmara, parte do Senado e as assembleias estaduais. Na disputa presidencial, Dilma Rousseff (PT) lidera as pesquisas e pode vencer já no primeiro turno. Vêm a seguir José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV). A campanha deu-se à sombra de Lula, que usou sua popularidade para impulsionar Dilma, desconhecida até o final de 2009. Em várias ocasiões, o presidente confundiu o papel de chefe de governo com o de líder de partido, atropelando a legislação a ponto de ser multado sete vezes pela Justiça Eleitoral. (Caderno Especial)

Alckmin fala em ética, e Mercadante quer debate

O líder nas pesquisas da eleição ao governo paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), diz que, se eleito, vai governar com "inovação". Em entrevista ao Estado, ele afirmou que pretende "avançar com ética". Já seu adversário mais próximo, Aloizio Mercadante, quer questionar os 16 anos de PSDB em São Paulo num eventual segundo turno. "Meu Deus! Como eu quero debater com o Alckmin cara a cara", disse o petista ao Estado. (Págs. H14 e H15)

Eleição em Minas pode mudar jogo de forças no PSDB

O resultado da eleição em Minas pode confirmar o ex-governador Aécio Neves como líder capaz de desafiar a hegemonia paulista do PSDB. Além do governador, Aécio pode emplacar no Senado, além dele mesmo, o ex-presidente Itamar Franco. (Pág. H22)

Aliança garante protagonismo de Cabral no Rio

Com o apoio do presidente Lula, de 16 partidos e 91 prefeitos, o governador Sérgio Cabral (PMDB) deve se reeleger no Rio com mais de 60% dos votos válidos. O principal adversário, Fernando Gabeira (PV), não repetiu o desempenho de 2008. (Pág. H18)

O fiasco da internet

A rede teve atuação periférica durante a campanha. Mesmo a participação dos eleitores foi fria. (Pág. H8)

A espera da Ficha Limpa

Desta vez, vamos dormir sem saber o que fazer com os resultados das eleições. Uma pena. (Pág. H24)

Concorrência força baixa nos juros ao consumidor (Pág. B1)

Turismo interno mostra estagnação há 10 anos (Metrópole/Pág, C1)

Crise no time boliviano

A violenta rebelião policial no Equador foi um exemplo das tensões perigosas embutidas no pacote boliviano. Pode não ser a última. (Internacional/Pág. AB)

Quer e não quer

O governo Lula quer dólares para capitalizar a Petrobrás e fortalecer bancos oficiais. Mas, quando os recursos entram, as autoridades se retorcem. (Economia/Pág. B2)

Correio Braziliense

Depois das polêmicas, a hora do voto

O TRE-DF decidiu ontem, por 4x3, liberar a candidatura de Weslian Roriz (PSC) ao GDF. Com isso, o brasiliense vai às urnas, neste domingo, sabendo quem são os candidatos apenas no último instante. Em âmbito nacional, as campanhas estaduais também foram marcadas por incertezas, boa parte em função da Lei da Ficha Limpa. O pleito em 2010 ainda deixou para os momentos finais decisões como a necessidade de um ou dois documentos para votar - apenas a carteira de indentidade será suficiente. A maior eleição da história, com 135 milhões de eleitores, deve ter todos os votos cmputados quatro horas após o fechamento das urnas, segundo estimativa do TSE. (Págs 5 a 18, Visão do Correio, págs 26, e págs 33 a 43)

Segundo turno no país é incógnita

As mais recentes pesquisas apontam uma margem estreita de vantagem para Dilma em relação aos adversários, o que significa não ser possível afirmar se o novo presidente será conhecido hoje. (Págs 2 a 4 e 9)

Jornal do Commercio (PE)

Eduardo deve eleger os dois senadores

Nas últimas pesquisas Datafolha e Ibope, divulgadas ontem pela TV Globo, governador candidato aparece com mais de 50 pontos percentuais à frente de Jarbas Vasconcellos. Humberto e Armando também abriram vantagem com relação a Maciel.

Zero Hora (RS)

O novo rosto do Brasil

Na eleição que marca os 21 anos da reconquista do voto direto para presidente, confira o perfil dos candidatos ao Planalto e um autorretrato dos concorrentes ao Piratini.

Artigos: FHC e José Dirceu - (Págs. 13 e 14)

 

DESTAQUES DE REVISTAS SEMANAIS BRASILEIRAS

Veja, 6/10/2010.

 

As grandes propostas para o Brasil feitas na campanha presidencial

A partir da página 88, as questões esssenciais das quais os candidatos fugiram. (Pág. 88)

Época, 4/10/2010.

 

Depois de Lula - O legado do presidente e sua sombra sobre o futuro governo

Como o presidente que se tornou mito preparou o país para quem vai sucedê-lo. (Pág.56)

ISTOÉ, 6/10/2010.

 

A edição desta semana da revista Isto É não circulou na data habitual. Portanto, não pôde ser incluída na Sinopse.

ISTOÉ Dinheiro, 6/10/2010.

 

A edição desta semana da revista Isto É Dinheiro não circulou na data habitual. Portanto, não pôde ser incluída na Sinopse.

CartaCapital, 6/10/2010.

A edição desta semana da revista Carta Capital não circulou na data habitual. Portanto, não pôde ser incluída na Sinopse.

EXAME, 6/10/2010 (Quinzenal).

O Brasil pós-Lula

As questões sociais e econômicas que o próximo presidente terá de enfrentar - se quiser levar o país ao verdadeiro desenvolvimento. (Pág. 28)

Especial - O novo boom de estartups brasileiras

Investimentos - Os tradicionais fundos americanos começam a investir nas startups brasileiras (Pág. 162)


Fontes: Radiobras-BrasilWiki!


Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
BrasilWiki!
São Paulo - SP



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br