Atualizado 19h32 Domingo, 26 de outubro de 2014   |   Política de privacidade   |   Anuncie   |   Quem somos   |  
Logo JBWiki Logo JB Publicar Conteudo


O JBWiki! é um jornal online participativo, quem escreve é você!

Como funciona
1 Se você já tem cadastro, sua matéria é publicada na hora em pendentes
Cadastre-se
2 Se você não tem cadastro e quer enviar uma matéria, ela só é publicada depois de aprovação
Enviar matéria sem cadastro

Posts com vídeos

Tatuagem (Chico Buarque)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Guantanamera (Los Sabandeños)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
O Artista (Trailer Legendado)
Publicado em 28/02/2012 pelo(a) wiki repórter Júlio Ferreira, Recife-PE
Política

Também temos culpa pela miséria do País

1470 acessos - 3 comentários

Publicado em 27/02/2009 pelo(a) Wiki Repórter SOUZAECOSTA, Itaberaba - BA



Há coisas que devemos sempre repetir. Abordar, mesmo que nos pareça muito familiar. No nosso Brasil, costumamos falar da pobreza da qual somos vítimas e a qual preferimos ignorar a origem. Uma pobreza, por sinal, latente em um país rico, que gera outras diversidades de males.

O Brasil é um país rico, ninguém duvida, basta vermos a sua biodiversidade, a extensão territorial, a gigantesca população, a capacidade de geração de energia e ainda o poder de produção de alimentos. Portanto, não se pode negar, o fausto é realidade. Mas também a miséria o é. Lado a lado, esta contradição marca a vida do povo brasileiro. Em parte, esta miséria - ou pobreza, para sermos brandos -, ao lado do fausto, é de nossa responsabilidade.

Comumente vemos, nos meios de comunicação, notícias em que, motivados pela queda de preço de determinado produto e a falta de apoio do governo, empresários se utilizarem de métodos nada ortodoxos para protestar. Vi, certa vez, não me recordo quando, uma dessas notícias na televisão, que mostrava homens lançando pintinhos nas chamas, pois o preço do frango não compensava sequer a alimentação dos bichinhos. Aquilo me marcou. Por que, em vez de fazer um ato cruel como aquele, não doavam às famílias carentes do campo, ou às pessoas das periferias? , pensei. Infelizmente, aqueles pintinhos, futuros frangos, que poderiam alimentar bocas famintas, eram fruto da propriedade privada, tão defendida em nosso país. Daí ações daquele tipo.

Outra vez, não me recordo quando, homens derramavam leite sobre uma larga avenida para protestar contra a baixa dos preços do produto. Foi o que eu vi. Perguntava-me: por que não fazer o protesto doando o leite para as escolas, creches e abrigos de idosos? Mas aquilo era um bem privado, logo o seu dono poderia dispor do produto da forma que achasse conveniente. Afinal, em um país capitalista e democrático, as pessoas tem liberdade para tudo, sem pensar no outro.

Não farei uso de nenhuma citação. Não recorrerei às palavras de um pesquisador americano ou europeu com Phd, ou da autoridade de um catedrático de uma universidade qualquer para mostrar outro exemplo no qual o fausto e miséria no Brasil são coisas que andam lado a lado, pois o fato a ser relatado eu vivenciei. Certa vez, em uma empresa na qual trabalhava, atendendo a um caminhoneiro, fiquei sabendo que a carga da carreta, de 30 ton.,seria destinada à alimentação de animais. Intrigados, eu e um amigo perguntamos o motivo de se destinar as batatinhas inglesas (esta era a carga) para consumo do gado e não de seres humanos. E com toda ousadia, propusemos que o produto fosse doado a orfanatos, abrigos ou creches. Primeiro o motorista nos informou que os consumidores não utilizavam aquelas batatas, pois eram grandes e estavam fora do padrão para consumo (Para mim, batatas são batatas, todas são iguais, pensei!); segundo, nos respondeu acerca da impossibilidade da doação, pois o dono da carga era um empresário, e pensava como tal. Desnecessário aqui refletir sobre isto...

Ao fim da conversa, o rapaz nos cedeu uma saca de 60 quilos daquelas batatas grandes e rugosas. E lá se foi o caminhão, com suas 30 toneladas de carga destinada à alimentação dos animais. Nenhuma concessão às pessoas pobres. Às creches e escolas. Nenhuma doação a um asilo. Afinal, aquele bem não era social, era apenas mais outro, privado, e sendo desta natureza, seu dono poderia se dispor da forma que quisesse...

E o que fizemos com a nossa parte, com os 60 quilos da batatinha inglesa? Doamos, uma vez que demos aquela bela ideia ao caminhoneiro? Não. Assim como o agroempresário, fomos ingratos - apenas dividimos o seu conteúdo e nos abastecemos durante um mês. Escolas, creches e pessoas de comunidades carentes não ficaram sequer com uma batatinha ou experimentaram o sabor do purê. Afinal, como os outros, éramos (e somos) frutos de uma sociedade onde a individualidade tem forte prerrogativa.

Mas como precisamos de um bode expiatório, culpamos os políticos. Eles são os causadores de todos os males. De todas as nossas desgraças. Não poupamos sequer o técnico da seleção brasileira. A verdade é que somos incapazes de enxergar a manutenção do status quo da sociedade a partir de nós: desde o simples vendedor ao empresário. Todos nós contribuímos para sustentar uma nação onde o fausto e miséria andam de mãos dadas. Mas não admitimos...

É preferível (e mais em conta) armar um policial com um revólver 38 e construir presídios para lançar ali pessoas que nunca tiveram a oportunidade de levar à mesa um frango a ser compartilhado com familiares, um punhado de leite para amamentar um filho desnutrido ou um pires de purê para saciar a fome, do que ir a fundo aos fatos. Investigá-los poderia não somente descobrir as verdadeiras raízes das mazelas, mas desmascarar muitos oportunistas de plantão, que lucram com a fábrica da miséria social no País.

Nota - Caro leitor, SouzaeCosta não é jornalista. Opina apenas porque o país é democrático e o BrasilWiki! oferece esta oportunidade a qualquer pessoa, jornalistas ou não. Assim, sinta-se desobrigado da leitura deste texto, caso não encontre aqui uma opinião do jornalismo profissional que o agrade.



Todos deste(a) repórter

Publicado pelo(a) Wiki Repórter
SOUZAECOSTA
Itaberaba - BA



Comentários
01
Reporte abuso
manoel messias pereira
São José do Rio Preto 28/02/2009

Não creio que há somente homens públicos responsáveis pela nossa desgraça, pois quem vota somos nós brasileiros. Graças a nossa incoerência, a nossa inconsciência e a nossa estupidez humana, de sempre colocar no poder os privatizantes, embora o cargo seja público. E com isto sabemos que será sucateado, pra ser privatizado, e quem ganha é o bolso de quem finge governar.


 
02
Reporte abuso
Manoel Messias Pereira
São José do Rio Preto-SP 28/02/2009

Somos culpados, afinal os privatistas estão no poder fazendo com que o nosso custo de vida aumente. Mas quem os coloca na condição de governantes somos nós, com a nossa estupidez humana e política.


 
03
Reporte abuso
SPOCK
São paulo 28/02/2009

SouzaeCosta - Produtos alimentícios com avarias de transporte, amassados, quebrados ou fora de especificação não tem valor comercial. Estes produtos - quando possível consumí-los - costumam ser doados, sim, às instituições beneficentes, creches, igrejas ou comunidades. Posso enumerar igrejas, creches e comunidades que se beneficiam com doações. As doações de alimentos, por parte de empresários, chegam às toneladas. O desperdício de alimento como protesto é excessão e se limita ao meio rural. Seu SouzaeCosta, empresário não é bicho-papão, não. Empresário é trabalhador. Alimento que sai de empresa privada não estraga. Ou vai para o mercado ou é doado. Você sabe quem é o maior desperdiçador de alimentos? É o Estado com seus depósitos de alimentos vencidos por causa da burocracia, ineficiência ou desleixo público.


Faça seu comentário - nome e cidade são obrigatórios
 caracteres restantes
Digite o código para validar o formulario

Trocar imagem
Quero ser inserido sempre que este autor inserir um novo post
Quero ser inserido sempre que um comentários for inserido neste post

Se você é um wiki repórter, faça o login e seu comentário será postado imediatamente.
Caso não seja, seu post entrará na lista de moderação de BrasilWiki!
Use a área de comentários de forma responsável.
BrasilWiki! faz o registro do IP (número gerado pelo computador de acesso à internet) de usuários para se proteger de eventuais abusos.
Ao selecionar acompanhar comentários do post ou post do autor, é obrigatório o preenchimento do campo email e não é necessário fazer o comentário.


©1995 - 2014. Brasil Mídia Digital

jb.com.br