Atualizado 19h36 Domingo, 18 de agosto de 2013   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Deu no papel

Juiz censura divulgação de falcatruas e mazelas de governo

557 acessos - 0 comentários

Publicado em 27/09/2010 pelo(a) Wiki Repórter BrasilWiki!, São Paulo - SP



DESTAQUES DE JORNAIS BRASILEIROS, SEGUNDA-FEIRA, DIA 27 DE SETEMBRO DE 2010.


Jornal do Brasil


Dezessete mil mulheres tentam a sorte na polícia

Elas sabem que a profissão é de risco, algumas têm curso superior, mas querem os R$ 1.089

Cerca de 68.600 candidatos fizeram prova, ontem, disputando 3.600 vagas de soldado na Polícia Militar do Rio - profissão de risco, com salário inicial de R$ 1.089, pouco mais de dois mínimos. Muitos com nível superior completo, eles vieram de todo país em busca de um lugar no Curso de Formação. A relação candidato-vaga é mais apertada para as mulheres - que são cerca de 17 mil, com 800 vagas para o sexo feminino: de cada 22, uma passará. (Págs. 1 e Rio, 6)

Planos de governo mais uma vez fora da discussão

Ataques e ironias deram a tônica no debate de candidatos à Presidência, na Record. Com pouca ênfase nos projetos, as falas mais marcantes (aplaudidas pela plateia incontrolável) vieram de Marina Silva e Plínio de Arruda. Dilma Rousseff, muito pressionada, respondeu sobre corrupção. José Serra elogiou o Bolsa Família. (Págs. 1 e País 5)

O Globo

Eleições 2010: De olho no segundo turno, Marina ataca Dilma e Serra

Petista e tucano trocam acusações sobre aparelhamento do Estado

Numa tentativa de chegar ao segundo turno, a candidata do PV, Marina Silva, subiu o tom das críticas no penúltimo debate entre os quatro principais candidatos ã Presidência, ontem pela Record. Ela criticou fortemente a candidata petista, Dilma Rousseff, e o tucano José Serra, tentando evitar a polarização entre os dois adversários, que, segundo pesquisas, estão à sua frente na disputa. O candidato do PSDB, José Serra, foi cobrado por Marina e Dilma sobre falta de servidores de carreira no governo federal. Serra, por sua vez, acusou o atual governo de aparelhar as agências reguladoras com indicações políticas. Plínio de Arruda Sampaio foi o mais incisivo nas críticas; chegando a atacar diretamente a candidata do PV, a quem de chamou de "ecocapitalista". (Págs. 1, 3 e 4)

Foto legenda: A partir da esquerda, os candidatos Dilma Rousseff, José Serra, Marina Silva e Plínio de Arruda Sampaio durante debate na Record.

Tiririca tem que ler e escrever

O procurador regional eleitoral de São Paulo, Pedro Barbosa, analisa hoje se pedirá um teste de leitura e escrita para o humorista Tiririca, candidato a deputado federal pelo PR, que lidera as pesquisas. Se ficar comprovado que é analfabeto, Tiririca pode perder o registro de candidatura e ser punido por uso de documento falso, com uma assinatura atribuída a ele, enviado à Justiça Eleitoral. (Págs. 1 e 12)

Justiça censura imprensa em TO

O corregedor eleitoral de Tocantins, desembargador Liberato Póvoa, proibiu a imprensa de publicar notícias sobre uma investigação de superfaturamento que envolve o governador Carlos Gaguim (PMDB), candidato à reeleição. A ANJ e a Abert condenaram a decisão de Póvoa. (Págs. 1 e 12)



Histórias do Moreno

Oposição como a de Ulysses, Brossard e Tancredo, nas eleições de 1978, não há mais. (Págs. 1 e 13)

Passagens aéreas sobem até 10,8%

Após recuo em agosto, os preços das passagens aéreas já subiram até 10,8% este mês. Pesquisa em sites de empresas mostra que a diferença de tarifas chega a 500%. (Págs. 1 e 19)

Folha de S. Paulo



Presidência incha no governo Lula

Em oito anos, petista aumenta o orçamento do núcleo palaciano em 126% e o número de funcionários em 150%.

Nos oito anos de mandato, Luiz Inácio Lula da Silva fez uma multiplicação sem precedentes de cargos, verbas e poderes da Presidência, informa Gustavo Patu.

Nesse período, o orçamento da Presidência cresceu 126% - era de R$ 3,7 bilhões ao final do governo FHC e chegou a R$ 8,3 bilhões no fim da gestão petista, em valores atualizados.

Só o gabinete presidencial teve seus recursos multiplicados por cinco.

A concentração de poder e recursos ajuda a explicar a concentração de escândalos nos últimos oito anos no núcleo de poder palaciano, que inclui a Casa Civil.

Foi desse ministério que saíram José Dirceu, acusado de comandar o mensalão, Dilma Roussef e Erenice Guerra, demitida sob suspeita de ajudar o filho a fazer negócios com o governo.

O quadro de funcionários da Presidência subiu 150% no período. (Págs. 1 e Eleições 2010)

Presidente quer eleger Dilma a qualquer custo

A vice-procuradora-geral eleitoral Sandra Cureau diz em entrevista a Eliane Cantanhêde nunca ter visto eleição como esta por conta do papel do presidente. Para ela, Lula quer fazer a sucessora "a qualquer custo".

Cureau reclama do grau de agressividade com que é tratada pelos candidatos que questiona juridicamente e das baixarias que sofre dos blogs. "Talvez tenha alguma coisa com o fato de eu ser mulher", diz. (Págs. 1 e A11)

Bandeiras de PT e PSDB na área da saúde têm problemas

Bandeiras eleitorais de Dilma Rousseff (PI) e José Serra (PSDB) na saúde, as UPAs (prontos-socorros) e os AMEs (clínicas com especialistas) têm falhas operacionais. As UPAs, feitas pelo governo federal, estão abarrotadas no Rio - pacientes nem recebem senha. Já os AMEs, abertos por Serra em SP, registram falta ou excesso de médicos. (Págs. 1 e Pág. Esp. 8)

TRE censura notícias sobre esquema de fraudes no TO

Liminar de um desembargador membro do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins proibiu a publicação de noticias ligando o governador Carlos Gaguim (PMDB), candidato à reeleição, a suposto esquema de fraudes.

Para o Ministério Público Federal no TO, que tenta cassar a liminar, a decisão configura censura, vetada pela Constituição. (Págs. 1 e Pág. Esp. 6)



Uso de água do subsolo dobrou em 4 décadas

A exploração das águas subterrâneas do planeta mais do que dobrou de 1960 a 2000, mostra um estudo holandês. Esse uso intensivo pode ser responsável por um quarto do aumento anual do nível dos oceanos. Segundo estimativas, 30% da água doce da Terra está no subsolo. (Págs. 1 e A15)

Marina ataca petista e tucano em debate na TV

Marina Silva (PV) partiu para o ataque contra Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) no debate de ontem entre presidenciáveis na TV Record. A petista e o tucano evitaram o confronto direto.

A estratégia de Marina é reflexo de seu crescimento nas pesquisas de intenção de voto. (Págs. 1 e Págs. Esps. 4 e 5)

Mercado

Especialistas dão dicas para fugir dos juros do cartão de crédito (Págs. 1 e B7)

Editorias

Leia "A nova Petrobras", sobre capitalização da estatal; e "Planos x médicos", acerca de pesquisa Datafolha que mostra insatisfação da categoria. (Págs. 1 e A2)

O Estado de S. Paulo



Notícia sobre falcatruas no TO põe ’Estado’ sob censura

Outros 83 veículos de imprensa estão impedidos de divulgar mazelas do governo do Tocantins

O Estado e outros 83 veículos de imprensa estão proibidos de divulgar qualquer informação sobre investigações do Ministério Público de São Paulo que citam o governador Carlos Gaguim (PMDB) como integrante de organização criminosa para fraudar licitações. A decisão de censura aos veículos é do desembargador Liberato Póvoa, do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins, que acolheu pedido da coligação Força do Povo, que apoia Gaguim e é formada por 11 partidos, inclusive o PT. A candidata Dilma Rousseff e o próprio presidente Lula têm frequentado o palanque de Gaguim, que luta pela reeleição no Tocantins. Quem não cumprir a decisão judicial fica sujeito a multa diária no valor de R$ 10 mil. O desembargador veta, ainda, publicação de dados sobre o lobista Maurício Manduca, aliado e amigo de Gaguim, preso há 10 dias. Em janeiro, o governador nomeou para um cargo de "assessoramento superior" a mulher do desembargador que determinou a censura. (Págs. 1 e Nacional A4 e A6)


Entidades protestam contra censura

OAB e ANJ manifestaram-se contra o episódio de censura no Tocantins. "A liberdade de imprensa é preceito constitucional de proteção ao direito e à cidadania", disse o presidente da OAB, Ophir Cavalcante. (Pág. 1)

Análise: João Bosco Rabelo

O Judiciário como biombo
Não é exagero imaginar que, nas suas reflexões para assinar o ato infeliz de censura à imprensa, Liberato Póvoa tenha experimentado um sentimento íntimo de respaldo presidencial. (Pág. 1)



Caderno Especial: Desafios do novo presidente: um Brasil para muitos

Em mais um caderno da série, o Estado destaca os desafios da inclusão social no pós-Bolsa-Família. Também analisa a falta de saneamento e o abismo que distancia os mais pobres de uma educação de qualidade. (Pág. 1)

Eletrobrás tem R$ 8,5 bilhões parados no BB

Nos últimos cinco anos, os brasileiros pagaram R$ 9,4 bilhões na conta de luz por um encargo chamado Reserva Global de Reversão, criado há 50 anos para pagar indenizações pelo retorno de concessões à União e administrado pela Eletrobrás. Boa parte desse dinheiro, porém, está parado num fundo do Banco do Brasil, que até 31 de agosto acumulava R$ 8,5 bilhões. (Págs. 1 e Economia B1)

Negócios: Os novos donos do capitalismo brasileiro

A chegada da Blackstone revela a importância do private equity, indústria que duplicou de 2006 até hoje.(Pág. 1)

Agora, faltam os programas de governo

Os candidatos que lideram a corrida presidencial ainda não mostraram programas de governo detalhados. Dilma Rousseff (PT) protocolou um "documento provisório". José Serra (PSDB) apresentou a íntegra de dois discursos. Marina Silva (PV), que entregou a proposta mais completa, trata o material como "diretriz de programa". (Págs. 1 e Nacional A14)

Prefeitura paga por obras não realizadas

A Prefeitura de S. Paulo gastou nos últimos cinco anos R$ 73,8 milhões na contratação de estudos que ainda não saíram do papel. O dinheiro daria para construir 30 creches ou 23 escolas municipais. (Págs. 1 e Cidades C1)

Pacote de R$ 76 mi para transplantes

Incentivo do Ministério da Saúde inclui treinamento de funcionários de hospitais para comunicar a morte cerebral aos familiares. (Págs. 1 e Vida A20)

BNDES é o maior apoiador da produção audiovisual (Págs. 1 e Economia B5)


Denis Lerrer Rosenfield: Que oposição?

Questiona-se como será o papel da oposição num provável governo Dilma Rousseff. Mas a primeira pergunta a se fazer é: "Que oposição?" (Págs. 1 e A2)

Carlos A. Sardenberg: o eleitorado traído

Candidatos falam em aumento de gastos públicos, mas, sem aumentar os impostos, os programas prometidos não fecham a conta. (Págs. 1 e Economia B2)

Notas & Informações: Capitalização e política

Por ora, o risco de ingerência política na Petrobrás preocupa mais que as incertezas técnicas. (Págs. 1 e A3)

Correio Braziliense



PMDB desdenha apoio de Rosso a Weslian Roriz

O governador do Distrito Federal, Rogério Rosso, voltou a abraçar o rorizismo. Ele declarou apoio à candidatura de Weslian Roriz, em desacordo à convenção regional do PMDB de fechar coligação com Agnelo Queiroz. Rosso assegura que a adesão à campanha de Weslian é uma decisão pessoal. Presidente regional do PMDB e vice na chapa de Agnelo, Tadeu Filippelli menosprezou o ato. "O PMDB decidiu com ampla maioria se coligar com o PT. Apenas o governador pode esclarecer os acordos que levaram a essa declaração de apoio", disse. Filippelli descartou punição do desafeto por infidelidade partidária. "Devido à inexpressividade do governador nas instâncias partidárias e de sua baixa densidade eleitoral, avalio que o apoio terá pouca repercussão." (Págs. 1 e 19)

Sujou geral

Candidatos barrados pela lei da Ficha Limpa se preparam para repetir a manobra de Roriz e colocar mulher, ex-mulher, ex-marido e parentes nas eleições. Jader Barbalho (PMDB-PA) estuda nomear o primo para substituí-lo. Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) cogita recorrer à esposa, Sílvia, na disputa ao Senado. (Págs. 1 e 3)

Foto legenda

Pelo menos 10 pessoas ficaram feridas com a explosão de uma caminhonete carregada de fogos de artifício em Águas Lindas (GO), a 45km de Brasília. O veículo participava de uma carreata de Iris Rezende (PMDB), candidato a governador. Há suspeita de atentado. (Págs. 1 e 22)

Dinheiro e poder

Doações de campanha chegam a R$ 1 bilhão em dois meses (Págs. 1 e 2)

Pela moralidade

PF realiza série de operações para impedir compra de voto (Págs. 1 e 4)

No STF, de novo

Tribunal decide se caso Roriz afeta julgamento da Ficha Limpa (Págs. 1 e 21)

Governo emprega até na crise

Em 2009,o número de servidores contratados quadruplicou em relação a 2008. Ao mesmo tempo, a crise econômica mundial fazia crescer as demissões no setor privado. (Págs. 1, 9 e 10)

Arca de Noé

Embrapa guarda código genético de plantas, bichos e até de bactérias (Págs. 1 e 18)

Valor Econômico

Grau de abertura cai, apesar do recorde de importações

O Brasil ainda é uma economia bastante fechada, mesmo com o recorde de importações e o avanço das exportações no primeiro semestre. Pelo indicador mais conhecido - a proporção entre comércio exterior e Produto Interno bruto (PIB) - o grau de abertura da economia brasileira até caiu um pouco em relação a 2009, de 17,79% para 17,72% no período, segundo o Ministério do Desenvolvimento (Mdic). Os cálculos foram feitos com um dólar médio equivalente a R$ 1,80 (com a cotação atual, de R$ 1,70, os percentuais seriam ainda menores).

A queda no indicador se deve principalmente a três fatores: o elevado crescimento do produto interno, a desaceleração no ritmo das exportações e a desvalorização do dólar, que reduz ainda mais os valores do comércio externo quando convertidos em moeda nacional. As importações ganham participação crescente no PIB, avalia Welber Barral, secretário de Comércio Exterior. Mesmo assim, essa fatia é hoje menor que a de outros países emergentes. "Os índices de importação do Brasil chegam a representar um terço dos índices de outros emergentes, como África do Sul ou México, e dois terços do indicador para a Argentina, em 2009". (Págs. 1, A2 e A3)

Mercado diverge do BC e espera alta dos juros

A divergência entre o mercado e o Banco Central em relação à trajetória da inflação em 2011 acentuou-se na última semana. A inflação que pode ser inferida pelas taxas dos títulos públicos negociados (inflação implícita) superou os 6% para os papéis com vencimento em maio de 2011.

Desde 9 de setembro, quando foi divulgada a ata da reunião do Comitê de Política Monetária que interrompeu a alta dos juros, cresceu a compra dos papéis corrigidos pela inflação. A diferença entre as taxas desses títulos e dos prefixados é uma das formas de se avaliar a expectativa de inflação embutida nos papéis. O retorno para o investidor ("yield") recuou mais de 50 pontos base desde então para os títulos com vencimento em maio de 2011. Descontando-se a taxa prefixada para o mesmo período, vê-se que a inflação contida no preço pulou de 5,41% para 6,07% para o primeiro semestre de 2011 em pouco mais de dez dias. (Págs. 1 e C1)

Conciliação reduz conflito agrário no PA

Pela primeira vez no país, conflitos agrários têm sido solucionados por conciliações promovidas pelo Judiciário com proprietários, representantes de movimentos sociais e órgãos do governo. A medida está sendo aplicada no Pará por iniciativa do Tribunal de Justiça local e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que orientaram os juízes a não conceder liminares em ações de reintegração de posse antes de negociações prévias para possíveis acordos entre as partes.

Neste ano, três acordos foram fechados na Vara Agrária de Marabá, algo impensável há alguns anos. Outras 27 ações sobre o tema estão em negociação, das quais 14 em fase final, com acordos em vias de serem homologados. Desde 2001, concentram-se no Pará 84,5% das disputas por terras no Brasil. No ano passado, foram 26 ocupações em fazendas da região e uma média de 15 assassinatos por ano, apenas na região de Marabá. (Págs. 1 e E1)

Controverso, Puccinelli lidera no MS

Envolvido em denúncias, a mais recente na semana passada, e escândalos por causa de declarações polêmicas, o governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), continua com chances de ser reeleito no primeiro turno. "Posso admitir que me chamem de obtuso, feio, bronco, mas ladrão eu não sou", afirmou ao Valor. Gestões bem avaliadas como prefeito de Campo Grande e governador podem explicar sua popularidade e bom desempenho eleitoral. (Págs. 1 e A10)

União investe R$ 2 bi a mais que o previsto em oferta da Petrobras (Págs. 1 e D9)


Indústria perde força no PIB

De 2004 a 2009, a indústria de transformação passou de uma participação de 19,2% para apenas 15,5% do Produto Interno Bruto. Esse é menor percentual desde 1947, quando o Brasil ainda era um país agrícola e não possuía fábrica de automóvel. (Págs. 1 e A4)

Mudanças nos supermercados

Em 1998, o brasileiro gastava, em média, mais de uma hora para fazer compras no supermercado. Hoje, gasta menos de 30 minutos. A clientela masculina cresceu de 16% para 32% do total. A fidelidade ao ponto de venda também caiu de 58% dos clientes para 15%. (Págs. 1 e B1)

Previ reavalia em energia

A Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, contratou o banco Morgan Stanley para avaliar seus ativos na área de energia. O objetivo pode ser a saída da CPFL ou da Neoenergia. Ou até a união das duas operações. (Págs. 1 e B9)

Financeiras privilegiam os 0km

Financeiras passam a focar sua atuação principalmente no financiamento de automóveis novos. O aumento da inadimplência costuma ser proporcional à idade do veículo usado. (Págs. 1 e C7)

Boa perspectiva para ação de banco

A expectativa de um crescimento robusto na concessão de crédito e a redução da inadimplência, graças ao aumento da renda da população, devem favorecer as ações do setor financeiro, em especial dos grandes bancos. (Págs. 1, D1 e D2)

Ideias

Sergio Leo
Empresários querem mudanças no modelo de financiamento a exportações, que julgam insuficiente e mal desenhado. (Págs. 1 e A2)

Ideias

Luiz Werneck Vianna
Ressurgem as velhas assombrações da república autoritária brasileira, como o nacional-estatismo e o corporativismo. (Págs. 1 e A6)

Estado de Minas

Donos da rua vencem a lei dos flanelinhas

Em vigor há dois meses, a regulamentação do Código de Posturas de Belo Horizonte, que deveria livrar os motoristas da chantagem diária dos cerca de 5 mil flanelinhas que atuam principalmente na Região Centro-Sul, está longe de impedir a ação livre e constrangedora desses "donos da rua". Enquadrados pelo Decreto Municipal 14.060/10 como praticantes de atividade irregular, ao lado de camelôs e toreros, nenhum dos "tomadores de conta"de carros da cidade foi multado até agora. O desconhecimento da população e dúvidas que persistem sobre a aplicabilidade das punições previstas na legislação. (Págs. 1 e 21)

Eleições 2010: Sobrevivência vai além dos partidos

Na maioria das cidades mineiras, o partido pouco importa. Alianças e acordos podem colocar PT, PV e PSDB no mesmo palanque. O que conta é a realidade local. (Págs. 1 e 3 a 7)

Eleições 2010: Mais fichas-sujas lançam as esposas

O truque do candidato ao governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PSC), para fugir da Lei da Ficha Limpa, começa a ser copiado por vários de seus "colegas". (Págs. 1 e 3 a 7)

Foto legenda: Campeãs da tragédia

Trecho da BR-116, próximo a Caratinga, no Vale do Rio Doce, é apontado pelo Dnit como o mais perigoso de Minas. Mas número de vítimas das curvas traiçoeiras dos 100km da BR-381, entre BH e Monlevade, dão à Rodovia da Morte a liderança nessa macabra disputa. (Págs. 1, 19 e 20)

Copa do Mundo: Hospitais já investem no atendimento

Instituições planejam aplicar cerca de R$ 6,3 milhões até 2014 para atender a demanda prevista durante o evento, inclusive com a criação de serviço internacional. (Págs. 1 e 12)

Agropecuário: Demandas do campo

Entidades do meio rural preparam documentos como que o setor espera dos vencendores das eleições. (Pág. 1)

Direito & Justiça: Judiciário sob pressão

O desrespeito às leis, inclusive pelo Estado, aumenta a demanda da população pelo Judiciário. (Pág. 1)

Jornal do Commercio (PE)



Homem é morto em motel de Olinda

Vítima entrou no Seichelles, na Pan Nordestina, com outro homem. Este último saiu sozinho do local, de bicicleta. Corpo tinha sinais de estrangulamento e ferimentos na face e ombro. (Pág. 1)

Debates agitam últimos dias de campanha (Pág. 1)

Zero Hora (RS)



60% ainda não definiram seus deputados, diz Ibope

Na última semana da campanha, candidatos à Assembleia e à Câmara tentam atrair 4,8 milhões de eleitores indecisos, e a disputa ao Piratini também esquenta. (Págs. 1, 4 e 5, de 18 a 21 e Rosane Oliveira (16))

Dicas do analista

Como escolher um parlamentar (Págs. 1, 4 e 5, de 18 a 21 e Rosane Oliveira (16))

Na rua com Tarso

No segundo dia da série, os bastidores da campanha petista. (Págs. 1, 4 e 5, de 18 a 21 e Rosane Oliveira (16)


Fontes: Radiobras e BrasilWiki!


Reporte abuso COMPARTILHE No Twitter No Facebook

Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
BrasilWiki!
São Paulo - SP



Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2013. Brasil Mídia Digital

jb.com.br